Revenge (2×05) – Forgiveness


“They say let he who is without sin cast the first stone and to be without sin requires absolute forgiveness but when your memories are freshly open wounds, forgiveness is the most unnatural of human emotions”

Acho que este foi o episódio mais emocionalmente carregado para Emily, não só pelas consequências de seu ato envolvendo aqueles que ama, se é assim que podemos dizer. É questionável dizer após tantas inconstâncias  se Emily um dia conseguirá entregar-se a algo por completo, principalmente o amor, sentimento mais vulnerável dentre todos, não digo só amor a um homem, mas das pessoas ao seu redor, mesmo que não tenha ninguém aparentemente.

A aparição de Kara Clarke sacode os ânimos de todas as personagens e acho que ninguém está são e salvo nesta, considerando que a transloucada está por esconder várias cartas na manga, umas delas inclusive é recém descoberta: foi casada com Gordon nos últimos vinte anos, ou seja, seu padastro tentara te matar também, olha que coisa boa.

Apesar de meio desconfiada com sua presença, acho que agora deu pra perceber um pouco do papel de Aiden nesta nova etapa, pois para além de ser a paixão mais recente da protagonista, carrega a responsabilidade de colocá-la sempre de volta no caminho de seu plano, função esta que Nolan não conseguira exercer por completo anteriormente devido a seu envolvimento pessoal. Desde que recebera o aval de Takeda para pousar no Hamptons, o misterioso inglês mexe suas peças e logo se aproxima da Grayson Global, afinal o dinheiro do japonês ricaço pode vir a ser novamente investido, valendo lembrar das tentativas mesmo que forçadas para Daniel conquistar Takeda como cliente na temporada anterior.

Exigindo transparência total nas atividades e ações da empresa, Aiden começa a ter livre acesso dentro do escritório, principalmente com Daniel, que parece sentir-se a vontade com ele, o que os levou inclusive para um Happy Hour junto com Ashley. Tudo começa a fica muito estranho quando alguém solicita a revisão do contrato empregatício de David Clarke, o que podia parecer ser obra de Kara, mas ela não levantaria tantas suspeitas logo após seu retorno.

Kara Clarke dá o passo mais arriscado que poderia, mas como já sabemos que de besta ela não tem nada, o que acaba por fazer se transforma em mais um movimento de sua agenda, afinal ninguém em Revenge trabalha sem uma. Mamma Clarke aparece como uma assombração na mansão dos Grayson e para espanto da geral, as duas mulheres de David Clarke trocam o abraço mais bizarro  do universo – quão brilhante foi o caminhar em slow motion e a cara de espanto da matriarca coma  tesoura de jardim na mão – tudo parte do espetáculo obviamente.

Com a falsidade rolando solta, as duas desabafam a respeito de Gordon afinal ambas foram vitimas – cof cof –  do homem de cabelo branco. Conrad recebe mais uma noticia terrível, questionando o porque de Gordon por não ter dado o sumiço em Kara como achava que tinha feito, porém ninguém imagina o que realmente aconteceu entre os dois no passado até os dias de hoje, muito menos que o velho albino já foi desta pra uma pior.

Mesmo que por um breve momento, foi maravilhoso que este episódio marcou o reencontro Nomily, afinal os bests andavam meio afastados e desde a engraçada estada dele na casa dela, não presenciamos muitos momentos deles juntos. Nolan aparece subitamente após descobrir por Jack que a mãe de Amanda está no balneário, ou seja, ele que sempre estivera do lado dela parece ter sido deixado de lado, o que lhe faz relembrar a ela que seu pai falecera, o que deixa Emily muito triste pois esteve tão mergulhada em suas coisas que não pode oferecer a ele conforto, como muitas vezes tentou dar a ela, mesmo que tentasse se esquivar disto.

Nolan ainda terá que lidar com a intervenção de Padma, sua CFO e agora amante, considerando que os dois se enroscaram enquanto desbravavam os bens do Papa Ross. Tal visita ao galpão revelou a existência do cheque (agora liquidado) que David Clarke enviara a Nolan para que ele começasse sua empresa. O riquinho acaba percebendo o item colocado num quadro em seu escritório, o que logo em seguida é revelado a ele através de Emily que fora Padma que solicitara o contrato de Clarke para a Global Grayson.

Aqui ficam algumas hipóteses: este interesse  seria somente devido a seu posto como CFO, a considerar de onde o investimento inicial da NolCorp; estaria ela trabalhando para alguém ou a moçoila que encantara Nolan teria sua misteriosa agenda a seguir?

O momento da verdade chegou: Amanda sai do coma. Podíamos até pensar que a loira falsária mamãe de primeira viagem teria alguma sequela do seu “rolling in the deep”, mas pelo visto optaram por deixar a história mais no chão e não tanto no clichê que já estava após a queda. A emocionante apresentação acontece, colocando o pequeno Carl pela primeira vez nos braços de sua mãe. Logo em seguida surge Emily a cumprir com seu papel de madrinha e conturbada amiga, mas o motivo também da visita é pra pedir desculpas, pois no fundo se senti mal por colocá-la nesta posição.

Revenge tem um excelente recurso que é seu “elemento surpresa” e desta vez temos o retorno de alguém de extrema importância para a trama, porém antes de colocá-lo nos holofotes novamente, eis que o momento mais aguardado da temporada até então ocorre: o encontro entre Kara e Emily, mesmo que esta não tenha a minha ideia da troca. Saindo um pouco do covil dos Grayson, Mamma Clarke reaparece no hospital para aquele que seria o primeiro encontro creepy do episódio.

Emily por respeito ao momento de Amanda com o filho havia deixado o quarto, porém se já não bastasse ter sido atormentada por memórias de sua infância no hospital, acaba por avistar no corredor próximo ao quarto de Amanda a mulher que sempre acreditou estar morta, a mulher que recentemente lembrava que tentara tirar sua vida, ou seja, vemos a protagonista vestir mais uma vez sua mascara estando cara a cara com sua mãe. Realmente foi triste vê-la a perguntar como Amanda era quando criança, ouvindo das palavras de Kara a visão que tinha dela, que estava ali na sua frente.

O elemento surpresa antes mencionado leva o nome de Mason Tradwell, o jornalista/escritor mais badalado dos Hamptons finalmente retorna, desta vez mais decidido a investigar a aparição súbita de  Kara Clarke, diretamente do mundo dos mortos, dando sequência ao ocorrido com Victoria Grayson algumas semanas antes. Aqui só faltou a própria Bitch para causar ataques cardíacos em todos na cena, afinal a teia agora voltará a ser tecida pela aranha que perdera todo seu legado pessoal e biográfico, mas que nunca poderia perder sua memória e ambição em descobrir a verdade por trás das famílias Clarke e Grayson. Seu olhar atento as costas de Amanda, quando a vê se levantar da cama usando somente a camisola do hospital, mudará o rumo de ttudo daqui pra frente.

Brincando com o fogo, Emily decidi dar carona para Kara até a mansão dos Grayson, o que proporciona o segundo encontro creepy do episódio.  Tentando manter o foco na estrada, a protagonista se vê no mesmo ambiente fechado que sua mãe, esta que durante vinte anos sentira falta mas que agora enxerga como uma ameaça, principalmente após recobrar certas coisas do fatídico episódio na praia.

“She didn’t recognize me. I really thought she would”

“Can’t imagine how that must feel”

O caráter de  Emily fala mais alto fazendo-a abrir mão de sua artimanha quando decidi contar para Amanda que o bebê é mesmo de Jack e ela só mentira pois sentia que desta forma conseguiria mantê-la mais do seu lado. Amanda escolhe também o momento para agradecer tudo que ela tem feito por ela e o bebê, mas que também senti muito por ter seduzido Jack mesmo sabendo indiretamente dos sentimentos de Emily por ele. Com esta proximidade a morar no mesmo teto mesmo que provisoriamente, as duas conseguem se entender melhor, inclusive a Lady Revenge diz que se preocupa com o perigo que Amanda e o filho correm agora que Kara voltou.

Admitir para si mesmo um dos piores momentos da sua vida já sabemos que é dolorido por demais, porém quando compartilhamos com alguém esta dor, parece que o peito vai explodir, afinal por mais que não é sabido certas coisas, quando a verdade emerge de uma vez por todas, tudo fica mais claro e é assim que Emily acaba se sentindo ao contar que sua mãe tentou matá-la quando era pequena.

Kara se mostra deprimida com o encontro com a filha, porém entende o vazio que ficara entre as duas, ainda mais depois de tudo que acontecera. Tentando recompensar o primeiro encontro, Kara aparece na casa de Emily para conversar novamente com Amanda e é neste momento que é colocado em questão o perdão, mas vale lembrar das sábias palavras de Emily na abertura do episódio, a dizer que para alguém que possui tantas feridas abertas, este ato tão humano para alguns, torna-se impraticável para outros. Com Emily a escutar por de trás da porta, Kara tenta de alguma forma explicar tudo que acontecera, começando pelo acordo que ela e David fizeram ao escolher dizer que ela tinha morrido, tudo isto para proteger Amanda ao invés de adotarem o status que a mãe fora internada num hospício por simplesmente tê-la matado, o que efetivamente  fez, senão fosse o pai a salvá-la, levando imediatamente ao hospital.

O perdão é concedido, até porque Amanda age por impulso no momento da emoção e desabafo de “sua mãe”, mas o que realmente aprofunda mais esta história é o perdão efetivo de Emily, se é que este um dia será proferido por ela. A protagonista entende o que sua amiga fez no momento da conversa, mas inevitavelmente se vê absorvida em pensamentos e confusões, ou seja, novamente a protagonista se encontra num mar com a água até o pescoço, onde qualquer movimento em falso arquitetado por seu fragilizado coração, poderá colocar tudo a perder. Aqui fica evidente o papel crucial de Aiden, pois ele precisará balancear o que por razões obvias relacionadas a presença de Kara, Emily não conseguirá por agora.

A cena final mostra Mason procurando Amanda para depositar nela todas suas desconfianças, além de evidências de que ela nunca poderia ser a verdadeira Amanda, filha de David e Kara, a começar por não ter a cicatriz de infância nas costas. O que será que ele entregou para ela? Quais peças do quebra-cabeça ele conseguiu coletar?

O busca insaciável pela verdade do jornalista será a nova pedra no caminho de Emily e também dos Grayson, afinal quando se livram de um obstáculo, a tendência foi sempre colocar outro no lugar e isto não podemos reclamar, porque é desta forma que o jogo fica mais enigmático.

Bom acho que esqueci de falar dos Porter não? A única novidade é que o bar voltou a funcionar após eles fizeram um acordo milagroso com o tal cara que tanto os ronda querendo o dinheiro dos itens que Declan roubara de sua casa.

Acho que é isto, que venha mais e mais, porque por agora esta segunda temporada está muito bem amarrada, dando possibilidade para novos embaraçosos e tramóias….

Audiência: Apesar dos conflitos entre o perdão e vingança de Emily Thorne aka Amanda Clarke, Revenge continua sem grandes mudanças, atingindo 2.7 no rating e mantendo a média 8.18 milhões de telespectadores.

One thought on “Revenge (2×05) – Forgiveness

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s