Pretty Little Liars (3×03) – Kingdom of the Blind


O episódio dessa semana foi centrado naqueles que imagino que tenham um dedo no A-Team. Apesar de acreditar que todos eles sejam culpados, toda minha linha de raciocínio foi rompida porque não sei mais quem é bom, quem é ruim e quem finge nessa história toda. A única coisa que eu sei, por enquanto, é que as coisas estão ruins demais para as liars e para os envolvidos no mistério de Alison. Os indícios de que a vida continuará difícil em Rosewood são óbvias e serão a promessa para essa temporada ser superior a anterior.

Vamos começar por Lucas. Achei que ele demoraria a voltar para história, mas o personagem reapareceu na trama bem pior que eu imaginava. A postura de bom aluno e responsável por tirar excelentes notas foi substituída por uma versão cansada, doente e desestruturada. Em cada fala do ex-melhor amigo de Hanna é visível que sua sanidade foi corrompida por motivos que estou curiosa para saber. Sem causar espanto algum é confirmado que ele também visita Mona no manicômio. De alguma forma, antes da garota ficar popular e ele permanecer na figura de nerd humilhado pela sociedade, eles andavam juntos por pertencerem, basicamente, ao mesmo grupo. Agora, se ambos planejam entre si a queda das liars essa é uma pergunta importante a ser levantada. Uma coisa que gostei bastante foi quando ele gera dúvidas em uma discussão com Hanna e Caleb sobre o verdadeiro estado de saúde de Mona e a probabilidade dela fingir isso para se manter segura e não ir para a cadeia. Ele pareceu bem desconfiado da garota e não duvido que ele tenha certa razão. No decorrer do episódio, o personagem apresentou argumentos que possuem certa lógica. Quem garante que outras pessoas envolvidas com o A-Team não a visitam e não a querem presa nesse fingimento? É mais seguro mantê-la louca para que as armações por detrás dela continuem e desesperem a todos. Lucas, provavelmente, é apenas metade do reflexo das consequências trazidas por A.

Lucas, ao lado de Mona, são os grandes responsáveis em abalar o relacionamento de Hanna e Caleb. Como comentei na review anterior, a liar poderá perder o namorado se continuar a ser guiada por motivações desnecessárias e cheias de piedade. O bom coração da jovem não é conveniente para o momento, vamos combinar. Mona a magoou e Lucas, em teoria, tentou matá-la. O pior disso tudo é que a liar se sente na obrigação de ajudá-los e coloca seu relacionamento à beira do precipício. Foi o cúmulo ela ter ido atrás de Lucas para saber como ele estava como também acho inadmissível as visitas à Mona, por mais que ela tenha informações valiosas. Eu não tiro a razão de Caleb em surtar de maneira fria com Hanna por ela tentar se afundar em assuntos que não são da conta dela. O namorado não consegue compreender porque a amada age dessa forma e não vê que se coloca em risco por besteira. Nem eu consigo entender mais a Hanna para ser honesta. Todo esse comportamento da garota me faz temer que a versão chata da personagem retorne com força total. Uma coisa valeu a pena: a briga entre o casal fora do manicômio. A discussão rendeu umas boas verdades para ambos, mas acredito que não surtirá o efeito esperado.

Cansado das mentiras e omissões, Caleb pede a blonde liar o fim das visitas à Mona em troca de um diálogo da parte dele com Lucas. Os dois lados saem perdendo de qualquer forma e a insatisfação afeta a pouca paciência que ainda existe no namorado de Hanna. Ao querer colocar um ponto final nessa bagunça, Caleb decide visitar Mona para tirar suas próprias conclusões com relação ao estado mental da garota e se assusta com o nível de loucura dela. Ao enfrentá-la e atiçar sua ira, Caleb fica mais convicto em proteger Hanna, seja contra quem for. Essa ideia de proteção da qual ele se agarra é mais forte que ele e isso faz o personagem muito expressivo na trama. Admiro a maneira como Caleb é destacado e explorado, pois os namorados das outras liars não têm firmeza contra A se comparado ao boyfriend de Hanna. O personagem tem se sobressaído muito bem, isso desde o confronto com Garrett, e gosto das investidas do rapaz para alertar a namorada que está prestes a explodir dentro do jogo de campo minado articulado por A.

As coisas também não andam bem para os Hastings. O retorno de Melissa gerou mais controvérsia entre as liars e torceu o cérebro de Spencer. A irmã mais velha da liar marca presença no estilo Mona, fingindo que está tudo bem, que nada aconteceu e que está apenas de passagem. A pergunta que implodiu na minha cabeça foi: cadê a barriga dela? Dizer que perdeu o bebê é uma coisa e ter Spencer como irmã é outra. Melissa não aprendeu a lição e esqueceu que ela tem uma irmã curiosa, teimosa e que não se dá por satisfeita com informações pela metade. As investigações do “Spencer’s world” resultam na destruição da nova fachada montada pela Hastings mais velha. Melissa é apenas o início da insatisfação da liar, pois ela fica fora de si quando vê sua mãe envolvida na defesa de Garrett por motivações misteriosas. O que sabemos até aqui é que Melissa perdeu o bebê muito antes do esperado e que a mãe encobriu os rastros da filha. Eu não sei como Spencer não saiu de casa ainda ou foi morar com Toby, pois essas duas mulheres, sem contar o pai, destroem qualquer autoestima que ela venha a ter quando o assunto é família.

Emily descobre que sua nota altíssima foi dada por Ella. Até ela sabe que a investida da mãe de Aria pode servir de plano de fundo para futuras chantagens vindas de A. A liar finalmente deu um up na vida e não quer ser mais vista como uma pobrezinha. Não tiro a razão dela, pois acho importante dar qualidade a storyline da personagem que ganhou destaque desde a temporada anterior. Segurá-la na figura de maníaca depressiva não rola, até porque já temos Mona para isso. Eu achei super fofo o que Ezra fez por Ems e por Ella, especialmente pela sogra, na tentativa de reviver a amizade que eles tinham. A lembrança de Aria foi deixada de lado, ainda bem, e não influenciou em nada nas decisões do namorado dela e da mãe. A sra. Montgomery tem que lidar com muitas coisas – ainda não sabemos se Meredith vai mesmo infernizá-la –, mas temos que dar um crédito para ela, pois voltar à rotina sem o encosto do Byron nos ombros é um transtorno e tanto.

Aria é o bode expiatório mais uma vez e acarreta mais uma onda de problemas para Jenna. A meia-irmã de Toby deveria aprender que os segredos não são guardados para sempre, especialmente, quando se tem A nas rédeas do jogo. Cansada das mentiras, Hanna se irrita e a enfrenta com dignidade. O que me deixou encucada é o fato de Jenna ter afirmado ser o alvo de alguém e que, se fingir de cega, era a única forma para se manter protegida contra quem quer que fosse. A questão do incêndio voltou à tona e achei bem justo, pois ninguém sabe quem tentou queimá-la mais uma vez. Sobre Emily, eu não consegui encontrar dúvidas sobre o que ela disse com relação a “noite que não aconteceu”. Às vezes, até penso que ela não é ruim, pois creio que a personagem tem muitas informações que podem ser úteis para as liars. Acreditar em Jenna pode ser conveniente para o quarteto, pois a jovem se humilhou para elas para ter seu segredo guardado, atitude da qual ela jamais se submeteria. Ela pode ser ruim algumas vezes, pensar no bem próprio, mas vamos combinar que Alison não foi um doce com ela e todo seu caráter se alterou devido aos reflexos do tipo de tratamento que recebera da rival no passado.

Mona me surpreendeu. Não esperava que ela fosse ficar saltitante de uma hora para a outra, mas até que foi bom, pois as expressões mudas dela ficavam cada vez mais irritadiças. Lembrando a velha Mona dos tempos da escola, ela tenta forçar amizade com Hanna da mesma maneira que agia quando não era “louca”. A Norman Bates versão feminina fala sobre moda, ri, joga baralho e tenta provocar sensibilidade na ex-melhor amiga. A informação sobre as novas mensagens de celular comentadas por ela no episódio anterior não foram questionadas. Para compensar, Hanna perde o chão quando a ex-amiga comenta sobre o corpo de Alison e me pergunto se foi Lucas que contou isso a ela durante as visitas. O que assemelha Lucas e Mona até aqui é que ambos temem por algo, ao mesmo tempo em que protegem verdades que, quando vierem à tona, serão avassaladoras. Como Lucas disse para Caleb, Mona é apenas a ponta do iceberg e, quando ele for destruído, a queda refletirá em todo mundo de forma devastadora.

Vamos nos preparar para o Titanic, pois é isso que Pretty Little Liars nos prometeu até aqui. Um naufrágio é garantido, mas quem vai afundar? Melissa tem que prestar contas à Spencer. Será que o bebê que ela esperava era de Garrett? Isso explicaria a defesa emotiva dela com relação ao ex-policial. As liars terão que decidir também se guardarão o segredo de Jenna e Caleb precisa se reestruturar depois do confronto com Mona.

No meio do caos, vemos A se divertindo com belos drinques enquanto mantém o suposto corpo de Ali dentro de um refrigerador. E qual é da música sinistra da Mona e da carta de baralho com a rainha de copas?

Estou no aguardo para a próxima bomba!

Artigo escrito por: Stefs Lima

 

 

4 thoughts on “Pretty Little Liars (3×03) – Kingdom of the Blind

  1. Eps muito bom!!
    Não é que estão sabendo aproveitar esse inicio de temp.!😉
    Ainda com algumas falhas, mas que acabei me acostumando com o ritmo de Pretty, então nada demais! Só que o ritmo dos eps está fluindo muito bem. =)
    Ainda não acredito na Jenna, só burro mesmo pra acreditar que ela foi dar uma voltinha com a Emily. rsrs

    Não gosto do Lucas, personagem super Zzzzzzzzzz!

    Mona tb me surpreendeu, e tá na cara que ela tá mais que fingindo né, só quero ver até onde isso vai dar.

    OBS: Final da -A tomando seus bons drinques ao lado do corpo da Alison foi épico! kkkkkkkkkkk😉

    • Estão sabendo aproveitar tudo mesmo. Acho que volto a amar a série e excluir a temporada anterior Hahahahahahaah

      Eu tenho um pé na frente e outro atrás da Jenna. Eu acho que se ela fosse mesmo culpada pela Emily, as coisas não seriam tão fáceis, até pq ela é bem meticulosa com as decisões dela. Talvez ela esteja encobrindo alguém, não sei.

      Não gosto do Lucas tbm e ele todo surtadinho me irrita mais HUAHAHUAUHAUAHA

      Toda vez que a Mona aparecer deveria tocar Poker Face, apenas.

      Beijão.

  2. Me sinto completamente trollado por PLL… E Adorei isso!!!

    Estava por jurar de pés juntos na cova da falecida Allison, que as tramas apresetantadas pelo também ótimo episódio anterior seriam apenas resolvidas daqui a 20 episódio, pois PLL tem uma lerdeza e uma preguiça de desenvolver as suas tramas…

    Mais não, o confronto com Jenna já aconteceu, o confronto de Spencer e sua mãe já acontecer e até mesmo o lance de Emily e da mãe da Aria já fora resolvido. Hehehe, após 3 anos PLL aprendeu o significado da expressão desenvolvimento instantâneo e isso está por resultar em um interessante começo de temporada.

    Final da -A tomando seus bons drinques ao lado do corpo da Alison foi épico! +1

    Atts

    • As coisas estão bem rapidinhas e eu estou super adorando. Pensei que ficariam no lenga, lenga, sobre a cegueira da Jenna, mas ainda bem que desvendaram isso logo. Agora eu acredito que as coisas vão ficar mais quentes do que já estão, pois a Jenna vai ficar mais receosa do que já estava hahahahah

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s