Partners (1×01) – Pilot


Desde pequeno sou fã de comédias. Friends, esse grande marco na história da televisão, fora a minha primeira do gênero e também dentre todas. Me lembro que me ria bem alto com as aventuras de Rachel, Ross, Chandler, Phoebe, Monica e Joey, mas hoje em dia, acho que a qualidade das comédias tem vindo a descer, não que não haja nada de ótimo, mas tenho a sensação que há um esforço menor em criar comédias realmente boas.

Este o caso de Partners, pois realmente parecem não querer se esforçar para serem melhores. O elenco é bom, Sophia Bush é a razão para a qual 99% das pessoas vão assistir e 1% restante é por causa de Michael Urie, o eterno Marc St. James de Ugly Betty. Junto a eles temos Brandon Routh conhecido por ser o Superhomem e David Krumholtz de Numb3rs. Estes quatro tem uma dinâmica interessante, que bem explorada, pode ser bem engraçada, pois fala de um grupo de quatro pessoas, mas com três casais entre si. Temos Joe (Krumholtz) e Ali (Bush), o casal que se vai casar, porém Joe não tem a certeza das suas intenções e devido às pressões de Ali e Louis (Urie), este propõe a namorada em casamento. Bush têm uma química ótima com ambos Urie e Krumholtz, é uma atriz com muita presença e rouba o momento em muitas cenas.

O outro casal é a dulpa gay, formada por Louis e Wyatt (Routh). Wyatt é meio sem sal por enquanto, mas ainda não teve bem a sua oportunidade de brilhar e de contribuir para a história. Por outro lado Louis é a luz da série, estando em todo o lado, opinando sobre tudo, só que muitas vezes acaba por fazer asneira.  Adorei a cena em que ele se refugiou nas girls de Rosanna (Tracy Vilar), acho que a secretária irá tornar-se das minhas personagens favoritas.

Por fim temos o casal mais importante da série: Louis e Joe. Além de colegas de trabalho, são amigos de infância. Gostei muito da montagem do início, a mostrar sua evolução até os dias de hoje. É invulgar ver uma relação como estas, e acho que é aqui que está o trunfo. Uma bela amizade entre dois homens, independentemente da sua orientação sexual, que não os afastou ao longo dos anos. Agora, este terceiro casal pode causar problemas para Ali e Wyatt, pois estes são tão unidos, que já prevejo várias cenas de ciúmes.

A grande falha em Partners é o fraco roteiro, fato que não soltei nenhuma gargalhada durante o episódio inteiro. Sim, sorria de vez em quando, mas nunca ri sinceramente. E qual é o objetivo duma comédia se não nos faz rir? Partners tem muito que melhorar se quiser uma temporada completa ou até mesmo duas temporadas. Até lá, continuo a seguir as aventuras destes três casais, à espera de uma surpresa.

11 thoughts on “Partners (1×01) – Pilot

    • É mesmo uma pena realmente. Vamos dar a Partners o benefício da dúvida, ainda pode ser que melhore, ou pelo menos que se torne engraçada… Mas temo que o rumo seja a cancelação.

  1. Não gostei, muito sem sal a única personagem que realmente conseguiu fazer soltar um mero sorriso foi Louie tudo o resto não me convenceu, ver o ex-shaw gay não obrigada não fiquei convencida, a Sophia Bush achei a personagem desinteressante. Eu ficarei pelo piloto mesmo.

    • Sinceramente não te vou convencer a insistir em Partners, porque não há mesmo muito para insistir. A série é fraca, muito sem sal como dizes.

  2. Pensa numa série ruim? Pensou? Agora multiplica por quanto quiser. Pois é, foi isto que achei de Partners, que me desculpe não é a cria de Friends e Will & Grace nem aqui nem em Lima, Ohio, onde tudo é possivel!

    Sim, eu faço parte destes 99% e digo que nem minha amada Bush salva a série, pois mesmo com a quimica entre os BFFs a série não tem nada a oferecer a não ser de tornar-se um clichê.

    Agora oq mais me irrirtou foi Brandon pagando de gay…BOm nem foi o fato dele ser gay, mas de ser um pessimo gay que parece ter tido um derrame cerebral de tão inespresivo.

    GEZZZZZ vão ter que sambar mto pra melhorar este roteiro, pq senão não dou nem meia temporada antes do cancelamento.

    XOXO

    • É verdade querida mestra, Partners desiludiu. O espírito fantástico de Sophia Bush pode mesmo não conseguir aguentar com a série toda às costas…
      E sim, Brandon fez um gay muito pouco ou nada convincente. OK, que nem todos os gays são os estereótipos de “borboleta dançante” como Louis, mas ele nem parece ter-se esforçado para encaixar no papel. E vão ter mesmo de trabalhar muito se querem tirar Partners do cancelamento, afinal o potencial está lá, falta um roteiro de comédia, engraçado de preferência!
      XOXO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s