Bunheads (1×01) – Pilot


Amor à primeira vista e mais uma fofurinha da ABC Family para a minha coleção. Enquanto as séries principais do canal tiram umas boas férias, esse é o momento para conhecermos tramas novas e menores, um pouco menos elaboradas e com um elenco carismático, mas que garantem umas boas risadas. Juntando todos esses fatores agradabilíssimos, lhes apresento Bunheads.

A série gira em torno de Michelle, uma bailarina que tem o ideal de se profissionalizar na área e dançar de verdade. O sonho dela é exercer a profissão e viver da dança, algo não compatível com sua realidade. Ela sobrevive entre passos e sorrisos nos palcos de Las Vegas, mora em um apartamento que cabe em seu orçamento e é péssima com relacionamentos. A mulher de 25 anos vive na dualidade entre a esperança de conseguir realizar seus desejos e a frustração. Depois de assistir o próprio fiasco do teste que não aconteceu para o musical Chicago, a jovem conta com a colaboração da última pessoa do universo. Sabe aquela pessoa que não esperamos que nos ajude? Pois bem, o fã que sempre marca presença no backstage para prestigiá-la, torna-se um verdadeiro anjo da guarda.

Hubbell é apaixonado por Michelle e insiste em levá-la para sair. O relacionamento dos dois poderia ser a razão principal da série, uma ideia que amadureceria a personagem, mas ele acaba como um salvador que lhe proporciona um novo estilo de vida. Desgostosa com o cotidiano e com seu futuro profissional incerto, ela se entrega ao poder do álcool e aceita se casar com o homem que a enche de mimos. O seu mundo, então, dá uma reviravolta. Do inferno que viveu em Las Vegas, ela vai para o paraíso, literalmente. Paradise é uma cidade pacata e pequena, onde todos conhecem todo mundo e as fofocas mais distorcidas surgem como forma de diversão. O problema é que Michelle não sabe de nada disso e tem que enfrentar todos os boatos maldosos por ser a esposa de Hubbell. A garota da cidade grande começa a enfrentar seus piores anseios em uma cidade menor.

O processo de adaptação de Michelle se inicia e ela se depara com as omissões de Hubbell sobre seu verdadeiro estilo de vida. Ele mora com a mãe e ela não oferece simpatia à Michelle. A relação de ambas dá aquela sensação de confronto a ferro e fogo, pois sabemos que nora e sogra sempre geram boas brigas e uma convivência conflituosa. Fanny é uma mulher bastante vivida e foi bailarina profissional. Ela é um exemplo para suas alunas da escola de balé montada atrás da casa que vive com o filho. A mãe de Hubbell dançou em grandes produções o que realça as diferenças da realidade dela com a de Michelle, que ainda não estrelou nada que a fizesse pular de alegria. A única coisa que as duas mulheres têm em comum é o amor pela arte da dança e, pelos menos até aqui, vemos que esse fator pode fazê-las ter uma boa relação. Em meio ao turbilhão causado pelo casamento de Hubbell com Michelle, Fanny precisa treinar suas bailarinas, inspirando-as a serem bunheads (bailarinas profissionais). O grupo tem como missão competir entre si por uma bolsa de estudos na Joffrey Escola de Balé.

Michelle e Fanny, pelo final do piloto, ou se ajudarão ou se odiarão para sempre. Como a ideia da série é fazer a personagem central se engajar com a dança e acreditar no seu talento, logo a veremos dando auxílio às alunas da sua sogra, talvez as encorajando e inspirando-as com seu estilo mais moderno. Claro que para todo professor deve-se existir o aluno impasse da sala. Sasha causará cenas desconfortáveis entre a turma por ser uma adolescente mimada, egocêntrica e antiquada, que quer ser a melhor do grupo de balé e só respeita a dança no limite de suas regras. Ela não é visionária como Michelle e isso pode gerar outra dor de cabeça para a recém-chegada em Paradise. Se a esposa de Hubbell achava que Las Vegas era seu verdadeiro desafio, mal sabe ela o que lhe espera na cidade nova, ainda mais com a morte – supõe-se – de seu marido.

Na abertura da review, eu disse que foi amor à primeira vista com relação a Bunheads e foi mesmo. Gosto de histórias com bailarinas. Ao assisti-la, me lembrei de filmes como no “No Balanço do Amor” e “Se ela Dança, eu Danço”, meus favoritos. Acredito que a série conseguirá explorar essa ideia de culto a dança dentro de seus limites. Para uma pessoa que gostou bastante de Jane by Design era de se esperar que também me rendesse a história de Michelle. Ainda mais por causa dessa insatisfação dos 25 anos, o que de fato me chamou a atenção.

Além disso, coloco um voto de confiança na série por ter o dedo de Amy Sherman-Palladino que se consagrou pela série imortalizada Gilmore Girls. Respeitando os limites de produções menores, a ABC Family apresenta mais um programa televisivo bastante convidativo e não duvido muito que quem goste desse estilo de trama também comece a amá-la.

Artigo escrito por: Stefs Lima

5 thoughts on “Bunheads (1×01) – Pilot

  1. Acabei de ver o piloto, e achei muito gira a série. Com algumas cenas bastante surreais e demasiado aparvalhadas por vezes, mas adorei a interacção dela com as raparigas, muito amoroso mesmo, e não estava à espera do final. Muito engraçada a série para já pelo menos…

    • A série é bem bagunçada no começo. As coisas passam extremamente rápido, mas depois tudo se ajeita, amém! Piloto sempre é uma bagunça, né? Hahaha Ainda mais por ser uma série bem simples, sem suspense e tudo mais, bem puxado pro lado Hart of Dixie da coisa.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s