Dexter (7×07/08/09) – Resumo


Tenho que admitir, Dexter não me tem conseguido empolgar como antes. Costumava esperar ansioso por mais e mais episódios, mas parece que já não tem o mesmo impacto que antes tinha. A série perdeu um bocado do seu elemento surpresa, e isso não é bom. A qualidade de algumas tramas continua alta, mas há coisas bastante dispensáveis. Tramas que são desenvolvidas à pressa, de formas pouco ortodoxas. Apesar de ter passado por um ou dois episódios mais fracos ou menos empolgantes, a série explorou nestes últimos episódios o grande “herói” da temporada: Isaak. O vilão conseguiu conquistar-me completamente, e está no meu pedestal de melhores vilões de Dexter, apenas abaixo do monstro Trinity – um abraço do fundo do mar para ele – e que conseguiu dar um novo fôlego a esta temporada, com algumas revelações que me agradaram, e que o tornam das melhores personagens da série.

7×07 – Chemistry

Depois do ocorrido no último episódio, Dexter e Hannah encontram-se num momento pós relações-sexuais. Se uma primeira vez com alguém pode ser desconfortável ou estranho, para alguém que estava prestes a assassinar a sua parceira, deve ser um tanto embaraçoso.

Ao longo do episódio vemos ambos a lutar contra a atração que sentem um pelo outro e as consequências que esta relação pode trazer, como por exemplo Sal Price descobrir sobre eles.

Price ameaçou que ia colocar no seu livro a relação de Dexter com Hannah. Como Dexter tem muito a perder com aquela relação, tenta oferecer-lhe qualquer coisa em troca, as últimas palavras de Randall.

dex2Dexter vai procurar informações sobre este, de modo a poder sabotá-lo. Entretanto, Price também tenta procurar novos dados para o seu livro. Decide então ir a casa de Hannah, fazer-lhe um interrogatório. A loura decide então mostrar o seu lado mais vulnerável e contar-lhe tudo o que tinha acontecido. Ela confessou ter esfaqueado a mulher do casal morto por Randall, apenas para a fazer parar de gritar, para não ter de sofrer mais. Enquanto isto, Hannah pensava na sua maneira mais eficaz de fazer desaparecer Price para sempre: o veneno.

Mais tarde, Price aparece em casa de Dexter para a entrevista deles, que acaba por correr da maneira esperada. Ao exaltarem-se, Price começa a sentir uma dor no peito e cai no chão, morto. Mas que dupla de ataque mais eficaz, Dexter e Hannah! Apesar da forma apressada e sem lógica que esta dupla foi formada, a química dos dois é inegável e quero que Hannah fique por perto por muito tempo.

Quem não ficou muito tempo na prisão foi Isaak, pois a cena do crime que ele cometeu foi sabotada, e agora não havia provas que o incriminassem.

Com a maior classe possível, Isaak sai da prisão e começa o seu plano para acabar com Dexter. Ele tem uma abordagem diferente, ele primeiro quer conhecer Dexter, saber os motivos dele ter morto Viktor, não quer acabar com ele assim de qualquer maneira. Ambos sabem o perigo que cada um deles é, mas de certa forma estão ligados e a relação deles é muito interessante de ver.

Debra também tem andado com muito para pensar. Depois de pensar que conseguiu convencer Laguerta a não pensar mais no caso do Bay Harber Butcher, a lieutenant descobre coisas sobre Hannah com a ajuda de Price. Hannah teve um aborto quando era mais nova, logo depois da morte do marido dela na altura. Debra começa a suspeitar de Hannah e de estar ligada a tantas mortes.

dex1Trazendo de volta a paixonite de Debra por Dexter, a atitude de Deb é movida por ciúmes maioritariamente. Hannah e Dexter tem passado muito tempo juntos e isso não agrada nada a Debra. Claro que também é porque Hannah é uma criminosa eficiente, mas não estaria tão apegada a esta investigação se não fosse pelos ciúmes da loura.

Numa girltalk formal, Debra entrevista Hannah, para ver se consegue arrancar alguma coisa dela. Hannah atua maravilhosamente como se fosse inocente, deixando Debra ainda mais furiosa, pois sabia que tudo o que ela dizia era mentira.

Mais tarde encontra a gravação da entrevista de Price e Hannah, e é aí que Debra finalmente cede aos métodos de Dexter e pede-lhe para fazer justiça à maneira dele.

“It’s up to you, Dex. Do what you do.”

Deb colocou Dexter contra a espada e a parede. A irmã ou o amor? Como irá explicar para Debra mais um detalhe tão importante da sua já complicada vida? Irá Debra aguentar um romance – como eu gosto de chamar – Haxter?

Nas histórias secundárias, Angel quer investir no seu restaurante, mas não tem como. Como se já não bastasse Quinn ser o fantoche de George e trabalhar para ele, ainda mete Batista ao barulho, ao emprestar-lhe o dinheiro que George lhe tinha dado. Well done, Quinn!

E quando Laguerta parecia desistir de explorar as pistas sobre o BHB, eis que lhe aparece uma nova esperança, que a coloca de volta à investigação. Confesso que estou curioso com o desenvolvimento disto, apesar de estar a passo de caracol.

Na mesma média do episódio passado, foi uma fase mais fraca da temporada. Nos próximos episódios as coisas já estabilizaram mais um bocado.

Nota: 7.9

7×08- Argentina

Todos temos aquele sítio especial, para o qual sonhávamos ir um dia, para fugir de tudo e de todos, da responsabilidade, do trabalho, ou até de crimes. Começar uma vida nova, a partir da estaca zero. Nova Iorque, Paris, Grécia… Para Hannah o seu destino era Argentina, e o episódio anda à volta da Argentina de cada um, do sítio que cada um sonhava ser feliz um dia.

Dexter recusou o pedido de Debra de fazer a sua justiça contra Hannah. Ele está preocupado com a consciência dela, pois um pedido destes traz muitas consequências. Debra é uma pessoa que já passou por muito e ter o peso de que encomendou a morte de alguém, por muito merecida que seja, não é fácil. Aliás, irá consumi-la tanto ou mais quanto todos os segredos que ela tem no momento. Apesar de essa não ser a maior preocupação de Dexter, ele sabe que tem de proteger a irmã. Mas claro, aproveita-se disso para livrar a sua nova Bond Girl – neste caso Morgan Girl – da sua killing room.

Debra e Hannah não se gostam nada. Debra não suporta a loura e maior parte das suas ações tem como base os ciúmes.

dex3Uma coisa que eu não acho coerente é isso mesmo, os ciúmes. Se quiserem fazer uma paixonite de Debra pelo irmão, tudo bem – quer dizer, se tiver MESMO de ser – mas ao menos que façam uma coisa decente e coerente desde o início. Debra nunca mostrou ponta de ciúmes com Rita ou até com Lumen, sempre se deu bem com as duas e nunca se sentiu incomodada ou ameaçada por nenhuma delas. Até com a louca da Lila. Ora, uma paixão destas não aparece assim do nada, e mesmo que involuntariamente, deveria sentir-se incomodada com a presença de outra mulher na vida de Dexter, mesmo não tendo a certeza dos seus sentimentos.

O que nos leva à discussão entre Deb e Dex. Finalmente Debra revelou os seus “sentimentos” ao irmão ao mesmo tempo que descobre que ele tem um relacionamento com Hannah. Era por isso que ele não a queria matar.

Debra está confusa e sente-se traída. Afinal, o seu irmão está junto com uma assassina. Hannah é uma pessoa que compreende Dexter e passa pelas mesmas emoções que ele, e contra isso Debra nunca poderá competir. Ela não é como eles e não sabe como lidar com tudo o que Dexter passa como Hannah consegue.

Apesar da brilhante prestação de Jennifer Carpenter, este episódio foi de Isaak. Toda a sua cegueira sobre vingança contra Dexter era pessoal, tinha um motivo.

Foi um infortúnio do destino. Dexter pensava que Viktor era apenas mais um no seu caminho, mais um assassino que precisava de ser morto. Matou-o normalmente e atirou-o ao mar. Nunca pensou que tinha uma máfia inteira atrás dele e um homem em casa à sua espera, para serem felizes na sua Argentina.

dex4Como Isaak disse, ele e Dexter poderiam até ser amigos se não fossem as circunstâncias. A química entre os dois funciona muito bem e tal como Hannah, Isaak compreende Dexter. Eles são parecidos. Mas Dexter tirou-lhe o mais importante, e terá de pagar sobre isso.

Além disso, Isaak agora tem a Irmandade Koshka atrás dele, a sua vingança será o seu alívio antes da sua morte inevitável.

Tivemos o regresso de Astor e Cody. Apesar de nunca ter gostado muito deles, é bom vê-los de vez em quando, faz-me lembrar os tempos em que a série era mesmo MESMO boa. Astor como sempre tinha de arranjar problemas e agora ela fuma maconha. Dexter usa o discurso dos vícios, comparando-o com o seu – um bocadinho diferente do vício de Astor, diga-se já – e Debra ouve a conversa e apercebe-se que não será ela que irá curar o vício de Dexter, e que este carrega um enorme peso dentro dele.

A investigação de Laguerta também está a decorrer a passos de caracol, mas desta vez ela descobriu uma coisa que a aproxima cada vez mais da verdade. Com a lista de utilizadores das docas, ela encontra o nome de Dexter. Será ele o Bay Harbor Butcher?

Quinn desprezível e dispensável como sempre, nem vale a pena ser mencionado.

Fico feliz por Batista. Gosto muito do personagem e é bom ver que ele está feliz no seu novo negócio. Mas acho que vai acabar mal, afinal o dinheiro investido no restaurante é dinheiro da máfia, o que não é propriamente bom.

Dexter já apresentou melhores dias, mas este episódio revelou-se bastante melhor do que os anteriores, e Isaak contribuiu muito para isso. Não estava à espera do rumo dado ao personagem e é deste tipo de revelações que eu gostava/gosto em Dexter. Aquelas que nunca tinha pensado, mas assim que alguém o diz, torna-se numa coisa válida e surpreendente. Nesta temporada, esse fator, o tal elemento “surpresa” tem estado desaparecido, e é bom ver que ele de vez em quando aparece.

Nota: 8.7

(7×09) – Helter Skelter

O formato deste episódio é muito diferente de tudo o que já foi feito na série, e confesso que me surpreendi. Normalmente o vilão da temporada apenas desaparece na season finale. Aqui tudo ocorreu duma maneira diferente e inesperada, de certa forma.

Isaak está a ser perseguido pela Irmandade Kashka, e o seu melhor plano de escape é Dexter. O vilão pede proteção a Dex em troca de imunidade à sua vingança. Apesar de alguma resistência no início, mas Isaak está desesperado e rapta Hannah para assim conseguir fazer com que Dexter o ajude a livrar-se de quem o quer matar. Dexter acaba por ceder e assim nasce uma nova parceria.

Mikic e Benjamin Caffrey são os dois homens que tentam matar Isaak. Usam métodos diferentes, usam armas diferentes, mas ambos querem dar um fim ao vilão ucraniano.

dex5Foi muito fácil para Dexter acabar com Mikic, num instante num campo de tiro, esfaqueou-o discretamente e o trabalho estava feito. Quando vejo Dexter a matar assim penso no que ele evoluiu até agora, no sentido de se desleixar cada vez mais nos seus assassínios, sem ter o seu habitual ritual com todos os cuidados possíveis. Todo esse rigor foi sendo perdido ao longo da série, e vê-se nitidamente aqui, onde ele mata um homem ao ar livre, em plena luz do dia. O que é que aconteceu à primeira regra: “Don’t get caught.”? Esta não parece a maneira mais adequada de não ser apanhado.

Isaak e Dexter parecem ter muitas coisas em comum. Isaak começa a pensar que o culpado pela morte de Viktor era ele mesmo, que se ele o tivesse impedido de ir a Miami, nada teria acontecido e estariam felizes. Dexter passou o mesmo com Rita, sentiu-se culpado pelo seu terrível destino e isso ainda o consome. Agora com Hannah e a história prestes a repetir-se, ele não deixa de se sentir responsável e afirma que não iria recuperar algum dia se Hannah morresse por sua culpa.

Dexter, ao encontrar-se novamente com Isaak consegue descobrir o possível paradeiro de Hannah, graças a uma videochamada, vê uma bola de baseball assinada por um jogador colombiano, o que pode significar que ela está numa casa de algum dos colombianos mortos por Isaak. Depressa recorre a Debra para ajudar a encontrar Hannah e assim deixar de ser vítima da chantagem de Isaak.

dex6Debra continua com o discurso de ciúmes, a dizer que ele nunca estará a salvo com uma mulher como Hannah, com uma assassina. Dex acha que os sentimentos de Debra estão confusos, afinal eles sempre foram a única coisa que cada um tinha, apenas puderam contar um com o outro a vida toda e então fazia sentido ela sentir algo por ele.

Apesar de não concordar com a relação de Dex e Hannah, Deb ajuda o irmão a encontra-la.

Hannah é uma mulher de armas e decide fazer o que sabe melhor: cozinhar com o seu tempero especial. Ao enganar facilmente o guarda-costas, acaba por matá-lo, mas não sem antes ela ser esfaqueada por ele. Entretanto Debra chega.

Por momentos pensou em deixar Hannah morrer ali e acabar com os seus problemas, mas apercebeu-se de que era errado, e tal como Dexter lhe tida dito, ela não iria viver com o peso na consciência. Decide então ajudá-la e chamar uma ambulância.

Entretanto, ocorrem uns estranhos acontecimentos. Vítimas de incêndios em sítios pequenos são encontradas, a primeira num carro e a segunda num elevador. Enquanto que a primeira é considerada suicídio, a segunda já levanta mais suspeitas. Dentro do elevador, Dexter repara que o queimado na porta forma uma silhueta, indicando que alguém estava a observar a vítima a ser queimada. O nome Bobby também está escrito no elevador. Não sei onde é que este mistério vai levar, mas o bombeiro que estava com Dexter no elevador não me pareceu boa pessoa…

Caffrey está na cena do crime, e aparenta estar a seguir Dexter. Isaak liga-lhe e diz-lhe para o levar até um navio.

Isaak está à espera deles no navio e com facilidade livra-se de Caffrey. Mais uma vez, Dexter é descuidado a livrar-se do corpo, apenas limpando o sangue do navio.

Tudo parecia ter acabado quando o desprezível George aparece e dá um tiro em Isaak. George nunca gostou de Isaak e esta era a altura perfeita para assumir o seu cargo, e não levar mais ordens de outros. Isaak pede a Dexter que o leve até onde ele despejou Viktor.

Numa emocionante despedida, vemos que Isaak não era uma má pessoa, na verdade só queria ser feliz ao lado da pessoa que amava. Ambos poderiam construir uma bela amizade. Mas Isaak estava nos seus últimos momentos e apenas afirma que Viktor valeu a pena por todos os problemas, e que Dexter deveria ser mais emocional, deixar-se levar. Por fim o vilão acaba por morrer e une-se então a Viktor no fundo do mar.

Não estava à espera deste desfecho para o personagem. Tréguas com Dexter, uma história emocional por trás dele. Foi de facto dos melhores vilões da série, se é que pode ser considerado um vilão. Surpreendi-me com esta storyline e restaurei parte da minha esperança com a série, a parte de escapar ao padrão e ainda ser capaz de surpreender.

Laguerta está cada vez mais perto de Dexter, apesar de não contar com a ajuda de ninguém, a capitã está a fazer um trabalho decente, que se não fosse a sua incompetência há anos atrás, já a poderia ter levado a Dexter na segunda temporada. Mas foram precisos cinco anos para ela chegar ao nosso protagonista.

Este episódio esteve muito melhor do que os anteriores, e satisfez-me imenso. Faltam apenas dois episódios para a season finale e é obrigatória uma qualidade elevada.

Nota: 9.3

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s