Dallas (1×06) – The Enemy of my Enemy


 

Do you know the enemy? Do you know your enemy? Well, gotta know the enemy, right?

 Conheça seus inimigos. Esta é a primeira grande lição que tiramos do fabuloso livro de Sun Tzu, A Arte da Guerra. Porém na prática, por infinitas razões, é muito complicado conhecer seus inimigos, descobrir seus pontos fortes e suas fraquezas. Vivemos em um mundo subjetivo e em transformação, o capital domina o mundo e são pessoas que dominam o capital, pise no calcanhar errado e terá sua ruína alcançada. Em psicologia administrativa aprendemos algo que denominamos inteligência emocional, que é o ato de controlar suas emoções e saber utilizá-las de uma maneira racional. Sendo assim, retiro o que disse acima, o mundo não é comandado pelo capital, mas sim pela falta de inteligência emocional das pessoas que o possuem. Novamente repito a frase, pise no calcanhar errado e encontrará a sua ruína.

 Passado o monólogo inicial, vamos comentar este sexto episódio de Dallas. Episódio que soube mostrar com precisão as batalhas que estão por ser travadas e as alianças que estão por ser feitas. A guerra está apenas começando.

 Começamos pela psicótica da Veronica. Após tomar um pé na bunda de Ross, a garota começa a liberar o seu lado viúva negra e faz uma singela ameaça de morte à Elena. Acho interessante a série focar em outras tramas que não estejam inteiramente ligadas a batalha pelo petróleo, e ter uma psicopata em um dramalhão como Dallas é sempre formidável.

 A batalha por Southfork ganha uma inesperada reviravolta. Com a ajuda de Rebecca, Bobby e Christopher conseguem encontrar um documento antigo, feito pelo pai de Bobby, que declara que os direitos mineiras de Southfork pertencem apenas aos donos originários do terreno, ou seja, pertencem aos Ewing. Sendo assim, Bobby consegue impedir os planos de JR e de John, acabando momentaneamente com a extração do petróleo.

 John fora o personagem que mais fora prejudicado pelas tramas do episódio. Primeiro este é chantageado por Christopher, depois este recebe a noticia de que Rayland não irá mais providenciar os transportes para o seu petróleo e logo em seguida sofre uma ameaça dos investidores que o ajudou na tomada de Southfork. JR abandonou John com as ovelhas, porém estas eram apenas lobos disfarçados e agora resta a Ross saber como lidar com imprevistos e com grandes problemas.

 John ocorreu a sua mãe, Sue. Achei interessante e promissora a cena em que esta e Rayland têm uma pequena negociação, porém acho que já temos tramas demais a serem trabalhadas e o roteiro não terá tempo suficiente para desenvolver uma trama com este potencial. Sendo assim, acredito que logo esta será jogada de lado e voltará no momento em que a série necessitar.

 Já estava na hora de Rebecca se opor ao seu irmão. Nunca duvidei de seus sentimentos por Christopher, porém ver esta sendo dominada facilmente pelas opiniões e desejos de Tommy não estava por ser legal. Rebecca precisou descobrir que está grávida para superar o medo que tem do irmão e abandoná-lo. Mas é claro que Tommy não perderá a fortuna que almeja conseguir apenas porque sua irmã se apaixonou.

 Fiquei perdido com o drama de Ann. Sei que aquele colar deve ter algum apelo sentimental para a mulher, mas não nos informá-los qual este é fora um pecado, deixou a cena vaga e sem emoção. Sendo assim, fiquei sem entender a razão de tanto drama, mas foi interessante a cena em que Bobby esbofeteia a cara de Harris na frente de sua equipe.

 E por último, mas nunca menos importante, temos JR. A ambição deste, assim como seu desejo por vingança, é sem limites e este já está por se preparar para o mais novo de seus golpes. Qual é a intenção deste ao se aproximar de seu maior rival, Barnes? JR está entrando em um jogo perigoso, deixou Southfork nas mãos inexperientes de John e este está por perder tudo. Está na hora de JR tomar cuidado, pois este está por arriscar demais um dinheiro que não possui e mexer com os dinheiros dos outro nem sempre é algo bom a se fazer.

 E mantendo uma qualidade constante, um drama bem construído e com personagens cativantes, com exceção de Christopher e Elena, Dallas segue em rumo ao final de sua temporada. Não sei se a série está a fazer jus a sua antecessora, mas se a antiga Dallas for tão boa quanto esta está por ser, é desde já uma old school que não posso deixar de conferir.

 

Artigo preparado por: Well Fernandes

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s