Supernatural (8×02) – What’s Up, Tiger Mommy?


Diversão, piada, leilão, escuridão e uma incógnita. Essa foi a mistureba da vez nesse novo episódio de Supernatural. Após o fiasco da semana passada, a raiva e a revolta ficaram mais amenizadas depois do que eu assisti. Quando terminei e desliguei a TV, a fé de que tudo no final pode dar certo me assomou, com uma pitada de segurança com relação à nova temporada. Um sentimento bem mínimo, pois ainda estou com os dois pés atrás. Essa pegada de destruir demônios é interessante, admito, tem tudo para dar certo, mas não aposto todas as minhas fichas. Não ainda!

Sei que ainda é cedo para esperar alguma coisa, mas, depois da temporada passada, exijo um presente muito bom do Sr. Carver e cia., pois não consigo mais confiar na série como antes. Os Winchester foram colocados em uma nova trama bem sagaz, que rendeu uma nova esperança para os fãs da série. Vamos nos lembrar da velha guarda de SN, em que demônios eram sensacionais. Eles eram os grandes motivos de nos fazer pular da cadeira e desejar por mais episódios. Confesso que fiquei feliz por eles voltarem aos holofotes, pois os leviatãs foram a vergonha alheia da sétima temporada e a morte de Dick foi uma piada.

Mas, vamos falar de coisa boa! Dean começa o episódio como se nada tivesse acontecido na vida e nem como se tivesse criado um impasse sem necessidade entre Sam e ele. Um lanchinho, um palavrão e logo o caçador se vê atrás da mãe de Kevin, ou tiger mommy, por motivos de força maior. Sério! Por mais que tenha ficado de birra com o personagem semana passada, Dean consegue minhas desculpas muito facilmente. Deve ser por causa da atuação impecável de Jensen Ackless.

Se é uma coisa que tenho muito orgulho é como os Winchester amadureceram ao longo de 7 temporadas (ainda não contarei essa). Por mais que ame Sam, quem levou todas as broncas do céu e do inferno foi o Winchester mais velho, não tem jeito, e foi ele quem mais sofreu alterações no comportamento e nos guiou a muitas histórias incríveis.

E uma delas foi com relação ao Castiel. Eu acho bonita a devoção que Dean tem pelo anjo, não só por ele tê-lo tirado do inferno, mas pela amizade que firmaram ao longo das temporadas. Não canso de dizer que Misha foi o achado de Supernatural, o salvador de muitos episódios, por trazer sempre seu toque pessoal, seja com ou sem poderes do paraíso, ou como traidor e obcecado pelo poder. Castiel foi o responsável em fazer Dean ser menos cético. O Winchester aprendeu a acreditar em muitas coisas por intermédio do anjo, algo que, com certeza, Sam jamais teria oferecido a ele por viver tão encrencado quanto o irmão mais velho.

A cena do purgatório foi o ponto altíssimo do episódio. Dean não desiste de Castiel, um símbolo da amizade e consideração que o caçador tem pelo anjo e que muito me agrada. Eu já imaginava que o Anjo do Senhor tinha fugido na season finale, pois ninguém some de repente e ainda faz uma cara de pesar, como se não tivesse solução pelo que foi decidido. E, realmente, não teve. A explicação dele é bem simples: estou te protegendo. Não tem como discutir e tentar encontrar razões de um abandono depois dessa frase. Dean soube disso e não desistiu dele mesmo ao ser abandonado e ter lutado com as criaturas malignas do purgatório. Castiel abriu mão da salvação por Dean e isso só alavanca a graciosidade desse personagem tão incrível.

Acredito que o reflexo dessa caça de Dean por Castiel no purgatório não acarretou os resultados esperados. Como o anjo comenta, o que é estar mentalmente normal em um lugar tão terrível? É o mesmo que tentar perguntar como Sirius Black ou Bellatrix Lestrange mantiveram a sanidade em Azkaban, ideia que realmente não aconteceu, pois ambos se tornaram pessoas totalmente desestruturadas. E isso aconteceu com Dean. O caçador está à flor da pele, sem paciência para nada e tudo com ele agora se resolve a base da violência.

Não irei culpar Benny por causa disso, pois o caçador agiu sozinho, matou vários monstrinhos do purgatório, bem antes do aparecimento dele. O Winchester mais velho sempre teve a inclinação de ser pavio curto e o torturador da história e, duas idas ao inferno, de graça, é para enlouquecer e abalar qualquer sistema nervoso, sem sombra de dúvidas. Eu só tenho medo com relação ao que ele será capaz de fazer agora que viu todos os seus planos irem para o buraco. Sem a tábua e sem o profeta, os Winchester não têm nada em mãos para continuarem a investida em fechar os portões do inferno que Crowley insiste em manter abertos.

Falando nele, o Rei do Inferno compareceu a mais um episódio, com suas ironias excelentes e cabíveis. Crowley participa do leilão, ao lado dos Winchester, e do anjo fofo Sala… Alfie. A cena foi muito engraçada, eu ri demais, e parecia que nada do que foi apresentado na semana passada existiu. Revivi o gosto antigo de amar Supernatural pelas piadas que foram apresentadas, como nos velhos tempos. Enfim, de Mona Lisa ao Vaticano, o anjo e o demônio tentam competir pela tábua do profeta com os Winchester, mas sem sucesso. Na verdade, quem se dá bem é Crowley, que além de roubar a cena com elegância, fez da mãe de Kevin uma estrela.

A Sra. Tran é também o que eu gosto de chamar de achado. A mulher foi sensacional! Eu só lamento pela criação de personagens tão bacanas e saber que eles nunca serão fixos na série. Ainda espero ansiosamente o retorno de Charlie, minha linda geek viciada em Harry Potter. Mas, enquanto nada disso acontece (e se é que acontecerá), a mãe de Kevin arrasou do começo ao fim do episódio. Se não houvesse o aparecimento de Crowley, a trama seria toda dela. A mulher foi capaz de ofuscar até mesmo os Winchester. Ultimamente, qualquer pessoa faz com que os irmãos sejam apenas marionetes, pois não há ação suficiente para fazê-los brilharem como antes. Dean é o eterno morto de fome e Sam é aquele que sabe os feitiços em latim de trás para frente e vice-versa. Hora de inovar isso aí!

A mãe de Kevin me fez querer abraçá-la quando não botou nenhum empecilho com relação a tatuagem que a protegeria contra os demônios. Nem pirei quando Sam mostrou a dele, certo? Cheguei a acreditar que ela se manteria por mais alguns episódios, mas o término da personagem muda todos os planos dos Winchester. Foi uma sacada muito boa fazê-la vender a alma pelo filho, o sacrifício puro, atitude que desnorteou Crowley e o fez decidir possuir a mãe de Kevin movido pela ganância em ter a tábua e o profeta de Deus. Tudo isso fez Dean ficar doido da vida, como é de costume, e enraivecido por ter fracassado.

Claro que as melhores cenas ficaram para o final e foram elas que salvaram o episódio. Os Winchester estão sem brilho e Sam muito mais. Dean luta com seus demônios internos e não gostei nem um pouco de terem deixado no ar o que realmente aconteceu com Castiel. Isso aumentou meu desespero, pois não consigo imaginar Supernatural sem o Anjo do Senhor. Sei que tem Crowley e sei que ele levaria a temporada nas costas com uma tranquilidade imensa, mas quero meu anjo de volta.

Única coisa perdida no ar que não fez sentido: aquele climão com o tal Sr. Vili. Ele não deu a entender que teria um leilão pela pedra de Deus. Além disso, ele matou a atendente do banco para ser morto pelo machado de Thor nas mãos de Sam. Tudo bem, essa eu deixo passar batido.

A nota do episódio será uma soma da participação de Castiel, da mãe de Kevin e, claro, da atuação e presença impecável de Crowley. O trio combo deu um up nas coisas, mas ainda há muito o que melhorar. Devagar, acho que Supernatural conseguirá trazer certa qualidade, mas não como antes.

Audiência: para confirmar minha satisfação com relação ao episódio, a série subiu 1.0 na audiência em comparação a semana passada. No total, foram 2.588 milhões de telespectadores, uma melhoria bem notável, diga-se de passagem. Ainda há esperança, hunters!

4 thoughts on “Supernatural (8×02) – What’s Up, Tiger Mommy?

  1. um episódio melhor que o primeiro, mas conseguem fazer melhor!
    Crowley é um dos meus preferidos, adorei a cena quando ele diz que oferece a alma dele.
    também gostei muito da mãe do Kevin, mas perto do fim eu estava a desconfiar que alguma coisa ia acontecer, eu ela fosse um demónio ou algo assim, e não estava muito errado.
    a cena final que mostra do purgatório da ingressão que o Dean deixo o Castiel

    • Ah, mas conseguem fazer mesmo e espero que o próxima seja super bacana!

      A Sra. Tran ia acabar trollando no final do episódio, fato, e me preocupa ela em estado de choque, pois vai ser complicado trazer o Kevin de volta, sem contar que o Crowley vai se aproveitar disso, com certeza.

      Sim, eu tbm tive essa impressão e espero que tenha sido um motivo mto bom pro Dean ter feito isso.😦

      Beijão!

  2. Episódio bom, apenas isso…

    Sei que o mistério sobre o que acontecer no purgatório deveria estar me empolgando mais, porém não consigo mais me empolgar com Supernatural, assisto por assistir… Mas realmente espero que esta temporada consiga me aproximar novamente da série.

    Atts

    • Eu nem tô empolgada com o fato do purgatório, pois imagino que eles enrolarão com isso a temporada inteira, mas fiquei interessada sobre os portões do inferno, pq tenho esperança que depois disso a série vai acabar HAHAAHAHAHAHAH

      Beijão!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s