Downton Abbey (3×02) – Episode 2


Nem sei por onde começar, bom talvez possa dizer que este foi um dos melhores episódios da série. Com doses de humor bem britânico, tensões, dramas e romance, Downton Abbey volta a sua boa e velha forma, aquela que nos fez apaixonar em sua temporada de estréia. A sinergia do elenco é o grande diferencial e agora com a presença magnética de Shirley McLane, este inicio de uma nova era pode vir a ser a melhor de todas, mesmo com a ameaça que assombra a Abadia.

Posso confessar quão decepcionada fiquei que não pudemos presenciar nada do casamento e o grande momento do casal favorito do Reino Unido? Poxa vida, tivemos a linda cena entre Bates e Anna, porque não mostrar um pouco da Lua de Mel dos pombinhos mais orgulhosos, Mary e Matthew? Estou chateada, sim! O episódio inicia com o casal retornando de Paris, onde passaram alguns dias após o grande acontecimento de suas vidas, mas os dias de romance não pareceram tirar a ideia fixa da cabeça de Mary a respeito dele aceitar o dinheiro da herança. O único que parece compreender ou pelo menos mantêm a classe a respeito de sua decisão é o Lord Grantham, mostrando numa sincera conversa, quando a relação deles evoluiu com o passar do tempo, ainda mais agora que como novo membro direto da família, acompanhará um período extremamente deliciado.

Mrs Hughes tem uma carga emocional muito intensa ao descobrir um caroço que a incomoda, segredo que conta a Mrs. Patmore, que exige que ela visite o médico para verificar o que pode estar acontecendo, temendo claro, sem precisarem falar, que ela esteja com câncer. Deixando o orgulho de lado, a governanta vai temerosa ouvir aquilo que pode ser a pior notícia de sua vida, mas ainda assim é muito cedo para tirar conclusões, mesmo que tudo indique ser o pior e o resultado preciso da coleta levará mais de um mês para ficar pronto, considerando a lentidão da medicina naquela época.

A governanta que sempre se mostrara uma mulher de muita fibra, inevitavelmente sucumbe ao desespero do possível diagnóstico, mas é o apoio incondicional de Mrs.Patmore que a ajuda e enfrentar este difícil momento, mesmo que até então tenha que disfarçar a todo custo que não está bem, principalmente do Mr. Carson, que anda sob muita pressão com a falta de staff no castelo e a sobrecarga de trabalho para aqueles que ali estão.

Mesmo não mostrando a  Lua de Mel dos sonhos, a produção compensa com um lindo momento M&M na cama agarradinhos, o que é uma estranheza, até mesmo para Matthew, por não estar habituado ainda a esta novidade. Matthew, agora como marido de Mary, tem plena consciência que não conseguirá desfrutar muita candura de sua esposa, ainda mais quando recebe oficialmente a carta que lhe entrega o título de herdeiro.  Mary entende que já que não conseguir dobrá-lo, precisará de uma carta na manga, afinal é impraticável pensar em vender Downton, principalmente porque um dia pretende ocupar o cargo que hoje sua mãe ocupa.

Os conflitos e as mudanças globais parecem não afetar as convicções da primogênita, assim ela une forças com única que compartilhe totalmente sua visão de realeza e tradições: sua avó Violet, que lança a ideia de convencer Mrs. Levinson em ajudá-los. Começa então a operação “Puxa-Saco a Sra. Martha Levinson”, pois quem mais apropriado a salvar o nome da família senão a avó norte-americana, cuja fortuna já fora despejada nos cofres do Crawley a muitos anos atrás, fortuna esta que agora está perdida devido ao mal investimento do Lord Grantham. O chazinho das cinco que elas armam na casa de Violet foi simplesmente sensacional e mesmo Cora não pode esconder suas expressões de “Vocês não valem nada mesmo” ao ver sua filha e sogra fazerem uma média descarada. Sutileza nunca foi o forte de Mary e Violet, então a como uma senhora vivida como Martha é, já percebe qual é o plano. Dispostas a provarem que merece ser salva, Mary propõe um jantar com alguns locais para celebrar a verdadeira essência de Downton.

“Quer dizer que precisam do dinheiro dos Levinson para manter os Crawleys no ápice?”

Lady Edith apesar da personalidade recalcada e por vezes vingativa, sempre conseguia-se perceber suas motivações, afinal como filha do meio, tudo veio e continuou a vir muito depois para ela, isto quando vinha. Sua rivalidade declarada com Lady Mary que agora fez as pazes com o amor e até mesmo sua irmã caçula Sybil encontrara a felicidade, deixaram-a numa posição solitária, vivendo a sombra da família. Apesar de não compreenderem o motivo de seu encantamento, sempre deixou claro sentir algo muito especial por Sir Anthony, sentimento que incomoda profundamente sua avó Violet, a ponto desta impor que Lord Grantham o afaste de sua neta, pois onde lá se viu ela se interessar por alguém aleijado e vinte e cinco anos mais velho que ela? Respeitoso do jeito que é, Sir Anthony escuta com hombridade o pedido de Robert e assim comunica que não estará presente no jantar especial sediado no castelo dos Crawleys, o que permitirá seu afastamento.

A família só percebe a dimensão do amor de Lady Edith por Sir Anthony quando este, tentando ser um cavaleiro, envia a ela uma carta dizendo que não irá mais ao jantar, o que ela claro, conhecendo bem seu pai e as imposições de sua família, percebe que são os responsáveis pelo afastamento do homem que ela escolhera. A fotografia de Downton Abbey é um dos pontos altos e toda a cena onde Lady Edith desabafa nos jardins com sua avó Martha é simplesmente de tirar o fôlego. Papa Robert que estava a caminhar recai os olhos sob sua filha, esta que visivelmente amargura-se com sua oposição ao Sir Anthony. O pensamento liberal da Sra. Levinson bate de frente com as preocupações do genro, pois é difícil aceitar um homem com tais condições físicas e na idade avançada. Vendo por este lado, realmente os costumes que tanto precisam seguir os transformam cada vez mais em pessoas fúteis, que levam em conta certos detalhes superficiais. Se ela realmente o quer e o ama, porque fadá-la a uma vida de solidão, considerando que pode não haver um bom partido com a mesma idade a sua espera? Nada como colocar juízo e amolecer o coração de um senhor preocupado ocm sua filha, ficando sob responsabilidade do Papa concertar aquilo que tentou destruir.

As intrigas dentre os criados acabam por afetar seus patrões, a começar com a vingança de O’Brien à Thomas, tudo isto após o conselho que ele dera ao ingênuo  Alfred, conselho que rendeu o maior estrago no fraque do Sr. Matthew, pois o produto corroeu o tecido ao invés de limpá-lo. Duas cobras criadas em conflito de interesse de fato rendem bons momentos, então tudo que vem, volta e misteriosamente as camisas do Lord Grantham desaparecem minutos antes do jantar, o que obriga Thomas a improvisar sua vestimenta, que naturalmente não é apropriada para a ocasião, assim como a de Matthew, rendendo comentários debochados da Sra. Levinson que insinua que os homens estão vestidos para um churrasco.

A tensão continua quando Sr. Carson percebe que a Sra. Hughes não está dando seu melhor para nos preparativos, mas nem imagina que ela, minutos antes, tivera uma crise de choro devido a seu estado. Os ânimos continuam a afloram quando o forno para de funcionar, o que se tivessem parado para escutar as reclamações de Daisy, não teria acontecido. A família então além dos desastres com as vestimentas, encaravam a realidade de recepcionar diversos convidados sem ter ao menos o que servir durante o jantar.

Eis que, diretamente da Terra do Tio Sam, Sra. Martha Levinson com jogo de cintura e maestria acaba por salvar a noite, esta mais improvisada possível, que quase resultou num AVC do Sr. Carson, pois segundo ele nunca que a ideia de servir frios, petiscos e coisas cruas poderia ser considerado um jantar digno de Downton, pois para ele tudo parecia uma “Excursão de Trabalho”.

Enquanto o “Se Vira nos 30” acontecia no andar de baixo, Sra. Levinson tira mais uma carta da manga ao começar a cantar, o que descontrai todos os convidados, que começam a sentir-se a vontade com a “quebra do protocolo  daquela noite, afinal as vezes é bom deixar os costumes de lado. Sra. Crawley chocada com o rumo que a noite estava se encaminhando, se prosta no sofá quase a dormir, mas sua paz é perturbada pela Sra. Levinson que chega a cantarolar em seu ouvido. Impagável mais uma vez as cenas entre Maggie e Shirley, mas uma pena que este combo não durará muito mais, principalmente após a revelação que deixará Mary e Violet desesperadas.

Numa conversa cheque-mate, a Sra. Levinson joga as cartas na mesa: não poderá salvar Downton. E o porque disto? Seu marido, o Sr. Levinson congelou os fundos da família, devido a alta quantia de dinheiro que já fora investida, principalmente para os Crawley, então ela não tem poder algum perante a fortuna dos Levinson, podendo só ajudar com sua renda própria caso necessário.

“Se está cansado do requinte, está cansado da vida”

Resta então a esta família é sucumbir a vida “mortal”, deixando pra trás as honras e requintes de anos e anos de tradição? Mary do jeito que es não deixará Matthew dormir sossegado sabendo que pode acabar com sua sofreguidão. Bom, pelo menos uma noticia boa se tem durante o jantar, mesmo que ainda não revelada: Lady Edith e Sir Anthony irão se casar. Ufa, finalmente a irmã do meio poderá sorrir e quem sabe, interagir melhor com seus demais.

E apesar desta trama ter corrido um pouco paralela as demais, o que foi o “Dark Side” do Bates na prisão? Realmente é de se desconfiar, pois o instinto explosivo ele já mostrou que tem. Estou curiosa pra este lado mais escuro da trama, mas fico com pena da Anna se realmente seu grande amor for alguém que ela não gostaria que ele fosse.

Quero mais, porém caminhando para o terceiro episódio me faz pensar que estamos quase no meio da temporada e isto me deixa agonizada, principalmente por imaginar que a série talvez não tenha mais gás para um quarto ano.

2 thoughts on “Downton Abbey (3×02) – Episode 2

  1. Isso que é série que sabe dosar comédia e drama de uma forma tão linda de se ver!
    Acho que nunca ri tanto de uma sequência como eu ri nesse jantar desastroso. Impagável também aquela parte que a Sra. Violet fala “Oh I’m so sorry… I thought you were a waiter” hahaha sensacional!
    Uma pena que as cenas dessas duas divas esteja com os dias contados😦

    E finalmente Lady Edith parou com a inveja e correu aos braços do seu amor. Estou até gostando mais dela🙂

    Fiquei muito triste pela Mrs Hughes😦 espero que não seja nada mesmo…

    E a volta das “bitches” Tomas e O’Brien foi ótima também!

    Uma pena que não amostraram a lua de mel dos dois pombinhos… Acho que iria morrer de tanta fofura haha *-*

    Você esqueceu de comentar aquele final com o Bates que eu fiquei chocada :O será que ele matou a ex mulher? fiquei com medinho xD

    Odeio essas séries britânicas que são excelentes e duram muito pouco😦

    • Pois é, uma verdadeira aula de roteiro e atuações!!
      HAHAHAHA as partes da Violet foram perfeitas!!!

      Xiii é msmo não falei do Bates, vou acrescentar uma nota, bem lembrado dear! Sim, eu acho q ele tem certa culpa no cartório como já falei no outro review

      Bjs e tks por passar aqui sempre xd

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s