The Voice (3×01) – Blind Auditions, Part 1


Nos foi dito já há algum tempo que The Voice iria ter sua terceira temporada na Fall Season. Muitos criticaram, alguns coaches reclamaram, mas todos aceitaram (rima não proposital) e aqui estamos. Para falar a verdade, não sabia o que esperar dessa temporada, mas certamente atingiu minhas expectativas – até agora –, e talvez tenha até as superado.

Os coaches continuam um show de fofura, como sempre. Não consigo me lembrar de qualquer um deles falando mal de algum cantor (tirando a Christina, que estava pegando fogo no final da temporada passada), e isso é definitivamente bom para o reality. Nos faz criar um maior vínculo com os coaches e, consequentemente com o The Voice. Claro que isso tem a ver com o fato de os cantores passarem por um filtro anterior às Blind Auditions, evitando assim fiascos que constantemente assombram outros programas musicais (American Idol e X-Factor, indireta para vocês).

Agora falando do episódio em si, as Blind Auditions foram tão boas quanto poderiam ser.  Passar mais de uma hora ouvindo cantores desconhecidos poderia ser um tédio se os coaches não fossem tão extrovertidos e carismáticos; e para nossa sorte, nisso eles não pecaram hora alguma.

O primeiro a subir ao palco foi o escocês Terry McDermott, que arrasou cantando “Baba O’Riley”, do The Who. Os coaches demoraram tanto para apertar o botão que me vi apreensivo por ele, e isso é sempre um bom sinal. Os três coaches homens viraram, mas Terry escolheu ir pro time do Blake. Pretendo dar minha honesta opinião sobre a maioria dos candidatos, então aqui vai: Ele tem muita chance de vencer. Claro que tem fantásticos vocais, mas sabemos que não é só isso que importa: Ele me pareceu carismático e simpático. As etapas finais do programa são comandadas pelos telespectadores americanos, então simpatia e carisma são as qualidades mais importantes. Todos vimos como Tony Vincent se deu mal temporada passada: Apesar de seu vozeirão, até uma aranha seria mais simpática do que ele. E, gente, Terry tem um filhinho! Quem conseguiria ser contra ele depois de ver seu filho gritando “Somebody please turn around!”?

Em seguida veio De’Borah, que deu um show com sua versão superenergética de “Hey, Soul Sister”, do Train. Cee Lo e Christina viraram para ela, mas ela escolheu mesmo a Aguilera, porque já era fã há muito tempo e “The Voice Within” significou muito num momento difícil de sua vida. Gostei muito de De’Borah, sua energia me contagiou e sinto que ainda veremos muito mais dela no futuro.

E finalmente uma boa cantora de country no programa! (Não lembro de nenhuma, e se não lembro é porque não houve alguma memorável). Gracia Harrison cantou e “yodelou” muito bem. Seu timbre foi feito especialmente para o country, e soube utilizá-lo muito bem ao longo da música. Não fazia ideia do que yodeling era até ela começar a fazer, e isso me contagiou muito. Aposto que ela passa dos Battle Rounds pelo menos, já que Blake está sempre ansioso para encontrar um bom cantor de country. Jamais mandará a Gracia para casa, assim como não mandou a irritante RaeLynn temporada passada.

Devyn DeLoera teve coragem ao cantar “Ain’t No Other Man”, da própria Christina, que é uma música difícil e exige muita qualidade vocal e fôlego. Acredito que será uma das cantoras desclassificadas nas Battle Rounds, já que é boa, mas há tantas melhores que ela! Não querendo ser pessimista demais, claro…

Bryan Keith cantou melhor “It Will Rain”, ao vivo, do que Bruno Mars conseguiu cantar na faixa de estúdio. Já excluí a versão original e baixei a versão do Bryan! Sem comparação. Ele parece o tipo de cantor que pode cantar qualquer tipo de música sem afetar o desempenho vocal, mas vamos ver como se sai na próxima fase. Bryan acabou escolhendo Adam para ser seu coach.

Daniel Rosa, em sua segunda chance na competição, conseguiu a atenção de Blake e Cee Lo cantando “Somebody That I Used To Know”, do Gotye. Escolhou o time do Cee Lo. Sua voz não é única, e talvez por isso Adam e Christina não tenham apertado o botão, mas ele cantou bem, de qualquer jeito.

Só queria falar dos participantes que passaram para a próxima fase, mas a jamaicana Anita cantou tão bem daquela segunda vez, sem o acompanhamento da banda, que eu já tinha até esquecido que seu momento acabou, e comecei a torcer para que alguém apertasse o botão. Muito boa!

Joe Kirkland fez uma ótima performance de “Gives You Hell”, do All-American Rejects. Estava claramente sem fôlego, mas quem não estaria, cantando e correndo do jeito que ele estava? Sua voz me ganhou de primeira, e se ele não chegar às fases finais ficarei extremamente surpreso. Joe escolheu o Adam, o coach com estilo mais próximo ao dele. P.S.: É impressão minha ou Adam é o coach que sempre tem o melhor time? Essa foi minha blind audition favorita da première, sem dúvida. (Mais alguém viu a cara da Christina ao longo e ao final da apresentação? Cômica! Ai se eu soubesse fazer GIFs…)

Trevin Hunte é o tipo de cantor que eu não aguento mais ouvir. Sua voz é tão comum (e muito boa, tenho que admitir) que conseguiu parecer com a de Beyoncé e a de Whitney Houston numa música só. Acho que havia pelo menos dois homens com voz idêntica no The Voice UK, só não lembro seus nomes. Sim, sua voz é ótima, só que não única. A única coisa surpreendente é a idade de Trevin: 18 anos! Uau. E o melhor, para quem gostou dele: Sua chance de vencer é imensa, vide os últimos dois vencedores do programa.

Ufa, quantos cantores numa página só. Aqui resumindo quem foi para cada time:

Team Adam: Bryan Keith, Joe Kirkland;

Team Blake: Gracia Harrison, Terry McDermott;

Team Cee Lo: Daniel Rosa, Trevin Hunte;

Team Christina: De’Borah, Devyn Deloera.

Sou Team Adam por enquanto, assim como na temporada passada, mas tudo pode mudar com os próximos episódios. Até mais.

2 thoughts on “The Voice (3×01) – Blind Auditions, Part 1

  1. Ótima premiere… E trouxe também alguns cantores até interessantes, mas senti falta do Factor X que faria laguns deles caminharem até a final…

    Por enquanto sou Team Adam e a melhor performance do episódio fica por conta de Bryan Keith, seu It Will Rain fora realmente maravilhosa.

    Atts

  2. Ah, FINALMENTE!!!!!!!!!!!!!!!!! REVIEW DE THE VOICE AQUI *-*

    ótimo inicio de temporada, só não curti muito o jeito da Aguilera ficar abraçando todos, isso não parece o estilo dela kkkk
    E poxa, como ela está gata!!!! Maldita!!! hahaha

    Sou TeamAdam!!! Ele estava demais da conta, ri muito com a “rivalidade” com o Blake hahaha, O Adam é tão tudo!!! Não tem como não se apaixonar *-* kkkk

    Concordo com o Well, Bryan Keith fez uma performance muito foda!

    Gostei da voz do Terry =)

    Também gostei da performance do Trevin, a humildade dele é de se admirar (:

    Gostei da volta do Daniel, apesar de não achar que ele canta tão bem assim, mas foi emocionante, ele é tão carismático. *-*

    Ficou equilibrado as equipes, pq também curti a De’borah haha

    Até mais \o/

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s