Grey’s Anatomy (8×05) – Love, Loss and Legacy


Grey’s atravessa agora uma fase menos criativa e inspirada, o quinto episódio trouxe-nos uma convidada mas nem por isso a qualidade subiu comparativamente ao último episódio, e anda um pouco distante da qualidade apresentada no inicio da temporada. De referir que finalmente Lexie Grey deu ares da sua graça, mas apenas por breves momentos, será que está de saída ou simplesmente a preparar uma reentrada mais empolgante? Para já foi viajar a mando de Avery de modo a protege-la da curiosidade aguçada da sogra. Avery conseguiu neste episódio largar a caracterização muito utilizada para o seu personagem muscles without brain, e provar à mãe que mesmo em plástica consegue ser útil e fazer o bem para além da questão meramente estética e do dinheiro fácil. E este foi o foco do episódio com grande destaque pars Avery, Catherine e as suas picardias com Sloan que nos proporcionaram bons momentos.

Acabei por gostar de Catherine, se a personalidade do convidado fosse diferente, menos carismática provavelmente seria um episódio chato de Grey’s, assim sendo conseguiu alguns bons momentos, mas nada mais que isso. Catherine entrou a matar como seria de esperar depois dos comentários de Avery aos colegas sobre a mãe, urologista famosa e reconhecida Catherine vai a Seatle Grace para entrar na história, realizar pela primeira vez um transplante peniano. E nada melhor que uma corrida entre os residentes para o lugar de assistente de Catherine, no final quem ganha é Avery e Meredith. Meredith que também teve algum destaque com a história da Zola, que apresenta convulsões e tem mesmo de ser operada. Confesso que a maneira como Shonda tem conduzido a história do casal me tem desiludido, esperava mais diálogo, drama e acima de tudo óptimas cenas dramáticas entre o casal, mas até agora parece que Derek desabafa mais com Owen do que conversa com a própria mulher, vivem na mesma casa mas parecem dois desconhecidos, para isso preferia afastamento total.

Outro casal de que espera uma conversa sincera e dramática depois do acontecido era Cristina e Owen mas pelo menos aqui ainda tem algum envolvimento, não actuam como dois desconhecidos. E falando em casais que ideia foi a de Shonda de separar Bailey do enfermeiro e deixar no ar a ideia de que voltará para o anestesista??? Really? Eu quero a velha Nazi de volta, e não a Bailey in love e cheia de dúvidas amorosas. Sempre soubemos que Sloan nunca esqueceu Lexie e isso ficou bem evidente na maneira como a elogia e defende perante Catherine, o comentário desta para Avery pode indicar (espero estar enganada), mais uma vez o reacender deste interminável triângulo amoroso, pode ser que me engane. Resumindo, não é por episódio como estes que gosto de Grey, um episódio muito mediano, esperemos que volte aos eixos iniciais ou esta temporada tem tendência a descarrilar.

Aspectos positivos:

– Acabei por gostar da mãe de Avery, muito directa e cómica.
– A picardia entre Sloan e Catherine Avery, com Avery ao barulho.

Aspectos negativos:

– A relação actual de Derek e Meredith e a maneira como as consequências do acto de Meredith estão a ser conduzidas.
– A prometida conversa entre Owen e Cristina sobre o aborto tarda em aparecer, pensei que seria neste episódio quando Cristina cuidava de Zola, mas enganei-me.
– Bailey, trocar o enfermeiro novamente pelo anestesista, really? Quando é que Shonda vai perceber vai perceber que isto não é uma novela mexicana?
– Declarações de Sloan e comentário de Catherine será o reacender do triângulo, don’t like.

Artigo inicialmente publicado em Portal de Séries.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s