True Love (1×01) – Nick


True Love terá uma sequência de cinco episódios que foram transmitidos durante a semana pela BBC. Histórias de amor, independente da premissa, sempre rendem alguns suspiros, expressões entusiasmadas, exclamações de exaspero, corações batendo forte e uma grande vontade de viver o sonho romântico. Qualquer pessoa, em algum momento da vida, pensou em se render perdidamente ao amor, se entregar ao que realmente sente por outra pessoa sem ter medo das consequências e viver intensamente com aquela ou aquele que acha que é o ser mais perfeito do universo. Parece até fácil se jogar nos braços da mulher ou do homem que achamos ser o amor da eternidade, mas a minissérie nos mostra as principais regras proibidas dentro de um relacionamento e que não devem, em hipótese alguma, serem quebradas.

Primeira regra: traição.

Nick é um bom amigo, um bom marido e um bom pai. Ele é casado com Ruth que também é uma boa amiga, uma boa esposa e uma boa mãe. Juntos, eles transmitem a ideia de serem feitos um para o outro. O casal é bem-sucedido, mora em uma linda e espaçosa casa, os filhos são bastante esforçados nos estudos e, aparentemente, nada e nem ninguém será capaz de destruir a pacificidade do lar que construíram ao longo dos anos. Eles formam um casal feliz e tranquilo, que demonstra amor em pequenos momentos como, nesse caso, no aniversário de Ruth. Mas, como todos os momentos de paz podem ser interrompidos, Nick se vê frente a frente à Serena, a única mulher que ele declara ter amado perdidamente. Ao saber que ela está de volta à cidade, ele é dominado por aquela sensação de pertencer à mulher errada. Sua vida começa a soar como uma piada, pois diante de Serena ele vê a oportunidade de resgatar o amor que morreu há 17 anos atrás.

A trama envolve o triângulo amoroso entre Nick, Ruth e Serena. No caso de Nick com a ex-namorada, ficamos diante daqueles conselhos típicos de histórias de romance: cada pessoa possui sua alma gêmea. O caso é bem simples. No decorrer da vida, teoricamente, abrimos mão da nossa cara metade por não estarmos prontos para assumir um relacionamento mais sério com essa pessoa que amamos muito e que juramos de pé juntos que não conseguiremos viver sem. Separados, as metades constroem uma vida, se casam, têm filhos e parece que tudo está nos conformes, se não fosse a falta que essa pessoa faz. Nick tenta lutar com o que sente, um furacão cheio de emoções boas com relação a Serena, que não o faz pensar em nenhum momento em como Ruth se sentiria com a chegada da ex e o que seria da esposa se ele a abandonasse. A preocupação em torno da situação é que o homem afirma que nunca amou outra pessoa além de Serena e adere atitudes malucas para uma pessoa que é casada. Ele quer fugir com a amada, mudar de nome, recomeçar uma vida ao lado dela. Ele trai Ruth na crença de que o relacionamento com o namoro do passado colocará sua vida de volta aos eixos e ele se sentirá vivo mais uma vez.

Ruth tem a intuição feminina bastante aflorada. Antes de saber que está sendo traída, ela encontra Serena nas ruas e percebe que sua vida pode dar uma reviravolta tremenda. A convivência dentro de casa muda totalmente com a presença da ex-namorada do seu marido na cidade. Nick começa a ficar mais triste, mais distante e inventa desculpas que justificam suas falhas no trabalho e o retorno para casa fora de hora. O ápice da sua preocupação é quando ele lança a mentira que trabalhará até tarde, pois na verdade passará a noite ao lado de Serena. Vemos, então, a agonia de uma mulher dedicada a família que vê seu mundo ruir por saber que pode ser trocada pela outra e que não há como impedir isso.

O relacionamento de Nick e Ruth é bastante amoroso, o que não justifica a traição. Dessa forma, há como debater o que ele fez, pois eles apresentavam certa cumplicidade e felicidade. Ambos compartilhavam os momentos bons e ruins um com o outro. Não havia frieza, não havia brigas e nem mal estar entre o casal. Serena destroça o antro de perfeição deles, podemos dizer com uma pitada de segundas intenções, pois ninguém volta à cidade da qual o homem que amou mora apenas para passar férias. Isso se comprova quando a irmã dela entra na briga para fazê-los retomar o relacionamento, a fim de acalmar a agonia que Serena sente por estar separada de Nick. Entre recusas e o medo de se arrepender por não ter se arriscado, o homem cede devido ao sentimento conturbado e por acreditar que estar com a ex é o certo a se fazer. Se o destino a trouxe de volta, qual justificativa teria, senão, eles ficarem finalmente juntos?

Pode soar até “bonito”, mas Nick mente para a esposa diante dos pedidos de promessa dela sobre Serena. Ele mente, age como cínico, ri e a chama de doida. O fato de ter a sua alma gêmea na cidade o muda completamente, tornando-o um fingido de primeira, que está mais preocupado em consumar algo com a ex a evitar uma situação comprometedora da qual apenas Ruth sairá machucada. Ele não cogita a possibilidade de perder tudo, até seus filhos. Nesse sentido, a atitude do homem foi extremamente egoísta porque em nenhum momento ele cita a família ou sente arrependimento. Trair já é errado, diga-se de passagem, mas se a pessoa tem oportunidade de evitar que isso aconteça é preciso ter honestidade com o/a parceiro/a, algo que raramente acontece.

O primeiro episódio foi bastante agradável de assistir e nada ficaria mais lindo se não fosse a presença de David Tennant logo no começo da série. As histórias prometem uma premissa que mostrará como bons ou péssimos relacionamentos podem ruir ou se salvarem. True Love apresentará, como fez na sua estreia, os mesmos atritos que perturbam casais da vida real. Às vezes, as pessoas ficam tão inseguras e infelizes com a/o companheiro/companheira, que acreditam que a/o primeira/o cidadão/cidadã que aparece é a solução para todos os seus problemas. Serena parecia a solução para Nick, mas foi para os braços de Ruth que ele ficou e permaneceu no final da história.

Outra coisa que percebi é que o perdão será explorado no decorrer das próximas tramas. Não sei quantos “sangues de cobra” haverá ao longo da série, mas é uma ideia que não funciona tão bem na vida real. As pessoas são rancorosas e perdoar algo que Nick fez com Ruth é inadmissível. Porém, mesmo com altos e baixos, vale a pena dispender o tempo (cada episódio é bem curto) e assistir belíssimas atuações, com uma trilha sonora perfeita e compatível com o seriado e se comover (ou não) com as histórias que eu tenho certeza que muitas pessoas já se encontraram na mesma situação.

Artigo escrito por: Stefs Lima

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s