Jane by Design (1×11) – The Replacement


Da mesma forma que PLL retornou com uma trama baseada em meses depois da storyline, Jane by Design seguiu a mesma ideia, com dois meses de distância do ocorrido na spring finale, após o fashion show da Donovan Decker. Para refrescar um pouco a memória, o hiatus da série ofereceu algumas incógnitas: Jeremy é o dedo-duro que queria prejudicar a nova coleção de roupas de Gray, India foi demitida por ter sido acusada injustamente pelo que Jeremy fez, Nick e Lulu e Ben e Rita são os novos casais e Billy foi interrompido no meio da declaração amorosa para Jane, nos deixando curiosos, imaginando se ele teria falado tudo ou não para a melhor amiga.

E no final das contas, ele não disse nada. Bom, era de se esperar, pois ainda está muito cedo para qualquer tipo de relacionamento que Billy e Jane venham a ter. O rapaz passou esses dois meses cumprindo pena na detenção juvenil, ao ajudar o irmão a fugir da cena do crime, e a única coisa que ele conseguia pensar na prisão era em Jane. Enquanto isso, a garota viveu esse mesmo período em um looping mental de it’s you, it’s you. Com isso, os dois melhores amigos enfrentam o primeiro atrito de muitos anos de amizade: o convívio. Ou falta dele. Billy não se sente à vontade no ambiente escolar e ninguém o ajuda para que isso aconteça. Afinal, ele é um “criminoso”. Ele está tão frustrado que não se poupa ao dar um fora em Lulu, o que achei bem articulado, e seu conflito interior com relação aos seus sentimentos por Jane não ajuda no seu humor. Do outro lado, temos a fashionista que se depara com o que poderia vir a ser o maior desafio da sua vida: ficar no lugar de India como designer. O sonho falou tão alto que a jovem cogitou largar a escola para continuar a alimentá-lo.

Entre escolher o cargo e a escola, Jane não pensa duas vezes em considerar interromper os estudos para ser o foco de atenção da Donovan Decker. Pensando como ela, não acho nada impossível tomar uma atitude como essa, pois de fato a adolescente aprende mais fora do ensino médio do que dentro dele. E ela ama o mundo da moda e tem o aval de Ben para continuar com sua vida dupla. Ocupar o cargo de importância que era de India é a chave de ouro de seu sucesso, o que garantiria um futuro promissor, mudando sua vida para sempre. É uma boa ilusão, claro, mas como nada na vida é fácil, ela descarta o trabalho, que não seria dela, para ficar ao lado de Billy e lhe dar força nesse novo período de transição. Eli, o novo personagem, é quem ocupa o posto de designer da empresa e ele nada mais é do que o sobrinho querido de Gray. Sinto que ele dará muito trabalho.

Jeremy manteve a poker face ao longo do episódio, como se não tivesse atuado contra a empresa. Na verdade, nem dá para saber ainda se ele tem algo contra Gray ao beneficiar o ex-marido dela com informações exclusivas da Donovan Decker. Mas eu não gostei da maneira como o personagem agiu, como se nada tivesse acontecido, como se a própria Gray o tivesse perdoado da trapaça. Seu autoperdão, por assim dizer, o faz transmitir bondade e confiança para Jane. É como se o fato não tivesse existido e eu achei um tremendo escorregão na trama. Está certo que a ideia da “traição” pode ser trabalhada futuramente, mas a sensação de que ele se apaixonará perdidamente pela amiga de Billy, colocando muito de seu status de garanhão a perder, será a razão da sua queda, especialmente por ter deixado India levar toda a culpa.

Rita e Ben se oficializou como o casal muffin. Era óbvio que eles teriam um relacionamento e achei super meigo, cheio das fofurinhas. Eu queria mesmo que eles ficassem juntos, alimentando a dualidade da época da qual eles eram adolescentes, onde ela não era popular e ele era. Como todo casal dentro do mesmo ambiente de trabalho, eles possuem um impasse profissional, e no meio dele, está Jane, que está indo muito mal nos estudos. Dando-lhe uma nova oportunidade de se recuperar, Rita resolve perseguir Jane, mas tudo com o intuito de fazê-la cumprir o que prometeu na reunião que tiveram. Ben, por outro lado, apóia a irmã e continua a encobri-la toda vez que Gray necessita de seus serviços durante o tempo em que ela está na escola.

Billy manteve-se frio com a melhor amiga do começo ao fim, até Jane se tocar que a ideia de seguir em frente com sua carreira e largar a escola, seria o mesmo que deixar o amigo para trás e tudo o que eles construíram ao longo dos anos. Depois de muitos golpes de azedume, a jovem volta para os braços do garoto, que a ajuda como sempre na mentira mal elaborada por Ben para safá-la de Rita. Pensei que eles não se reaproximariam devido a onda de sentimentos que está em torno deles, mas Billy volta a se posicionar como o protetor da garota. Eles brigados “para sempre” seria um tanto quando desanimador para manter a série divertida.

O desfecho foi clássico e ácido. Fiquei me perguntando onde estaria India nessa confusão toda e a resposta apareceu nos minutos finais. Trabalhada no salto 15 vermelho e de sobretudo, como se fosse uma espiã, a vilã está sedenta por vingança contra todos da Donovan Decker. Ser representante da Harrods, é o pico culminante para desmoronar a paz de Gray como Designer Criativa. Além de aborrecer a ex-chefe, o foco da designer é esmagar Jane, custe o que custar.

Dessa vez, o diabo realmente vestiu Prada.

Artigo escrito por: Stefs Lima

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s