Revenge (2×02) – Resurrection


Não há limites para Revenge. Isto é um fato que a série persiste em nos lembrar desde o momento em que decidiu ser mais madura e mais centrada, a vingança liderada por Emily gera grandes reviravoltas, nos deixa imensamente ansiosos e sabe fazer um dramalhão como poucas séries da atualidade conseguem. Talvez esta potência, esta qualidade, seja resultado do desenvolvimento e da força das duas personagens principais, Emily e Victoria, ou talvez seja apenas resultado de uma junção de eventos, de um bom roteiro e de boas atuações dos principais atores da série, mas acredito que seja a união de todos estes elementos citados acima em uma sincronia crível que dá a Revenge o formato que a série possui. Sendo assim, não preciso dizer que tivemos mais um ótimo episódio desta fantástica série.

Ressurection fora um episódio decisivo da série, conseguiu nos apresentar, de uma forma mais explicita, o que podemos esperar para o restante da temporada. Haverá conflitos cada vez mais difíceis de ser enfrentados, haverá reviravoltas nunca imaginadas e a série continuará por nos surpreender a cada episódio. Ao menos fora isso que consegui identificar ao assistir os três episódios iniciais desta temporada, mas aqui estarei por apenas comentar o segundo episódio, que fora responsável por grandes reviravoltas e por nos surpreender com o rumo que a série está por tomar.

Conrad, Daniel e Charlotte são os personagens que mais mostraram um crescimento neste começo de temporada. Conrad continua com seus planos, sua ambição em busca do poder e fará o que for necessário para não se desprender do status que possui, Daniel continua indo e vindo, porém de uma forma mais consistente, alternando sua lealdade a memória da falecida mãe e seu pai, porém neste episódio a lealdade de Daniel fica com Charlotte, que continua por ser manipulada pelo seu médico e acusada de estar por usar drogas novamente. Os planos de Conrad são simples: tomar o controle da herança de Charlotte e usá-lo para suprir os cofres da empresa, tornando assim as mudanças que este fizera na margem de lucro da mesma valida. Daniel até tenta impedir, após ser influenciado por Emily, mas não consegue sucesso.

Com o roubo de sua herança, Charlotte fica sem um dólar em sua conta bancária, para desespero de Victoria. O destaque dado a Charlotte neste inicio de temporada apenas mostra que a personagem tem potencial para ser bem mais interessante do que fora na temporada anterior, onde ficou presa a uma trama adolescente que apenas prejudicou a série. Interessante a forma com que Charlotte está por desenvolver um relacionamento mais profundo com Emily, nos fazendo aguardar pelo momento onde esta revelara que é sua verdadeira irmã, mas isto está longe de acontecer, principalmente quando Emily está por tentar aproximar Charlotte de Amanda.

Por vezes acho que Emily não é humana. Ou esta possui uma capacidade incrível de controlar os seus sentimentos. O jeito frio com que esta introduz sua verdadeira irmã, Charlotte, a Amanda e a forma com que esta está por manipular aquelas pessoas que apenas desejam o seu bem estar, por vezes penso que Emily consegue ser pior do que Victoria, ou ao menos chego a pensar que o páreo é bem complicado. Porém, em alguns momentos, Emily deixa sua fragilidade exposta e esconde de Amanda o verdadeiro resultado do teste de DNA. Muitos podem dizer que Emily fizera isto para poder controlar Amanda em uma coleira mais curta, para ter algo para chantagear a personagem, porém não acredito, acredito que isto fora feito no impulso, uma mentira contada pelos sentimentos da personagens por Jack e não pelo seu desejo de vingança.

Apesar de Emily sempre apresentar ótimos momentos, Victoria consegue controlar a série de uma maneira que nenhum outro personagem é capaz. A vilã consegue manipular todas as pessoas ao seu redor até consegui o que deseja, não há limites para o que esta mulher deseja fazer. Após ordenar o assassinato de Emily por esta saber de sua sobrevivência, Victoria vê todos os planos que possuía serem destruídos por Conrad e encontra-se encurralada pelo homem de cabelo branco, sofrendo riscos de realmente ficar morta. A frieza da personagem e sua ganância por poder fazem esta jogar pesado, Victoria recorre a Conrad para poder salvar sua vida e se livrar da encrenca que se encontra.

A estratégia de Victoria fora brilhante. Forjar um seqüestro, colocar o rosto do homem de cabelo branco em rede nacional, sendo procurado pelas principais agências americanas, e ainda sair como vitima de toda esta história. Claro que para isso precisou levar uns tapas de Conrad, mas ao final esta conseguiu o que queria e encontra-se novamente sendo a Rainha de Hamptons e seu novo reinado promete ser ainda pior do que o anterior. Não era esperada a revelação da sobrevivência de Victoria para este episódio, mas ela é mais do que bem vinda, pelo menos não enrolarão com esta trama pelo resto da temporada.

As demais tramas que o episódio nos entregou poucas funções tiveram. Nolan nos apresentou uma nova personagem, possível interesse amoroso do personagem, mas que ainda não demonstrou a razão pela qual existir. Mas estamos falando de Nolan e suas tramas, mesmo que não tão importantes, são sempre um prazer de acompanhar devido ao sarcasmo e a personalidade única do personagem.

Já o núcleo Porter da trama não consegue melhorar, continua por o calcanhar de Aquiles de Revenge. Os personagens simplesmente se perdem em tramas desnecessárias e mostram os mais fracos desenvolvimentos da série. Amanda e Jack formam um casal sem química e sem enredo, Declan está predestinado a ser protagonista de tramas aborrecentes.

Os minutos finais do episódio foram o clímax do episódio, tanta coisa aconteceu e grandes revelações foram nos dada. O homem de cabelo branco faz uma visita a Emily e acaba por fazer algumas revelações, como o fato de que Victoria havia ordenado o assassinato de sua mãe, porém esta encontra-se viva e pode ser a peça que Emily necessita para provar a inocência de seu pai. Mas o homem de cabelo branco não fora visitar Emily apenas para lhe contar tais fatos, ele também fora com a intenção de lhe tirar a vida e só não consegue tal feito porque Aiden chega no momento e consegue impedi-lo, tirando a vida do mesmo.

Ou seja, fora um episódio que desenvolveu excelentemente a trama e conseguiu nos deixar ansiosos pelo que viria a seguir. Este efeito está por ser uma característica de Revenge, a série se mostra cada vez melhor, cada vez mais intrigante e misteriosa, provando que é muito mais do que apenas uma sensação de momento.

Audiências: A série sofreu uma pequena queda no momento que este episódio fora transmitido, porém ainda apresenta números favoráveis, mostrando a mudança do dia de exibição fora uma boa mudança para a série. Revenge conseguiu uma demo de 2.6 e pouco mais de 8 milhões de telespectadores.

5 thoughts on “Revenge (2×02) – Resurrection

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s