Last Resort (1×02) – Blue on Blue


“You knew this wouldn’t just be bullets. They’ll come at you where it hurts the most.”

Gostam de reviravoltas, mistério, personagens interessantes, história cativante, intensidade, tiroteio e bons diálogos? Pois bem eu tenho aqui a série perfeita para vós, sim Last Resort consegue não só não desiludir como surpreender no segundo episódio. Last Resort foi desde o momento que visualizei o trailer a série que mais me cativou e sobre a qual depositava grandes expectativas. A série não é perfeita mas tem os ingredientes suficientes para fazer um bolo fofo e com altura suficiente, só resta saber se as audiências conseguidas não farão o bolo ter um travo desagradável no final. E agora perguntam vocês porque raio os americanos não dão oportunidade a uma série como Last Resort? Pois bem a série falha no básico não é o procedural e a competição na quarta-feira é apertada, a audiência é até agora o ponto fraco da série.

O segundo episódio da série dividiu a ação entre a ilha e Washington mostrando que ainda muito está por desvendar e o que vimos até agora é apenas uma agulha num palheiro muito denso e que nos deixa cada vez mais intrigados e interessados. Tal como o episódio vou dividir o review entre os acontecimentos da ilha e de Washington. Em Washington temos dois focos de ação: Christine e Kylie. Sinceramente a história mais desinteressante é a de Kylie, a personagem ainda não conseguiu demonstrar a sua mais-valia e o seu verdadeiro papel na série ainda é muito incerto tornando as suas partes algo aborrecidas. Já a história de Christine está cada vez mais entusiasmante com o surgimento de uma nova personagem supostamente amiga de Sam mas em complô com o governo. Christine inicia um processo de cura, será o amor capaz de resistir a tantas adversidades e omissões? Quando assisto as partes de Christine a imagem de Sarah de Prison Break vem-me sempre à mente.

Na ilha a ação desenvolve-se em torno de um ataque de delta americanos, com destaque para Sam, Marcus e Shepard. Cada vez mais o ponto forte da série resulta da interação destes três personagens. Sam enfrenta o dilema de escolher entre o amor, o dever e a amizade e no fim o laço fraternal prevalece e mais uma vez estes dois brilham. Marcus é a estrela mais brilhante da série, quer em termos de representação que em termos de carisma e diálogos e mais uma vez mostrou a sua mestria ao mexer as peças de forma formidável dando origem a um checkmate ao estilo Kasparov. Shepard por seu lado consegue finalmente ganhar o seu lugar no seio do grupo e a picardia com Prosser pode favorecer muito a personagem. Espero sinceramente que dêem mais tempo a Prosser porque é uma excelente personagem e pode contribuir e muito para a série. Outro que pode ter um papel importante mas que ainda pouco foi revelado da sua identidade e propósito é James, para já apenas mostrou ter um bom corpo e ser bom de mira, fico à espera de mais.

Mas se este episódio serviu para demonstrar que a série tem um potencial tremendo também serviu para mostrar que os argumentistas têm de ser inteligentes a guiar tantas personagens e tantas storylines, caso contrário serão demasiados torpedos e poucas explosões. É bom a série conseguir deixar-nos ansiosos pelo próximo episódio conseguindo desenvolver todas as suas histórias de maneira a deixar-nos com desejos pela próxima dentada do bolo, mas desejos em demasia podem levar a enfartamento. Tenho medo que na ânsia de conseguir agarrar espectadores a série entre numa espiral destrutiva de criar mais e mais histórias e deixar os big roles por desenvolver, desta vez até russos foram chamados para o barulho e parece que a aparição do Illinios e do seu misterioso capitão não ficará por aqui, será que os 45 minutos do episódio serão suficientes para tantos focos de ação e tantas personagens? Let’s have faith.

Aspetos positivos: a intensidade do episódio, o trio principal, o potencial da história

Aspetos negativos: demasiadas histórias e a tendência é crescente; A história de Kylie e a própria personagem.

Audiências: A série está em queda descendo 0,3 no rating ficando-se pelos 8 milhões de espetadores.

5 thoughts on “Last Resort (1×02) – Blue on Blue

  1. Estou realmente por gostar de Last Resort… A série está por conseguiu alcançar os seus objetivos e por manter o interesse, desenvolvendo tramas e personagens.

    Estou ansioso pelos próximos episódio e temendo com os baixos índices de audiência.

    Atts

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s