Jane by Design (1×16) – The Backup Dress


Só tenho algo a dizer: ainda bem que Kate foi embora, nem que seja de forma parcial. Não gostei da personagem, mesmo ela tendo mostrado melhoras comportamentais nesse episódio. Ela parou de ser stalker dos filhos e passou a se distrair com a elaboração dos figurinos da peça de teatro da escola de Jane. Tudo parece bem até ela ouvir umas verdades de Dakota que, na minha opinião, foram muito úteis e convenientes. A mulher precisa amadurecer (meio tarde para isso, enfim!) e, ao aceitar o pedido de casamento dele, Kate vê a possibilidade de ser uma pessoa e uma mãe melhor. Vamos ver se isso adianta.

Jane e Eli investem no primeiro encontro, um pouco adulto demais. Eles lidam com moda, vão a eventos caros e, no único momento longe dos holofotes, Eli investe em um restaurante chiquérrimo. Meio sem noção, mas tudo bem. O sobrinho de Gray é um fofo e poderia me levar até para a colina. Ainda bem que Jane, pelo menos, honrou isso e aceitou o convite. Ambos formam um lindo casal, se tornaram meu par favorito da série, e não quero que ela fique com o Billy. A assistente de Gray ficou nas nuvens com as fofices de Eli, até eu fiquei, e ele se mostrou um rapaz bem bacana para namorá-la. Achei sensacional eles terem criado uma roupa nova para Jane, tendo como base uma parte do terno que ele usava e toalhas de mesa. Essa história de vestido reserva, os uniu ainda mais.

O que me deixa encucada, e eu comentei sobre isso na review anterior, é que Jane nunca se dá mal. Acredito que estamos perto do fim da temporada de Jane by Design, e acho que essa maré de boa sorte deve chegar ao fim, para intensificar as coisas na trama. Jeremy saiu de cena, India está apagada e Jane continua a faturar os bons louros por ser prestativa e eficiente, mesmo que esteja em apuros. Ela não tem mais Billy para safá-la e acho que está mais que na hora dela realmente fazer alguma coisa errada e receber um belo puxão de orelha. No caso desse episódio, achei forçado o elogio vindo de Nina depois de ter recebido o vestido reserva de Jane. As pessoas alimentam o ego da adolescente ao falarem da sua praticidade e compromisso com o trabalho. Quando ela for descoberta, imagino que será insuportável para a jovem lidar com isso, por saber que executou muito bem a profissão (considerando os elogios de todos), mesmo ao mentir para Gray.

Enquanto Jane e Eli usufruem de um encontro de verdade, com direito a cachorro quente e um beijo muito lindo, Zoe e Billy encontram à beirada do penhasco. Billy também foi bem infantil em ter acusado a garota de traição, sem antes saber o que acontecia. O teatro é o novo foco de Zoe e ela se mostrou uma garota de atitude ao brigar com ele. Gosto muito da personalidade forte da personagem. É evidente que o rapaz é muito inseguro e a namorada, que agora deve ser ex, é o refúgio para ele não pensar em Jane. Ora, a melhor amiga tem o emprego dos sonhos e o Don Juan chamado Eli. Quer mais motivos para ativar o complexo de inferioridade dele?

Billy pisou muito feio na bola e é estranho ter visto Nick representando o lado maduro da história toda. O atleta perdeu uma grande oportunidade no esporte por causa do ombro contundido e, estar no clube de teatro, era um recomeço. Achei injusto ele ter saído da peça e Billy ter “permitido”, como se isso fosse evitar Zoe gostar de Nick. Não precisava de todo aquele show. O amigo de Jane tinha que ter ignorado o veneno de Amanda, como foi avisado, mas a sombra de Lulu sempre pairará em sua mente. O garoto teme em ser substituído por Nick de novo, o exemplo perfeito de pretendente. Não seria a primeira vez que ele seria trocado por um cara rico e bem comportado. Mesmo sem dizer, Billy se sente um zero à esquerda e Jane não tem sido tão amiga dele como antes.

Falando de Billy e Jane, eles continuam com o relacionamento esquenta e esfria. Um pedido para desabotoar o vestido, troca de olhares constrangedores, inseguranças por conta dos novos namoricos que ambos possuem… É até fofo de se ver, mas não em excesso. Billy capota Jane de forma singela nesse episódio, ao afirmar que ela não é uma “menina, menina”, mas só “Jane”. Eu acho estranho esse tratamento entre os amigos, pois Billy foi o único condicionado à ampliar a amizade para um namoro sério, e Jane nunca demonstrou sentir algo por ele. Uma frase não completada foi o bastante para ela perceber que gosta do melhor amigo? Desacredito!

Rita e Amanda dão trégua, mas pelos motivos errados. A conselheira é responsável em causar a demissão da professora de teatro e, vendo que estaria fora do antro de popularidade da época do colegial, a loira recorre à mulher e lhe dá conselhos sobre como recuperar Ben. A cena foi bastante engraçada, me diverti à beça, mas fiquei com pena da Rita por não ter conseguido se declarar ao cara que ainda gosta muito. Ela foi a responsável pela burrada, mas nunca é tarde demais para correr atrás do prejuízo. Pena que não deu certo!

Kate foi embora e Ben também, porque ele conseguiu uma segunda chance em uma equipe profissional de beisebol. Dessa forma, o rapaz deixa Jane, tendo em mente que a mãe ainda permanece no lar. Fiquei feliz pelo sucesso do personagem e achei muito linda a maneira da qual ele trata e se preocupa com a baby sister. É uma amizade muito bonita que ambos possuem, um sentimento bem companheiro. Com a partida dele, pressinto que Jane estará em maus lençóis em breve.

Para o próximo episódio, exijo Jeremy e India de volta! Agradecida!

Artigo preparado por: Stefs Lima

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s