The Newsroom (1×10) – The Greater Fool (Season Finale)


It’s Not… But It Can Be.

E aqui chegamos. A conclusão da primeira e excelente temporada de The Newsroom fez uma reunião dos diversos elementos magníficos que a série já nos apresentou e juntou tudo em um único episódio, um episódio cru, realista, tenso, romântico, engraçado e dramático. Após esta magnífica hora televisiva, não tem como não parar para refletir sobre como está a situação do jornalismo atual, como está a situação da política atual e até mesmo como encontra a situação de sua vida atualmente, a situação de seu ego, de sua vida amorosa, de seus dilemas diários. The Newsroom reuniu todos estes questionamentos em uma única obra, o resultado fora esta fantástica temporada que tivemos.

O episódio trabalha relacionamentos amorosos, as tradicionais críticas que a série já vem a fazer e concluiu as tramas que esta temporada estava por trazer e ainda nos entrega tramas sustentáveis para o momento que esta retornar no próximo ano. Não houve um momento do episódio que me deixara entediado ou desanimado, o episódio soube compor perfeitamente suas cenas, sua trama fora colocada de uma forma que conseguiu compensar todos os momentos.

Começamos o episódio a trabalhar o ego de Will. A matéria de Brian ganhou vida e esta se mostrou mais ácida do que o esperado, causando um impacto forte na estabilidade mental do âncora. É muito fácil entender a razão pela qual esta matéria afetou Will diretamente e as demais matérias que já envolveram o seu nome, acontece que o artigo escrito por Brian, intitulado The Greater Fool (O Grande Tolo), retrata fielmente a personalidade de Will, o que fizera o mesmo a encarar de vez seus comportamentos, suas atitudes. Pela primeira vez temos Will encarando a si mesmo, mesmo que isso tenha sido feito através de um artigo, o ato fora impactante o suficiente para tirá-lo de sua estabilidade.

Porém o poder do trabalho que o News Night 2.0 é imenso. O poder de esclarecer o telespectador, de enriquecer o telespectador com notícias verdadeiras, notícias críticas e impactantes é o que faz Will seguir em frente, o faz não desistir de sua carreira. Porém há ainda outro fator que o fizera continuar a ser um dos melhores âncoras da atualidade: a guerra contra Leona e Reese.

Hancock não fora uma testemunha válida, e nem será após o seu suicídio. Apesar da matéria sobre a vigilância ilegal do governo americano ainda não estar com credibilidade para ser colocada ao ar, Hancock deixou a Charlie um truque, uma arma que conseguira livrar Will e acabar com a guerra que está por acontecer. Não há como não achar fantástica a cena onde o golpe é aplicado e Reese é desmascarado, quando Charlie faz as suas exigências e quando Leona descobre que o grande trunfo de Charlie não passa de uma receita de guisado. Agora não teremos mais os tabloides contra Will e Cia., não teremos mais Leona a procurar razões infundadas para demiti-lo. Agora o que teremos é o News Night cada vez mais polêmico, cada vez mais aproximando o seu telespectador das mentiras e da corrupção que está por assolar a América.

Na parte de relacionamentos amorosos também temos grandes desenvolvimentos e grandes descobertas. Não sei se estava por ser muito ingênuo ou se estava por prestar atenção em outros elementos pois fui pego de surpresa com a revelação de que Sloan possui sentimentos por Don. Após a confissão, comecei a visualizar os dois como um verdadeiro casal, porém para que isso aconteça é preciso resolver a situação Jim/ Maggie primeiro.

Não há como não se emocionar com Maggie e sua grande crítica a Sex and the City. O momento em que esta finalmente percebeu que está por aderir sentimentos por Jim fora extremamente gratificante, assim como as cenas que se seguirão. Porém o fato de que Don finalmente decidiu avançar em seu relacionamento com Maggie acaba por separar o casal novamente e estes voltam a viver pequenas mentiras em suas relações amorosas.

Porém não há nenhum outro casal tão grandioso como Will e Mac, simplesmente não há. A cena final, onde Mac revela que era ele que estava por trás dos acontecimentos que ocasionaram toda a trama da série fora incrível, a química entre o casal esteve oposta de uma maneira irradiante, colocando esta em uma das minhas cenas favoritas da temporada. Só faltou o beijo para tornar tudo ainda mais magnífico.

Ainda nos restaram algumas tramas para a segunda temporada, como a de Neal, com maior impacto. Estou bem curioso para saber onde esta trama nos levará e quais as consequências que esta trará para os personagens na próxima temporada. A entrada de uma nova estagiária também promete ser um dos diferenciais da próxima temporada.

– What’s make the America the greatest country in the world?

– You do.

E assim chegamos a um final de um episódio perfeito, de uma temporada espetacular e de uma série que promete causar um grande impacto durante toda a sua duração. The Newsroom é mais um achado da HBO, uma luz em uma época onde somos obrigados a nos despedir de grandes produções e aguentar produções medíocres. Em 2013 não teremos Breaking Bad para nos consolar durante o verão americano, mas agradeço a Sorkin e a HBO, pois teremos The Newsroom para ocupar o seu lugar.

5 thoughts on “The Newsroom (1×10) – The Greater Fool (Season Finale)

  1. “As a television series, The Newsroom is poorly constructed. But it is ambitious and, for all the criticism leveled against it, this is not a dumb show. It’s not cliche-ridden and it’s definitely original. That’s refreshing.”

    O critico do TV Fanatic resumiu perfeitamente o que é The Newsroom.
    Meu caro e eterno queridíssimo Prom Date, pois é sua visão é tão apaixonada como a minha e justamente por isto, resolvi após este season finale, ler algumas criticas norte-americanas sobre a série, até porque nossa visão é de mero telespectador, porque estamos totalmente fora da realidade deles, principalmente da realidade jornalística, o que o próprio Sorkin diz que pode ser visto como um CONTO DE FADAS, mas é um CONTO DE FADAS com excelente potencial de se tornar uma das maiores joias da TV atual.

    Sabemos por alto do sensacionalismo do evidente IDEAL X COMERCIAL, mas o interessante que percebi que com os últimos episódios desta linda temporada, particularmente o 8,9 e 10, que a própria série, ou seja, sua proposta como programa de tv, esta encabeçada pela mente genial de Mr. Sorkin, também vive um conflito ideal x comercial, mas não no comercial que imaginamos, este é diferente do que a TMI propõe – fazendo uma brincadeira com a trama – mas da ousadia e da sensação de frescor que a série proporciona VERSUS uma trama bem amarrada cujos personagens sejam bem mais construídos mesmo num curto espaço de tempo.

    The Newsroom peca um pouco em continuidade, talvez pela aceleração de tempo, claro nada a Glee Level DUH rsrssr, mas peca sim e, além disto, se perde e trança as pernas de embaraço ao tentar desenvolver os relacionamentos amorosos – com exceção de Will e Mac – todo o resto é uma “MESS”, sabemos bem disto e foi uma das coisas que mais me incomodaram nos últimos, mesmo achando Jim um tchuchuco lindinho, principalmente a cantar, nada justifica esta bagunça tremenda logo em boa parte dos episódios. E concordo que Jim e Maggie são adoráveis juntos, mas o fato dela manipular tanto a relação com sua BFF e ainda o próprio Don me tirou um pouco do sério, perdendo um pouco do encanto e da torcida que tinha por estes dois atrapalhados.

    Já Sloan e Don?? Não sei de onde surgiu mto o comentário “Why are u single? Cause u never ask me out”, ok foi uma resposta e tanto e sabemos que ambos possuem uma tensão sexual tremenda em vistas das discussões, mas espero mesmo que não transformem-a numa “mess”, pois este “socialmente inapta” foi uma das grandes sacadas e nunca imaginei que Olivia Munn conseguiria dar vida a uma personagem assim.

    Em vista a seriedade do programa dentro de um programa, os relacionamentos precisam URGENTEMENTE ser melhores retratados ou pelo menos as atitudes de algumas personagens, as centrais claro.

    A explicação do que significa “The Greater Fool” foi perfeitamente retratado por Sloan, alias acho que deveriam explorar cada vez mais a relação dela com Will, pois consigo me recordar facilmente de diversos momentos importantes e tocantes entre eles, alias o trabalho de Jeff Daniels com todo o CAST o coloca em outro patamar, afinal es um MONSTRO DE ATOR e dá o tom preciso a série.

    Mesmo com algumas falhas, estas se tratando de um primeiro ano são facilmente corrigíveis pro próximo, principalmente o desenvolvimento das personagens femininas, com foco em Maggie e Mac, estas sim divertidas e com momentos de extrema importância com suas opiniões e monólogos, porém são muito caricatas, principalmente Mac, que ocupa o maior cargo junto a Will no News Night 2.0 e ainda assim é a personagem que mais precisa de reformulações, principalmente porque Mortiner é uma excelente atriz, que pode ser desafiada a mais, inclusive a química dela com Daniels é ESPETACULAR, vide a bela cena final onde revela que era mesmo ela a segurar as plaquinhas, o que claro me arrancou lagrimas, trazendo a tona toda a nostalgia do episódio piloto .

    Chorei, sorri e fiquei de boca aberta durante toda a temporada, principalmente com o excelente elenco, as excelentes atuações e certos monólogos inteligentíssimos, estes SÃO OS GRANDES MOMENTOS DA SÉRIE.

    “It’s Not… But It Can Be” and “The Greater Fool”

    Essa frase foi INTELIGENTEMENTE colocada ao inicio da temporada e o nome do episódio final encaixa-se também no mesmo sentido, pois para uma mente como a de seu criador, este sabe que tem em mãos uma criação que AINDA NÃO É, mas pode ser O MELHOR, este que não víamos há tanto tempo.

    Considerando minha alienação da politica e estilo de vida na terra do Tio Sam, alias não só de lá, como daqui mesmo rsrsrs, considero TN a grande cereja do bolo televisivo este ano.

    E foi lindo acompanhar sua passionais reviews, estas que refletem boa parte das minhas opiniões e agora é só esperar com ansiedade pelo segundo ano, este que traz mais e mais expectativas.

    Lots of love my dear

    • My dear Prom Date, sempre retratando em belas palavras minha e sua opinião, que poucas vezes são divergentes.

      Concordo completamente quando disseste que a série não soube desenvolver os relacionamentos, acredito que faltou um bom timing aos mesmos, pois algumas cenas eram apenas colocadas em contextos diferentes, acabando com toda a dinâmica da trama, como visto no episódio onde é relatada a morte de Bin Laden. Porém a juvenialidade encontra nos mesmos acabou por me conquistar, apenas o timing mesmo que me fez sentir um pouco irritado.

      Acredito que boa parte da resonsabilidade pela falta de continuidade das tramas se dá aos enormes espaços de tempo de uma trama a outra, porém, como tú mesmo disseste, não é algo Glee de ser, mas confesso que eles poderiam ter trabalhado um pouco melhor alguns pequenos detalhes.

      Enfim, o que me deixou apaixonado pela série fora a tensidade de suas críticas, a intensidade de suas interpretações. Também li algumas críticas americanas, principalmente as fornecidas pelo site IGN, que por sinal elogiou muito bem a série, porém alguns vierão a reclamar que esta é um drama pastelão, desnecessariamente cômica e peca na construção de diversas personagens. Só concordo com a última afirmativa, pois TN tenta nos repassar uma sensação de realidade, mas o que é a vida se não um drama pastelão, que por vezes se torna mais engraçado do que deveria e mais dramática do que o necessário?

      Enfim, também espero que os erros aqui cometidos sejam restaurados na próxima temporada, mas ainda assim TN também é a cereja no topo do meu bolo, e já posso dizer que a cereja é a melhor parte do mesmo.

      Atts

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s