Bloco Comédia ABC #8


…:: Happy Endings (3×05) – P&P Romance Factory

DAMON WAYANS JR., ELIZA COUPEApós apresentar um bom episódio, Happy Endings retorna com um episódio bom, porém aquém do que fora apresentado anteriormente. O problema aqui é que as tramas não estão por ser constantes, fica claro ao telespectador os altos e baixos na qualidade do episódio e isto não está por ser um fator positivo para a série que já mostrou ser capaz de apresentar algo muito melhor.

O Pior

Sem nenhuma sombra de dúvida, os piores momentos deste episódio foram protagonizados por Max, Dave e Alex e uma história ridícula e sem graça sobre aperto de mãos. Reconheço a tentativa da série em nos entreter com algo simples, mas poderia ter sido feito algo melhor, mais cômico. No final me senti decepcionado, assim como estou decepcionado com Max nesta temporada, que está constantemente abaixo do seu nível de qualidade.

O Mediano

Penny fora protagonista dos momentos medianos do episódio. A garota maluquinha apresentou uma trama sem pé nem cabeça, mas que pelo menos nos gerou alguns momentos bacanas, apesar de não ter tido nada de grandioso.

Os romances instantâneos de Penny sempre nos apresentaram caras bacanas e sempre deixam a personagem em situações cômicas, porém acho que já está na hora desta apresentar algo um pouco mais rentável, ou um relacionamento mais sério. Não se enganem, adoro Penny, tudo o que estou buscando é para o crescimento da própria personagem.

O Melhor

Se você viu o episódio, eu não preciso estar aqui e lhe dizer qual fora o melhor momento do mesmo porque claramente você sabe exatamente qual momento estarei por citar aqui. Claro que estou por falar de Jane e Brad, que estiveram simplesmente maravilhosos neste episódio e que se este dependesse apenas desta trama, uma nota máxima estaria por vir a caminho.

A inversão de papéis no casamento, Damon Wayans Jr. apresentando sua possível Emmy Tape, Jane e os ‘caras’… Enfim, tudo o que aconteceu aqui mereceu cada sorriso amarelado que apareceu nos meus lábios. Ah, como que queria que as demais tramas tivesse tido apenas a metade de qualidade que esta apresentou…

Enfim, Happy Endings ainda não encontrou um foco, ou uma direção pela qual pretende seguir nesta temporada. As audiências estão por assustar e a série precisa urgentemente conseguir atrair novamente o público de sua temporada anterior. Bom, o interessante que desde a premiere até aqui houve um bom crescimento, agora só resta a série manter este crescimento constante e aí voltamos ter a série que tanto apreciamos.

Nota: 7,5

Audiências: A série deu uma subida, mas os números continuam alarmantes, alcançando apenas 1.3 na demo e 3.4 milhões de telespectadores.

…:: Suburgatory (2×07) – Krampus

tn-500_3Este começo de temporada conseguiu fazer o que nunca achei que conseguiria, que é renovar a série que se mostrou datada na reta final de sua temporada de estréia. Sempre achei a série promissora, mas ouso dizer que apenas agora esta está por alcançar o seu potencial e por aproveitar aquilo que de melhor possui.Este Winter Finale de Suburgatory fecha todo o ciclo desta primeira parte da temporada comemorando o Natal de uma forma agridoce, porém bela e feliz. Sim, gostei muito do que presenciei e quero mais, muito mais.

Para começar tenho que elogiar os destaques dados a Ryan e a Dalia, simplesmente ganharam o episódio com suas bizarrices e os seus comportamentos extremamente fora do comum. Começamos por Ryan que descobre que é adotado e possui uma crise de identidade incomum, ver o personagem se comportando como um animal selvagem fora hilário, sem mencionar as suas citações históricas sobre como tudo que existia era uma mentira. Gostei, não tem como não gostar dos momentos onde Suburgatory abusa das qualidades dos seus personagens, ou das bizarrices dos mesmos.

Mas o final que esta trama mostrou ter fora ainda melhor e mais surpreendente. Tessa e Ryan fazem um casal tão incomum, tão incomum, que quando percebi já estava por torcer pela união dos dois. Ryan é bizarro, porém ele parece ser o único que completa a parcela de bizarrice que Tessa possui. O beijo dos personagens no final do episódio me fizera comemorar tanto quanto Ryan.

Dalia foi soberba, deixando Rebecca Black no chinelo quando o assunto é produção de clipe e letra musical. Sério pessoal, não tem como não rir das várias facetas que a personagem faz durante o seu videoclipe para tentar reconquistar Carmen. No final acabamos por torcer pela personagem, por torcer para que esta ganhe Carmen de Natal e que Dalia volte a ser feliz com sua babá. Acredito que esta possa ser a história mais bizarra que já vi de Natal, mas também pode ser uma das mais inusitadas e inovadoras histórias que já vi sobre um assunto tão desgastado.

Gostei da mãe de Tessa, esta é praticamente uma Tessa adulta. Mas não posso negar, adorei quando Tessa percebeu que queria passar o Natal com o pai e não com a mãe, por mais semelhantes que elas sejam. O problema é que ainda há todo um desconforto nesta relação, tudo é ainda muito recente e Tessa, por mais que às vezes pareça ser bem mais velha, ainda é uma garotinha e necessita de seu forte, que no caso é George.

Este fora o estranho, porém encantador e cômico, Natal de Chatswin. Suburgatory reganhou o meu respeito e a minha admiração, e o melhor é que a série possui potencial para ir muito além e nos apresentar episódios ainda mais engraçados e significativos. Mas por enquanto é isso que temos e já estou muito satisfeito com o resultado que encontramos por aqui.

Nota: 8,5

Audiências: A série se despediu de 2012 com uma pequena queda, alcançando 2.2 na demo e 6 milhões de telespectadores.

2 thoughts on “Bloco Comédia ABC #8

  1. OMG! Novamente nossas opiniões batem e muito hahaha =D

    Mas eu adorei as partes da Penny também!
    Eu amo essa personagem, pqp viu, dão a ela alguma coisa simples e boba e ela consegue me arrancar risos exagerados *-* s2

    Porem o melhor foi Jane e Brad mesmo!
    PQP Brad estava triunfante e eu amei todos seus momentos ‘vadia’ kkkkk
    E oq foi esse porquinho? ownt *-* ;D

    Enfim, esse eps foi um dos melhores dessa 3ª temp. que está por ser mediana, só espero que ela encontre seu caminho logo e a audiência suba mais =D

  2. O que foi Dalia Rebecca Black? Foi a coisa mais hilariante, já entrou no top momentos musicais da série, apenas atrás de Dallas a dançar What Doesn’t Kill You Makes You Stronger!
    Gostei da mãe da Tessa, e criei muita empatia com George, que até agora nunca me tinha feito muita diferença, cheguei até a detestar as suas atitudes. Mas ele neste episódio esteve bastante bem, desde a sua interação com Tessa, ao seu envolvimento com Dalia, para fazer a nova enteada feliz.
    E o que foi a descoberta de Ryan? O personagem é fantástico e com Tessa cria um casal bizarro mas muito bonito, torço pelos dois!
    Suburgatory está a surpreender-me!
    xoxo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s