Once Upon a Time (1×12) – Skin Deep


No one can ever love me…

Tenho de confessar que não estava por sentir a magia de Once Upon a time desde o fantástico episódio The Heart is a Lonely Hunter. Não que os episódios exibidos neste ano tenham sido ruins, mas é que não estavam por ser capaz de transmitir toda aquela mágica sensação que sentíamos ao acompanhar a série na Fall Season. Porém a mágica retornou de uma maneira incrível neste que é um dos melhores episódios da série, abaixo apenas do já citado acima. Skin Deep acertou precisamente quando decidiu ser um episódio inteiramente focado em Rumpel/Gold, deixando até mesmo Emma como coadjuvante, e também soube trazer um pouco de romance para aqueles personagens desafortunados que disso necessitavam. Enfim, um episódio depressivo e ao mesmo tempo romântico, uma bela história de amor que fora prejudica pela ganância e pelo poder.

Havia outro fator que me fez ansiar por este episódio, a simples presença da bela Emilie de Ravin, a quem tenho certa paixonite desde Lost. Mas apenas a sua presença não garantiu a qualidade que o episódio nos apresentou, esta fora ajudada por um roteiro certeiro que mais uma vez soube humanizar o melhor personagem da série. Esta será uma review complicada de se escrever, há tantas coisas que desejo comentar que nem sei por onde se iniciar…

Vou começar pela parte de menos destaque do episódio, o núcleo de Mary, Ashley e Ruby. Achei que o Girls Night Out não fora aproveitado como deveria e já estou por me irritar com as idas e vindas de Mary e David, que continuam com os olhares e os encontros às escondidas. Acredito que este tenha sido uma traminha básica apenas para manter o espírito de St. Valentine, uma vez que por aquelas terras já estão por comemorar o Dia dos Namorados.

Já no mundo da fantasia ficamos completamente centrados em mais uma excelente trama para Rumpel. Dessa vez temos uma ótima adaptação de um dos mais belos contos de fada, A Bela e a Fera (Beauty and the Beast), e as mudanças ocorridas na história para adaptá-la ao mundo fantasioso de OUAT foram mais do que satisfatórias. Novamente o roteiro soube construir personagens e relações de uma forma relâmpago, não há como não se pegar torcendo pelo inesperado sentimento de Belle por Rumpel e, respectivamente, o de Rumpel por Belle, fazendo esses dois personagens criarem um laço especial com o telespectador, que lamenta o final trágico que esta relação tivera.

E este fim trágico fora obra da Evil Queen, que por motivos de rivalidade deseja a miséria e a queda de Rumpel. As cenas entre ambos os personagens geram grandes momentos, tanto na realidade como na fantasia, e ambos são personagens que possuem o mesmo caráter e que estão dispostos a fazer qualquer coisa para saírem vitoriosos desse duelo.

No mundo real temos um Mr. Gold descontrolado, claramente afetado por algum sentimento oculto. Temos este a protagonizar interessantes cenas com Emma porém é com Regina que o episódio consegue chegar ao seu clímax. Já não havia muitas duvidas sobre o fato de Mr. Gold se lembrar de toda a sua vida, incluindo os acontecimentos no mundo da fantasia, e agora temos a Regina a saber desse fator também e esta usará todas as armas possíveis para não deixar que este atrapalhe os seus planos de estragar todos os finais felizes. Regina ainda guarda um grande trunfo para si, Mr. Gold acredita que Belle morrera no mundo da fantasia devido as suas ações porém esta fora apenas mais uma mentira da Evil Queen e Belle se encontra viva e presa em uma ala secreta do hospital, sob posse de Regina.

O episódio nos rendeu alguns detalhes interessantes, finalmente sabemos o paradeiro de mais um dos anões em Storybrooke, Sneezy (Atchim) trabalha no mercado da cidade, ou será que apenas eu notei aquele suspeito espirro? Há também pequenas falas de duplo sentido que fazer nossas imaginações alternarem entre a realidade e a fantasia, como quando Sam pede Ashley em casamento e cita a carruagem, item mais do que importante na história da Cinderela, que por coincidência é Ashley.

Enfim, um episódio que mesmo deixando os mocinhos de lado conseguiu desenvolver a trama da série e nos trouxe um pouco mais de tensão entre os grandes vilões que há nesta. Estou muito interessado em ver a forma com que as coisas aconteceram e desde já estou no aguardo de mais uma participação de minha querida Emilie, adorei a forma como esta interpretou a sua Belle e, juntamente com a atuação fantástica de Robert, conseguiu dar vida a um sentimento inexistente.

Artigo originalmente publicado no Portal de Séries.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s