O que esperar da Fall Season – Mary Barros


Bipolaridades e Bi dimensionalidades tomarão conta do meu fall season, pelo menos no que se diz respeito as minhas séries aqui no Casa de Séries. Glee Mamma embarcará com dois pés pra trás na nova fase bipolar da série a qual “ama odiar e ama amar”, mas mesmo entre Ohio e Nova Iorque compondo núcleos aparentemente desafiadores a produção, o que realmente espero com ansiedade sobre-humana é a quinta e última temporada de Fringe, a série Bi dimensional em sua estrutura, cujo amor e dedicação jamais permitiria colocá-la num campo bipolar.

É com imenso prazer que continuarei a destilar o veneno com a envolvente e sanguinária saga de vingança da minha nova heroína favorita, Emily Thorne. Agora com um importante upgrade para as noites de domingo, o Hamptons tende a ser palco de novas tramas, relacionamentos e claro, novos e suculentas manipulações regadas de muito rancor.

Deixando o glamour e vingança estadunidense de lado, chega à vez de caminhar pela Abadia dos Crawley com Downton Abbey, na terra da Rainha. Em seu terceiro ano, bebericarei bons vinhos e elaborados banquetes; serei uma ilustre convidada para o tão aguardado casamento entre Mary e Matthew – isto se este realmente acontecer -; roerei unhas com o cárcere de Mr. Bates e as dores de amor de Anna e aplaudirei da primeira fila com meu belo chapéu largo e meu vestido pomposo, os conflitos da alta realeza dentre as personagens de Maggie Smith e Shirley MacLaine.

Dramédia musical, Ficção Cientifica e Drama, chega à vez das comédias, gênero que nunca fui muito de acompanhar, com meras exceções. Este ano cuidarei de três, entre elas, o novo “Bloco Comédia Girlie” que contará com a presença de 2 Broke Girls e New Girl, ambas chegando a seu segundo ano. 2 Broke Girls fora bastante elogiada por seu roteiro esperto e leve a narrar a batalha pelo “Cupcake Dream” de Max e Caroline, já New Girl, após autos e baixos em sua temporada de estreia e a sobrecarga de responsabilidade sobre Schidmt, tem a difícil tarefa de reerguer suas personagens, principalmente sua protagonista.

E pra encerrar, com o “Sete” mágico, vem Modern Family, aclamada pela critica, mas nem tão mais pelo publico, este que ainda parece resistir a ela, em relação a outras comédias presentes atualmente. Será bem desafiador cuidar desta família, considerando minha predileção por dramas familiares.

…:: 2 Broke Girls

Espero sinceramente que 2 Broke Girls continue com este clima leve e ágil apresentado em boa parte da temporada de estreia, porém que explore cada vez mais o relacionamento de Max e Caroline, mas que também foque no desenvolvimento individual de cada uma, sem esquecer claro das personagens secundárias, que contribuem pra sustentar a trama. Aguardo novas caras dentro e fora da lanchonete e porque não, além de uma guinada no “Cupcake Business”, que as garotas possam ter alguma chance no amor, afinal quão divertido seria ver alguém tentar adoçar um pouco a acidez do coração de Max ou ver Caroline com alguém totalmente diferente de seu antigo circulo social.

…:: Downton Abbey

Downton Abbey foi um dos grandes prazeres do ano passado e merece sem dúvida alguma os elogios que recebe. A qualidade não é mais a mesma desde a primeira temporada, porém esta terceira fase trás diversas possibilidades, com novas tramas e dando continuidade a algumas antigas.

Tenho grande expectativa com a personagem de Shirley MacLaine, a mamãe norte-americana de Cora Crawley, principalmente porque além se intrometer na dinâmica da família, com certeza é de se esperar ótimas cenas entre ela e Violet Crawley. Teremos o coração apertado novamente com a jornada de Lady Mary e Matthew Crawley até o tão esperado casamento e o escândalo da prisão do Mr. Bates e como isto afetará não só Anna, mas como toda a família. Mal posso esperar pra mais e mais drama nesta abadia, sem contar como ficarão Mr. Carson, Mrs. Hughes, Tommy e C&A, agora que Mr. Bates poderá  “manchar” a imagem da criadagem e do próprio Mr. Crawley, que insistira em mantê-lo como seu valete.

…:: Fringe

Nunca imaginei que fosse me apegar tanto uma série de ficção cientifica, até tentei acompanhar Arquivo X, por exemplo, mas nunca me senti absorvida pelo gênero. Fringe iniciou com o peso e responsabilidade de uma produção de J.J Abrams e foi com o passar dos anos, mesmo com as quedas significativas de audiência, tornando-se a criação mais sólida – não consegui ser arrematada pelo culto Lostiano mesmo acompanhando toda a série – de seu currículo e o olha que aqui vos fala uma Agente Bristow de carterinha.

Apesar da encomenda de apenas 13 episódios, as expectativas são imensas, principalmente a considerar o pulo temporal que teremos na trama. Despedidas a parte, a espera está acabando e veremos quem se manterá em pé dentre a batalha entre humanidade e os observadores, além de saber qual o destino da quase reunida família Bishop-Dunham. “Please Don’t Go, Don’t Gooooooooooo”


…:: Glee

Acredito que estejam com mais expectativas do que eu, certo? Desde a graduação em maio deste ano, me encontro num estado osmótico com a série, pois se antes absorvia e consumia tudo que lhe competia, agora coloquei certo distanciamento, talvez me protegendo do que acredito ser o maior erro gleekiano até então. Ainda não acredito na quarta temporada, principalmente na ousadia em manter dois núcleos, cada qual com trilhões de personagens, sejam antigos, novos ou recorrentes.

Lea Michele tem o grande peso como a única do elenco que está garantida para os 22 episódios, principalmente ao ganhar a trama, aparentemente mais sólida dentre todos. Será com esta grande mudança para NYC, que veremos se seus sonhos são grandes o suficiente para a Big Apple ou pequenos o bastante para Lima Beans. Quanto ao resto da turma, pouco imagino o que a mente lunática dos escritores estão a preparar, então é esperar para rir, chorar, cantar, vibrar e xingar mais uma vez, como fizemos nestes últimos três anos.

A proposta ousada é evidente, principalmente considerando a mudança para as quintas-feiras, mas a pergunta assombra: “Glee conseguirá graduar-se de si mesmo, provando maturidade a seguir novas direções ou ficaria na mesmice de seus hits de venda no Itunes, somados a tramas arremessadas e apelativas?” Glee Mamma está com a pistola de prego preparada, mesmo que a menina Marley, nova aluna do McKinley tenha me conquistado 100%, com o pouco que já tivemos de sua linda voz e presença adorável.

…:: Modern Family

Dez a cada dez gleeks fervorosos odeiam Modern Family como diria o linguajar popular, “because of reasons”, estas claro relacionadas às premiações. Enfim, sabemos que enquanto Glee tinha chances no Golden Globes, no Emmy jamais ganhará o prêmio de melhor comédia. Enfim, pra ser sincera não sei muito que esperar pra esta temporada, a não ser que ela volte a suas origens, estas conquistaram logo com o episódio piloto e que hoje, diluiram gradativamente, muito disto devido à última temporada.

Algumas tramas fecharam seu ciclo e outras se abriram, como exemplo da gravidez de Gloria, porém fora isto o que esta família terá a nos oferecer? Aguardo mais risadas, mais interação, mais recheio as personalidades jovens e um pouco menos de estereótipos e mais conteúdo, bom, em linhas diretas: ”Para de ser acomodar, Modern Family”.

…:: New Girl

Bom, falar de New Girl parece um disco furado, porque exigir que seja melhor do que é torna-se praticamente uma utopia, até porque a própria série não faz questão alguma, pelo menos foi o que mostrou em boa parte de sua temporada de estreia. Meu carinho e identificação a Zooey Deschanel plus a maestria de Max Greenfield me farão persistir com esta nova fase.

Este segundo ano irá martelar na tensão existente entre Jess e Nick – desgastante jornada arrisco dizer – além de manter a presença parasita de Winston e creio eu, apimentarão a vida amorosa de Schidmt e Cece, agora que ambos terminaram o relacionamento que mal começou, estes que sem dúvida continuarão rendendo muito mais separados do que as demais personagens não conseguiram render nos episódios finais transmitidos. “Who’s that Boy? It’s Schidmtttttttt”

…:: Revenge

Chega à vez da maior surpresa do fall season 2011/2012, afinal como mulher, como não amar uma conterrânea vestindo a carapuça da vingança, aniquilando tudo e todos que destruíram sua vida? Nossa Lady Vendetta Emily Thorne ou Amanda Clarke, como preferirem, retorna após uma eletrizante temporada de estrei e agora, cheia de grandes revelações e acontecimentos, todos estes decorrentes do season finale, este que deixara mil janelas abertas. “Quem foi desta pra melhor ou quem ficará nesta pra uma pior? Quem é e onde está a mãe de Emily/Amanda? “ Essas e muitas mais perguntas terão ou não suas respostas.

O que mais me tranquiliza é que o melocoton todo do triângulo amoroso Emily/Daniel/Jack parece perder um pouco de foco, colocando os planos da loba com cara de cordeira de volta ao caminho certo, caminho este que tanto apreciamos ver, principalmente enquanto aguardamos cegamente por seu confronto com a sempre diva, Victoria Grayson, que nem com os “Seven Devils” da Tia Florence, acredito que seria capaz de nos abandonar.

Me digam então, quais das séries acima estamos mais a roer as unhas ou a morrer de saudades?

3 thoughts on “O que esperar da Fall Season – Mary Barros

  1. Vamos se encontrar diversas vezes!!! É isso ai!!!
    Menos com Downton Abbey, que infelizmente não consegui ver ainda =(

    Que Glee nos surpreenda!!!!!!!

  2. Mary, tudo a postos para a fall season?
    Das séries que referiste, vou assistir a quatro delas: Glee (que recomeça hoje!!!), New Girl, Modern Family e Revenge.
    Eu não sei o que esperar de Glee, sinceramente. Mas penso que estou entusiasmado. Principalmente com o storyline Rachel. Acho que esta vai ser a parte mais interessante, Kate Hudson parece estar on fire! Não acho muita piada aos novos membros, são todos meio sem sal, podiam ter muito mais carisma. Em Glee são conhecidos por contratarem atores com bastante potencial (Lea Michele, Dianna Agron, Naya Rivera, etc etc etc…), e parece que a estes novos membros lhe falta aquele brilho especial, não sei… Mas estou curioso para ver como é que eles vão lidar com mais personagens do que os 101 Dálmatas… E quero também muito ver como é que o/a vencedor/a do TGP se irá desempenhar, e se Tina vai finalmente ter algum destaque, agora que metade do grupo foi embora.
    Também tenho altas expectativas quanto a Modern Family, a season finale foi fantástica (destaque para a cena de novela mexicana no hospital, que foi hilariante) , e agora Gloria está grávida, o que deverá render histórias engraçadíssimas. Mal posso esperar por ver a reação de cada membro da família.
    Ai New Girl, espero que não me desapontes… Esta série tem um charme muito especial e tem a fantástica Zooey, mas o roteiro precisa de mais inteligência, mais humor, uma história mais consistente. Estou com esperanças para esta segunda temporada, não espero uma coisa genial, pois também sei que não é isso que a série quer oferecer, mas espero uns agradáveis 20 minutos por semana com a Jess, o Schmidt e os outros…
    Comecei a ver Revenge no verão e apaixonei-me completamente. Não gosto muito de Emily VanCamp, tem uma expressão também muito sem sal, mas acho que encaixa perfeitamente na personagem dela, tal como disseste ‘loba com cara de cordeira’. Estou super entusiasmado com esta série e sei que o ótimo nível se deverá manter, ou melhorar até.
    Entusiasmadíssimo para hoje à noite, e para a semana que vem, onde virá a maior onda de regressos!
    XOXO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s