True Love (1×05) – Adrian (Series Finale)


O último episódio de True Love não foi lindo quanto o anterior. Também não foi nada de surpreendente nos depararmos com um personagem carente que, por meio da internet, está à procura da sua metade. Vemos essa “polêmica” em encontros manejados on-line em programas jornalísticos, que falam dos prós e contras de iniciar uma relação assim, pois como cidadãos conscientes, sabemos que as pessoas gostam de mentir. E não são pequenas mentiras são grandiosas mesmo. Uma mulher afirma ser Amber Heard e chega na hora do tudo ou nada, ela parece mais a Hebe Camargo. Extremista, sim, impossível, jamais.

É nesse quadro que se encontra Adrian. O pai de Karen (sim, ela volta) é taxista, solitário e encontra na internet o caminho para ter um relacionamento sério. Entre buscas e buscas, ele encontra Kathy, que mora em Hong Kong, mas que corresponde ao sentimento do homem mesmo com a secular distância entre eles. Em menos de semanas, ele afirma ao amigo que a ama e que um futuro encontro está marcado. Claro que, em todas as histórias de amor, tem que haver um problema e, nesse caso, ele se chama Lorraine. A amiga de Karen com seus lindos e preciosos 16 anos sonha em se perder com Adrian. Ela vive no mundo da Xuxa, cheia de fantasias com relação ao pai da amiga que não será seu. Eu fiquei até com medo que algo entre eles acontecesse, pois repetiriam a dose Holly e Karen e seria totalmente desinteressante e repetivivo.

Kathy chega à cidade e Adrian sente que fez a coisa certa. O casal é um exemplo de relacionamento à distância que sobrevive graças a minha amada World Wide Web. O amor foi cultivado virtualmente todos os dias até que chegasse a data deles ficarem realmente juntos. Entre sorrisos bobos, comportamento displicente e, sem dúvidas, muitas borboletas na barriga, eles se encontram e se firmam como casal. Karen, por outro lado, acha a atitude do pai triste e extremista. Recorrer à internet para arranjar um namorado é meio surreal na cabeça dela, assim como de muitas pessoas que nunca fizeram isso. Como disse na abertura da review, as pessoas mentem e o mundo não é mais seguro como antes. Se relacionar pela internet nem sempre é confiável. Mas, como em True Love tudo é possível, a única coisa que Adrian e Kathy têm que enfrentar é Lorraine que age como uma criança sem estribeiras. Eu estava no aguardo da polícia prendê-lo, mas ainda bem que isso não aconteceu. Seria muito clichê se Lorraine o denunciasse por algo que não aconteceu, mas era bem a cara dela falar que foi assediada devido as negativas que recebeu. Depois de assistir um espetáculo da amiga de Karen, Kathy cogita essa ideia criminosa, mas prefere confiar nele. Para o amor dar certo, ela permanece ao lado dele, ajudando-o a superar a dor de cabeça causada por Lorraine.

Ao chegar aqui, confesso que as propostas de cada episódio poderiam ser mais exploradas e realmente oferecer resoluções mais fiéis à realidade. Hoje, as pessoas estão mais convictas do que são e mulheres não aceitariam tão facilmente uma traição como foi o caso de Ruth e Michelle. Acho que poderiam ter prolongado o tempo da mini-série para trabalharem essas ideias e desenvolverem boas tramas. O caso homossexual entre Holly e Karen foi uma ótima iniciativa. Sandra continua sendo minha história favorita e Adrian não conseguiu me tocar tanto assim. Esse último episódio foi meio vazio, por assim dizer.

Apesar dos pesares, True Love conseguiu ser honesto ao que queria: mostrar o amor verdadeiro. Se isso se encaixa na vida real, eu não sei. Há sim pessoas que perdoam, sejam homens e mulheres, pois devem saber que sem aquela pessoa, eles não conseguirão construir um novo caminho. Há casamentos que ruem, outros que melhoraram, mas é sempre bom pensar no bem-estar de quem está ao nosso lado. Trair não é legal. Julgar não é legal. Alimentar ilusões não é legal. Mas somos seres humanos e estamos propensos a todas essas falhas.

A nota que darei será válida para os cinco episódios, pois se eu for relevar os desfechos indesejáveis, True Love beiraria uma nota quase vermelha. Mas considerarei fatores que me chamaram bastante atenção: elenco forte e trilha sonora marcante (e a história da Sandra, Hahaha).

Artigo escrito por: Stefs Lima

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s