Suburgatory (1×18/19) – Down Time/Entering Éden


1.18 – Down Time

Muitos plots mal aproveitados, desperdício e problemas de timming levam a pergunta: Suburgatory sabe preencher seu tempo de exibição?

O episódio começa com os adoráveis Shays, mais especificamente quando Sheila leva Lisa ao médico por conta de alterações de comportamento da garota causadas pelo recém inicio de namoro com Malik. Depois de tudo esclarecido Sheila e tem um ataque, querendo saber todos os detalhes da relação e mimando Malik. Um episódio de transformação com Sheila aprendendo a conviver com seus problemas e aceitando o passar do tempo poderia ser muito bom. Seria legal ver um episódio só sobre os Shays que usa os personagens principais como coadjuvantes, mas Suburgatory usou essa carta como uma ou duas piadas perdidas dentro do episódio.

No segundo plot, Lisa e Malik começam a ficar juntos e deixam Tessa de lado. Colocar os dois desajustados juntos exagerando a relação não foi engraçado, foi só uma forma de a série reforçar estereótipos de forma negativa. Diferente seria se todos em volta surtassem, menos o casal, isso poderia render risadas. O bom momento desse plot foi a aparição de Ryan como um bom conselheiro para Tessa, mas como ele estava envolto no drama Malik e Lisa não houve muito que ele pudesse fazer. Ryan merecia um episódio só para si nesse caso.

Na outra vertente, Dallas começa a sentir a depressão por conta do divórcio. O problema é que ficaria muito mais crível se ela já tivesse tido um depressão, entrasse na fase de euforia com outros homens (o que já aconteceu) e tivesse uma recaída. Mas como Dallas só fica triste agora, no meio de um episódio com tantos outros plots, fica a sensação de gratuidade. Pelo menos, todo esse plot foi fofo e melhor construído, tendo uma boa evolução dos personagens, incluindo Dallas, George e Dallia.

De bons momentos de comédia, só houve a rápida participação de Sheila, Ryan e a consulta de Dallia no psicólogo (o ponto alto do episódio). Que funcionaram mais como esquetes dentro do episódio do que como plots em si. Três bons momentos que foram utilizados em um episódio meio perdido em seus plots.

Pelas minhas contas, foram três premissas que poderiam render bons episódios que foram desperdiçados em apenas um. O que me fica é a sensação que os roteiristas de Suburgatory não sabem o que fazer com seu tempo de exibição, ou pior, não pensam nos plots e no andamento da série em longo prazo.

1.19 – Entering Éden

Bom… melhorou bastante. Não que todos os plots tenham sido inspiradíssimos, porque não foram, mas os momentos não soaram tão gratuitos quanto no episódio anterior.

Curiosamente “Entering Éden” começa com uma narração sobre Chatswing, que já parece um recurso já ultrapassado na séria, sendo que o choque entre cidade e interior não é mais um foco. Mas tudo bem, toda a cena inicial serve para apresentar a natureba Éden, vivida pela eterna patricinha Alicia Silverstone (por quem tive uma paixão séria depois de assistir “Paixão sem Limite”). A paixonite fulminante entre ela e George é justificável dentro da construção da cena. Claro que apresentar e concluir o interesse romântico de Eden em apenas um episódio foi rápido, mas me recuso a repetir o discurso sobre o desperdício de plots em Suburgatory.

Os plots passam a funcionar porque as cenas e ações justificam as próximas. Por exemplo, no plot do diretor, toda a cena da escolha de um animal de estimação justifica ele levar Yakult, esconder o cachorro e tentar fugir com ele, enquanto a briga com Tessa justifica Dallia expulsar o cachorro. É assim, amarrando seus roteiros, que Suburgatory pode ser boa e até fazer graça. Depois que as cenas se justificam é que vale à pena inserir piadas soltas, como a ótima piada do joystick na sala de controle de Dallas ou a música dos Hansons quando o diretor sai para passear com Yakult.

Claro que houve problemas, como o fato da química entre o diretor e seu parceiro ser horrível e Éden ter sido estereotipada ao extremo, mas foi um episódio melhor amarrado e menos confuso de Suburgatory o que permitiu uma evolução de personagens muito melhor, tornando esse um episódio melhor.

2 thoughts on “Suburgatory (1×18/19) – Down Time/Entering Éden

  1. Suburgatory insiste em cometer os mesmos erros. não está por saber aproveitar os seus personagens e as chances de piada que estes mesmos possuem.

    Enfim, esta sequência bem fraca de episódios apenas provam que a série possui apenas alguns momentos bacanas e não um conjunto todo.

    Atts

  2. É bem triste tamanho desperdicio de bons atores e premisas. Por esses dias vi Firefly e o cara que faz Noah é incrivelmente mais engraçado em um drama de ficção do que na “comédia” Suburgatory.

    Acho mesmo que as desventuras em Chatswin não duram por muito.

    Até

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s