The X Factor USA 2012 – Live Shows/ Eliminations #1


Chegou a hora. O tão esperado momento de iniciar-se a verdadeira jornada dos participantes nos programas e de vermos se nossos favoritos são realmente bons e tem chance de ir longe, se os mentores farão as melhores escolhas e se os finalistas de todo o processo inicial realmente mereceram estar aqui. Vamos lá…

LIVE SHOWS

Paige Thomas

Foi uma performance boa. Nada mais. Como LA disse, a escolha de música não foi das melhores. Não demonstrou muito da sua capacidade vocal, sendo maquiada com uma boa produção e presença de palco – o que fez com que a performance não fosse ruim, mas não se destacasse.

Arin Ray

Arin, desiste. Estilo batido, sendo um clone de outros R&B que te deixam muito para trás. O exagero na produção também não ajudou nada, um erro cometido pela sua mentora. Como apontado por Demi, Arin não dançou bem o suficiente como alguém do seu gênero deveria fazer e também não paercia muito confortável. Provavelmente foi o fato de ter tantas dançarinas sensuais no palco para interagir com ele – o que para alguém da sua idade é algo fora de contexto, mesmo sendo habitual em apresentações de seu estilo musical – ou a própria coreografia preparada pode não ter ajudado. Lhe falta melhor presença de palco e técnica vocal. No topo de tudo, o barulho irritante das fumaças não ajudava em nada.

David Corey

Seus vocais são bons. Ponto. A escolha de música não foi boa, melosa demais e desinteressante. A colocação de Simon foi perfeita. O desespero de David em tentar conquistar a simpatia da platéia é evidente, o que tira parte de sua credibilidade e afeta seu caráter.

Sister C

Elas melhoraram. E até provaram ter merecido esse espaço entre os 4 que avançaram após a Judges’ Homes, impressionando um pouco. Mas suas vozes continuam não sendo muito agradáveis. E ao compará-las com os outros grupos, não vejo nenhum outro caminho a não ser eliminação.

Jennel Garcia

Ela fez o melhor que podia com a song choice e as diretrizes que Demi deu a ela. O que foi muito bom dentro de um cotexto geral, mas levando em consideração a Jennel que conhecemos foi apenas ok. Sim, seus vocais estavam ótimos. Mas essa não foi a Jennel que eu amo e que torço para chegar até a final – talvez até mesmo ganhar a competição. A song choice, de fato, não tinha nada a ver com aquela Jennel que vimos e apaixonou muita gente nas primeiras três fases do programa. Outra colocação perfeita por parte de Simon. Parece que Demi quer fazer da Jennel uma versão 2.0 de seu início de carreira, e isso não me agrada nem um pouco. Além disso, as colocações sobre as manias das danças de Jennel por parte da mentora perceptivelmente ainda mechem com ela, o que percebe-se através de seus movimentos travados. Errou feio Demi.

Diamond White

Ótima escolha musical, ótimo arranjo, ótima performance, ótima produção e um grande parabéns pra Britney. Diamond, vocalmente, pode fazer muito mais que isso, mas ela já havia provado isso anteriormente. O que sua mentora quis – e conseguiu perfeitamente – demonstrar aqui é que Diamond é divertida, carismática e consegue ter uma ótima presença de palco, que combina perfeitamente com sua personalidade extremamente dócil e simpática. Além disso, demonstrou que apesar de ser uma vocalista potente, Diamond sabe explorar seu talento e incorporá-lo em diferentes estilos musicais. Me surpreendeu, e fiquei extremamente satisfeito.

Vino Alan

O pensamento que mais passava pela minha cabeça – de fato, berrava em meu cérebro – era: “WTF LA?!”. Que coisa – para não ser desrespeitoso e usar palavras indelicadas – foi essa de Vino, VINO, fazendo uma performance melosa, pop barata, com dançarinos incentivando a platéia a bater palma… Sério LA. Sério. Pensa bem no que você fez. Por que Vino é talentoso, e canta muito bem. Não quero ver isso sendo desperdiçado.

Lyric 145

Ótima performance, ótima presença de palco, bom carisma por parte do grupo. Mas, eis LA fazendo um comentário pertinente. Música pop-chiclete demais para um grupo de happers como eles. A song choice poderia ter sido melhor. Tirando isso, nada a reclamar.

Cece Frey

Decepcionante define. Cece, cadê você. Cadê? O que Demi te fez? O que essa coreografia te fez? Que estilo Kesha é esse? Cadê a Cece que mesmo sendo meio bitch me conquistava? Concordo com Simon, eu espero ansiosamente por cada performance dela e seu espaço no show é importante. Por isso mesmo que a decepção foi tão grende. O único traço da Cece que eu percebi foi sua resposta às críticas vocais dos jurados. De resto, nada.

Tate Stevens

Country clássico. Não me agrada, mas foi muito bom. Demonstrou a ótima voz de Tate e explorou sua técnica vocal. Acredito que exatamente pelo fato de ser muito talentoso e carismático, gostaria de vê-lo fazendo algo mais inusitado, que fugisse do normal. Maz, fazer o que.

Beatrice Miller

Amo essa garota. Ela é carismática, destemida, determinada e não tem medo de demonstrar isso. Em questões de carisma, é a que mais se destaca dentre os teens, e também apresenta uma voz um pouco peculiar – o que se diferencia da potência de Diamond e Carly e do swag de Arin – e são grandes pontos a seu favor. Sua performance deixou um pouco a desejar vocalmente falando. E não é seu estilo musical, como ela própria apontou. Mas acredito ter sido uma escolha relativamente inteligente por parte de Britney. Demonstrou que Beatrice pode explorar seu carisma e sua boa presença de palco para fazer uma apresentação mais calma e sentimental. Não foi o melhor que Beatrice poderia nos apresentar, mas foi versátil e a presença de palco da garota foi convincente. Por isso, ponto positivo para as duas.

Jason Brock

Ao contrário de muita gente, eu gostei. Sim, a song choice poderia ter sido melhor, sim, foi exagerado e de certa forma brega, como Simon subentendeu em suas críticas. Mas eu acredito que sua voz combinou com a música e, sinceramente? Olhem para a cara do sujeito, para o jeito como ele age, e a pergunta que ele fez para Mario Lopez após sua apresentação. Agora me digam se algo exagerado, relativamente brega e escalafobético é fora de contexto vindo por parte dele. Tudo que LA fez foi explorar a personalidade excêntrica e peculiar de Jason, ressaltando a mesma. Pode ter sido exagerado, mas não acredito que tenha sido um direcionamento totalmente errado.

1432

Dispenso o comentário em relação ao nome do grupo. Quanto à performance… O primeiro verso ficou meio fora de harmonia mas a partir do refrão o nível da performance subiu e as garotas entraram em sintonia. Vocalmente falando, não foi o melhor delas. Mas gostei da song choice, que se distanciou bastante da única música que já havíamos as visto cantando antes e foi uma performance divertida. Foram bem, mas poderiam ter feito melhor. O potencial demonstrado na Judges’ Homes não foi totalmente aproveitado aqui.

Willie Jones

Entendiante. Música sem sal e simplória. Muito aquém da pessoa que vimos na sua audition – e que só piorou desde então. Nenhum clímax. Zero de potência vocal. Parei por aqui.

Carly Rose Sonenclar

Diversidade é um fator-chave numa competição musical. Sem ela, ótimos participantes – como, por exemplo, Drew, da 1ª temporada de The X Factor que assim como Carly era bem nova, tinha uma voz impressionante para sua idade e cantava músicas mais calmas – podem acabar sendo eliminados por conta do público ficar enjoado daquela repetição de estilo musical sem fim. Carly sempre demonstrou talento, mas esse fator do ciclo vicioso de estilo musical sempre me preocupou com relação à garota. Britney veio essa semana – assim como quis fazer com Beatrice – explorar um lado diferente daquele que Carly pretende seguir, para mostrar ao público que sua pupila com maior potencial de vecendora pode sim ser versátil. Foi uma boa idéia, numa hora ruim. Era penas o primeiro Live Shows, e Carly não pareceu se sentir extremamente a vontade com a song choice de Brtiney nem com o cenário idealizado pela mesma. Os vocais de Carly foram ótimos, embora ela não tenha conseguido convencer muito bem que estava conectada com a música e se divertindo. Ainda assim, gostei da idéia da Britney e acho que ela deveria repensar em algo assim mais a frente.

Emblem 3

De longe os melhores da noite. Eles são talentosos, criativos, fazem as garotas irem à loucura e apresentam uma boa formação – o com swag de bad boy (Drew Chadwick), o boa-praça (Wesley Stromberg) e o irmão mais novo tímido (Keaton Stromberg) – para conquistar a simpatia de parte do público. O único problema é que algumas pessoas o acham arrogantes. E é ai que Simon foi extremamente feliz. Chamando a atenção dos mesmos por conta do comprometimento na Judges’ Homes e nos ensaios, sendo duro com eles e agora escolhendo uma música com uma boa mensagem esperançosa, com uma produção de palco simples que se focava em apresentar imagens que representavam esperança e amor. Assim, o jurado conseguiu amenizar parte dessa arrogância que – assim como parte do público, eu – acreditavam existir. Cantaram muito bem, tiveram uma ótima presença de palco conseguindo contagiar e animar a audiência e demonstraram que realmente amadureceram e  adquiriram mais comprometimento. Além disso, foi bom ver o irmão mais novo participar mais um pouco da música, ao invés de limitar-se a backing vocals como vinha fazendo anteriormente. Se continuar neste caminho, ficarei surpreso caso eles não cheguem à final.

Os Melhores: Emblem 3, Diamond White, Lyric 145, Jennel Garcia

Os Piores: Willie Jones, Cece Frey, Arin Ray, Vino Alan

ELIMINATIONS

Depois dos inúmeros erros e decepções ocorridos no primeiro Live Shows, está na hora da “machadada” final. Aqui os mentores tomam sua última decisão definitiva e a última leva relativamente grande de participantes é eliminada, com a votação do público e a eliminição semanar singular começando a partir da semana seguinte. Como tivemos grupos onde houveram vários erros e decepções – como o da Demi, onde só Jennel se destacou – e outros onde ninguém se saiu mal – como Simon e seus grupos – estava difícil adivinhar quem seria eliminado.

Young Adults

O bottom 2 escolhido por Demi foi Cece Frey e Willie Jones. Por um momento fiquei com medo de Demi cometer uma burrada e mandar Cece embora, mas depois da apresentação de ambos fiquei mais tranquilo, já que diminuiu ainda mais a possibilidade disso acontecer. Cece se distaca de outros participantes, tem um estilo único – que embora cante pop como Paige, tem suas diferenças, principalmente na personalidade – e merece uma vaga na competição. Já Willie só piorou desde suas auditions e é facilmente superado por Tate Stevens e Sister C no terreno country.

Over 25’s

A decisão ficou entre Jason Brock e David Corey. Nada mais justo. São dois participantes com potencial, mas que não haviam dado o melhor de si no primeiro live shows. LA salva Jason, o que me deixa feliz, já que acho que assim como eu, o público não fazia mais questão de ver David falando sobre a história da sua mãe biológica e tentando fazer pose de bom moço.

Teens

Estava óbvio que Arin Ray estaria no bottom 2. Restava saber qual ótima concorrente Britney colocaria ao lado dele. Foi Diamond. Ok, aceitável. Afinal de contas, Arin ia perder mesmo. Ou não. Eu simplesmente não pude acreditar nos comentários de Demi, Simon e LA sobre a necessidade de Arin continuar na competição e após a apresentação de Diamond, o único que desmintiu essa prepotência atribuída a Arin foi Simon, o que eu acredito que tenha sido o principal fator decisivo que levou Britney a fazer sua primeira grande burrada no programa. Não que o fato dos comentários dos outros jurados sejam uma desculpa para ela ter eliminado Diamond, pelo contrário, ela demonstrou ser influenciável.

Groups

Novamente, duas coisas já estavam óbvias: Emblem 3 estava salvo e Sister C iria para o Bottom. Simon escolheu 1432 para enfrentá-las. Decisão justa. E ultimato também. 1432 pode não ter dado o melhor de si no primeiro live shows, mas como seu próprio mentor reforça, o grupo foi formado a pouco tempo e as garotas tem muito potencial, o que mais que justificou a permanência delas na competição sobre as Sisters C.

~>  Considerações Gerias Finais:

  • Como havia dito anteriormente, a partir daqui teríamos noção se Britney e Demi serviriam ou não como mentoras. A conclusão a que chegamos até então é que Britney é melhor mentora que Demi, mas no quesito jurada, a cantora pop deixa muito a desejar. Enquanto Demi faz boas colocações e críticas em relação às performances, Britney se limita a fazer comentários simplórios e maquineistas. Já como mentora, Demi não fez jus a seus pupilos nessa primeira semana, principalmente a Cece e seu potencial, enquanto Britney só errou por completo com Arin. Simon continua excelente como sempre. Se fizesse parte da platéia, iria leventar e apaludir seus comentários, suas críticas e as diretrizes que ele tomou para seus grupos. Já LA continua metido, fazendo caretas, e sem dar o braço a torcer como sempre – seja na hora de receber crítica sobre as péssimas song choices ou dar o devido elogio a participantes de categorias concorrentes. Ainda não entendi por que ele continuou no programa. Espero que ano que vem saia.
  • Uma palavra que define essa primeira semana de live shows do The X Factor: decepcionante. Poucos participantes fizeram jus ao potencial que haviam demonstrado anteriormente, e em grande parte dessas ocasiões a culpa foi de seus mentores.
  • Existem certos apelos baratos que The X Factor poderia dispensar. Muitos dizem não gostar do reality por ele ser o menos “sério” daqueles que são produzidos nos EUA. Faz muito tempo que não assisto American Idol, mas em relação a The Voice, posso afirmar que isso é verdade. O que não torna X Factor inferior. Eu, por exemplo, abandonei The Voice nessa temporada após o fim das Auditions e só irei voltar a ver o programa agora nos live shows, por que não aguento mais a enrolação e as mesmas implicâncias e brincadeiras de sempre entre os jurados, que ocupam 1/3 ou mais do tempo que o programa tem de tela.
  • Já The X Factor, embora seja mais povão e sensacionalista, eu continuei assistindo, com um sorriso e um gostinho de quero mais a cada semana. Colocar uma apresentadora secundária, porém, para ganhar 1 milhão de dólares por poucas semanas de trabalho e limitar-se a exibir sua bunda, seu decote, e rir toda hora feito idiota para a câmera e esperar sua vez de falar após seu companheiro muito mais experiente terminar, é completamente dispensável. Se queriam ter dois jurados, que deixassem Khloe Kardashian apenas no backstage enquanto Mario Lopez tomava as rédeas do programa. O mesmo que digo sobre Kardashian digo sobre os efeitos e as brincadeiras de hallowen: toscas e dispensáveis. Se o programa evitasse algumas características como essas, ele poderia continuar sendo mais divertido, sensacionalista e espontâneo que seus oponentes, sem perder credibilidade e respeito por parte do público, que iria aproveitar os grandes aspectos positivos que o programa tem a ofrecer, aumentando a audiência do mesmo – coisa que The X Factor precisa mais que nunca.
  • Steve Jones não era exatamente o host favorito de todos nós, mas, pelo fato dele estar presente no programa desde as auditions, a essa altura ele já demonstrava ter uma melhor conexão com os participantes. Espero que daqui para frente isso melhore em relação a Mario Lopez e Khloe Kardashian.

É isso. Daqui para frente é torcer para que as coisas melhorem, e que alguma luz ilumine a cabeça dos mentores para que eles aprendam com seus erros nessa decepcionante primeira semana.

OBS: Todas as imagens das apresentações dos Live Shows redirecionam para o vídeo das mesmas no youtube.

3 thoughts on “The X Factor USA 2012 – Live Shows/ Eliminations #1

  1. Não quero saber do grupo de LA, eles não tem chance de ganhar, e de Britney só gosto de Carly. As categorias de Demi e Simon são as melhores. Os meus favoritos são Jennel, Cece, Emblem3 e LYLAS 1432 312312424134 crise de identidade.
    Mas na minha opinião, todas as performances foram fracas, acho que os júris ainda não conseguiram captar o que há de melhor neles. Mesmo assim destaque para Jennel e LYLAS (recuso-me a chamar 1318382834286). Skyscraper foi das melhores performances da semana. Há muito que trabalhar ainda na dinâmica e na química do grupo, mas as meninas vão longe. Prevejo a nova sensação dos US.
    XOXO

  2. Dona ou dono desse site, vc fez uma coisa errada em falar de david pq vc ñ sabe o que é ser adotado e ele ñ tava pagando de bom moço pq ele é e ñ precisa fingir. THE END

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s