Revenge (2×06) – Illusion


“If we choose to, we can live in a world of conforting illusion. We can allowe ourselves to be deceived by false realities or we can use them to hide our true intentions”

Um pouco diferente dos demais episódios, onde muitas perguntas surgiam ao ar e poucas respostas vinham como retorno, “Illusion” dá um passo ousado, começando a desenterrar alguns cadáveres, mesmo que sejam de lugares nada comuns como um frigorifico.

O grande evento dos Hamptons está para acontecer e ninguém melhor que Victoria e Conrad Grayson para fazer jus a ocasião, numa nada espontânea renovação de votos de casamento. Enquanto isto, sua vizinha Emily prepara o álibi com Amanda, tudo isto porque Mason voltou com a corda toda, tentando a todo custo descobrir a verdade por trás do maior escândalo do balneário. Nossa Lady Vendetta fará de tudo para impedi-lo, a começar por forjar laudos e consultas médicas da suposta remoção da queimadura nas costas de Amanda. O interesse aqui não é somente para arrancar as suspeitas do bisbilhoteiro jornalista e sim em implantar uma novo culpado: Gordon Murphy.

Eis então que numa ardilosa jogada da protagonista, contando com a ajuda de seu novo aliado Aiden, Emily remove o corpo de Gordon do congelador, sem esquecer claro em recuperar a arma do crime. Toda esta estratégia tem um porque quando Mason, após Amanda incitá-lo durante a conversa, bate a porta do trailer do velho de cabelo branco. O que ele esperava ser uma promissora conversa, se transforma num show de horror quando se  depara com o corpo do homem já a feder devido a exposição, mas aqui o que realmente lhe deixa curioso é um anel jogado no chão com as inicias CG, mesmo anel que Conrad entregara a Victoria como uma lembrança da primeira união dos dois.

Enquanto as coisas caminhavam para uma virada surpreendente, Victoria surgia estonteantemente deslumbrante em seu Vera Wang acinzentado a caminho do altar, onde seu novamente marido Conrad a aguardava com o mais belo sorriso (Troféu Mr. & Mrs Poker Face pra esses dois lindos). Aiden marca presença após o convite ilustre da família, porém é Emily que chama a atenção com seu fatal vestido vermelho ao lado do galente inglês, casal um tanto inesperado aos olhares de Daniel e Ashley, principalmente do primogênito, a considerar seu histórico com a Ms. Thorne.

Deixando tudo engatilhado enquanto toma uns bons drinks, Emily consegue avançar com a mais nova etapa de seu plano, pois após atrair Mason para o trailer, agora é só aguardar a ação da polícia, esta que já iniciava na mansão a busca por evidências, que se juntarão ao anel, incriminando Conrad Grayson pela morte de Gordon Murphy. Aqui o ditado popular faz jus, afinal quando a esmola é boa demais o santo desconfia e é assim que acabam por encontrar a arma do crime largada dentro do porta malas de Conrad. Emily, Emily, you’re a bad bad girl.

E é assim que a valsa do ano é interrompida, com Conrad rendido na frente de todos os convidados e até mesmo de Victoria, que por mais que quisesse presenciar este momento, fica sem entender o que pode ter acontecido. Se as tensões entre o casal já estavam nos limites da tolerância, agora o Papa Grayson considera mais uma vez que sua querida esposa teve algo a ver com mais esta armação. Suas dúvidas logo se dissipam quando a mulher da Iniciativa o visita na prisão, visita a qual traz consigo uma proposta, não indecente, mas bem obscura, que obriga o patriarca a aceitar, mesmo sem saber aonde pisa, o que ele mesmo diz a Victoria quando é liberto da prisão: “Só saberei o que terei que fazer quando for tarde demais”.

Mesmo com a escorregadia soltura de Cornad, Emily conseguiu livrar-se da sombra de Gordon, porém é sua mãe agora que começa a mostrar certas coisas, mesmo que tente a todo custo ocultá-las. Kara que recentemente foi convidada por Victoria a hospedar-se na mansão, acaba por descobrir sobre a morte de seu grande amor, o que ironicamente, mesmo não sendo verdade desta vez, coloca os Grayson como causadores do extermínio dos dois homens de sua vida. Victoria novamente age com astucia ao identificar somente pelo olhar de Kara que ela de certa forma pare afetada com a morte do homem que aparentemente a sequestrou. O que ela vê é um olhar familiar, que simboliza o luto e a perda, algo que ela mesmo sentira quando perdera David anos atrás. Concluindo a relação entre Kara e Gordon, poderíamos até dizer que serve como um clássico exemplo da “Síndrome de Estocolmo”, onde a vitima se envolve/identifica pelo sequestrador, mas neste caso Gordon está mais para Caçador e Kara para Chapeuzinho Vermelho, considerando a compaixão que ele teve por seu estado, impedindo-o assim de executá-la.

O papel de Aiden na vida de Emily agora ficara muito claro, mas até onde o relacionamento dos dois, mesmo que conturbado, poderá vir a ser útil a trama? Considerando que todas as vezes que a protagonista baixou a guarda, deixando seu coração falar mais alto, acabara por desviar de seu curso, além claro de fragilizar seu já destroçado coração. O sentimento do inglês parece evidente, principalmente na forma com que ele a ajuda sem exitar, mas agora o circulo se fecha cada vez mais para Emily e se ela achara que o inicio do fim de Mason Tradwell estava a chegar, hum diria que se enganou mais uma vez.

Mason que voltara para o balneário no momento mais intenso e crucial, tem agora mais uma informação valiosa que o ajudara em sua incansável jornada pela verdade. Numa conversa casual com sua inimiga Queen Bitchoria, o jornalista acaba por dizer o quanto senti por Daniel ter rebaixado o padrão ao escolher alguém como Ashley, considerando que esteve noivo de Emily Thorne. O que ele não esperava era ouvir da megera que a garota dos sonhos da casa a frente tem um passado bem obscuro, passado este que envolve alguns anos num reformatório.

Ilusões Versus Realidades

– Agora que Jack retomou as suas atividades com o bar, como será a influência do nitidamente mau-caráter Kenny, este que ganhara até um brinde de agradecimento por ter reestruturado o estabelecimento? Logo mais ele terá que mostrar sua verdadeira face e isto não será nada bom para os sempre tolos da família Porter, ainda mais agora que o bom coração de Jack resolveu falar mais alto ao propor Amanda em casamento.

– Nolan finalmente confrontou Padma a respeito de seu nariz intrometido nos assuntos relacionados a David Clarke mas mesmo com seus alertas de que ela não sabe quão perigoso é este ninho de vespas, algo ficou jogado no ar, pois seu jeito ingenuo de quem não imaginava as coisas ainda não convence.

– Conrad se colocou novamente a disposição da Iniciativa e para seu desespero e de Victoria, ficarão com a coleira amarrada, esperando o sinal do poderoso grupo. Estaria vindo aí uma tormenta pior do que a do acidente aéreo?

– Mason monta um quadro ala CSI, onde linhas vermelhas se entrelaçam entre as principais personagens do jogo, mas o que mais chama atenção é a ligação evidente que ele poderá fazer entre Amanda e Emily. Será que Emily limpara totalmente seus registros, pois a considerar que Frank descobrira o local que ela ficou, fica evidente que talvez não fora a melhor estratégia ter revelado que Emily já fora uma adolescente problemática.

Audiência: Sem grandes alterações, Revenge mantêm-se na média de 2.7 rating e 7.97 milhões de telespectadores.

One thought on “Revenge (2×06) – Illusion

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s