The Vampire Diaries (3×21) – Before Sunset


O professor de história se foi e, agora, ele teve que esperar a noite cair para sair do seu esconderijo e colocar seus planos primordiais em prática: aniquilar todos os vampiros existentes de Mystic Falls. Ficou nítido nesse episódio que o efeito do anel de ressurreição dos Gilbert não seria direcionado somente a destruição dos Originais – à pedido de Esther – como também para honrar os efeitos de Samantha Gilbert em cortar o mal pela raiz da era vampiresca. Antes fosse Klaus, que finalmente teve seu fim, o problema particular do alter ego de Ric. Para dar um gosto para a season finale que se aproxima, assistimos uma trama agitada do começo ao fim, que nos permitiu imaginar o que virá em seguida. Mas, depois de tantas idas e vindas dos personagens de TVD, me pergunto: há probabilidade do híbrido realmente ficar de molho?

Após tantas peripécias, eis que Klaus se despede da série e o responsável em congelar sua existência é Stefan Salvatore. Todo o plano de impedir Alaric com suas maldades saiu pela culatra, dando ao irmão de Damon a vingança que ele queria de maneira inesperada. Ele mesmo colocou um término ao pesadelo que o híbrido alastrava na cidade e nada mais certo do que ter sido o personagem em interromper mais uma investida do inimigo que se refletiria em Elena. A vingança do Salvatore foi a ideia mais justa dessa temporada inteira. Não acho que deveria ser Alaric ou qualquer outra pessoa responsável para acabar com Klaus, a não ser Stefan, pois quem foi o mais prejudicado nas mãos dele foi o Salvatore mais novo e ninguém mais. Sem Klaus, os tormentos chegaram ao fim, restando apenas o professor de história que continua tocando o terror a fim de atingir seus objetivos devido a um sentimento tão destrutivo e desconexo causado pela existência de vampiros.

Jeremy e Elena tentam seguir em frente, supondo que Alaric está morto. O episódio em si já começa com aquele clima todo pós-funeral, até Bonnie surgir com Damon nos calcanhares na casa dos Gilbert. Apreciei o fato de manterem a nova personalidade de Jeremy, embora eu continue a não gostar dele, mas ele está mais maduro, especialmente quando o assunto é a irmã e seus amigos sobrenaturais. Adorei quando ele pede a Stefan um dia sem vampiros, algo que interligará a história dos Gilbert no próximo episódio. A ideia de mostrarem os irmãos dando a volta por cima foi exagerada, mas inteligente, pois sabemos que Elena é bem difícil em deixar as memórias desvanecerem e ela adora se automutilar. A cena em si foi bem construída, mas obviamente que ela foi quebrada por Alaric e Klaus. O híbrido tinha que causar um pouco de risos – pelo menos eu ri demais da infantilidade dele – em querer ir embora de Mystic Falls e querer levar Elena que voltou a ficar sob custódia dos Salvatore, atacando a casa dela com objetos da vizinhança.

As cenas que antecederam o final de Klaus significaram o que o personagem vem mostrando desde que sua família fora liberada de seus respectivos caixões: uma mágoa sem fim. Por isso, ele nem pensou duas vezes em abrir mão de Rebekah que foi esperta o suficiente em sair da cidade antes que as coisas piorassem para seu lado. Temos, mais uma vez, uma comparação relativa entre os Mikaelson e os Salvatore, na questão de união familiar, e claro que Damon e Stefan se sobressaem como um exemplo de irmandade. Klaus nunca abriria mão dos seus híbridos e nem deixaria Elena para não realizar seus fins que só se concretizam por intermédio dela. Como disse na review anterior, Elena conseguiu ganhar minha antipatia de vez e não me importaria se ela saísse em turnê com Klaus para parar de avacalhar a vida dos amigos e dos Salvatore.

Falando na própria, o egoísmo disfarçado com a bondade de poupar o coração dos Salvatore já passou dos limites e foi um diálogo sem noção que colocaram na boca da personagem. Mas, mencionando Klaus mais uma vez, gostei da maneira realista com que ele tratou esse “problema emocional” de Elena com relação aos irmãos, dizendo coisas que a jovem não queria ouvir, como ela ser a principal culpada se ambos voltarem a se odiar, o que explicaria o fato dela não ter feito a escolha entre eles. Ainda bem que chegamos a season finale de TVD e eu espero que essa história se resolva logo de uma vez. Não dá mais para sustentar essa novela mexicana. Depois de ter curtido momentos de revival com ambos, está mais do que na hora de Elena resolver logo onde seu coração deve ficar. É irrelevante se for com Stefan ou com Damon, pois por mais que eles tenham prometido um ao outro que iriam embora de Mystic Falls após a decisão da jovem, isso é só conversinha, pois sabemos que a cidade dos vampiros sofre do mesmo problema de StoryBrooke: ninguém consegue ir embora.

A união dos Salvatore foi algo difícil de reconstruir. Tudo bem que o que move o triângulo é Elena, mas se trata de uma brotherhood que deixou de existir desde que Stefan foi responsável pela transformação de Damon em vampiro e pelo fato de Katherine ter escolhido o Salvatore mais novo. Eles estão muito melhores juntos, sem as partes particulares de indiretas, que às vezes soam muito forçadas e que só são utilizadas para lembrar que Damon é o insensível da história. O diálogo deles no carro, no final do episódio, queria nos fazer acreditar que nada de ruim poderia separá-los, nem mesmo a mulher que amam mutuamente. Teoricamente, eles podem se afastar, para não ter que tolerar a dor do amor perdido, mas estamos falando de Mystic Falls. As pessoas sempre voltam e, com eles, não seria diferente, pois ao longo dessa temporada assistimos picos da amizade dos Salvatore, a maneira como eles se protegeram e como dariam a vida um pelo outro. E, o mais óbvio, eles são o centro da série.

O ponto da minha indignação, mais uma vez, foi Caroline Forbes e sua utilidade em sofrer. Não gostei do que fizeram com ela e chego a conclusão que essa será a única serventia da jovem que não tem força nem para agir como uma verdadeira vampira. Ela tem o lado meigo dela e tudo mais, acho lindo, mas se tratando do que ela é, é dispensável. Depois de tantos altos e baixos, ela deveria aprender com Bonnie a lição de se interpor entre os problemas. Já se foram três temporadas e nada de oferecer algo bom para a barbie? É inaceitável! Por outro lado, o namoradinho dela, Tyler, continua a se destacar, provando que Klaus não manda mais nele e colaborando com o fim do híbrido, salvando a pele de Elena.

Eu gostei e muito da atuação de Matthew Davis, encarnando o lado mal de Alaric. Era algo que não esperava que fosse funcionar tão bem, considerando como o personagem surgiu e vinha se mantendo antes de enlouquecer. O bacana é que teremos finalmente o alter ego de Ric colocando seu planos adiante, virando o conselho contra a xerife Forbes e a mãe de Tyler, um motivo para as coisas esquentarem mais um pouco no último episódio da temporada.  Me deu uma sensação de nostalgia a cena final do episódio, com a turma de Elena celebrando o final de Klaus, mal imaginando o pior que deverão enfrentar. Honestamente, não sei o que esperar para a season finale, pois tudo pode acontecer, como a morte de alguém. Só sei que na próxima quinta-feira teremos doses fortes de emoção, então, providenciem lenços, pois tenho certeza que tudo será um baque surdo no peito, com aquele gosto de luto que só TVD sabe prolongar até a próxima temporada.

Artigo escrito por: Stefs Lima

4 thoughts on “The Vampire Diaries (3×21) – Before Sunset

  1. EPS MUITO FODA!,
    Muito bem trabalhado e me surpreendendo muito!

    Acho que é de um vilão como Ric que TVD precisava pra esquentar mais!

    Fiquei muito agoniado com o começo, Caroline só sofre nessa série, foi tão foda e tenso ela sendo arrastada pelos cabelos! Puts.

    O eps inteiro foi cheio de tensão, curti tudo, menos Jeremy, bem que o coração dele podia ter ficado sem bater kkk ;D

    O final foi bom demais, Ric sambou na cara de todos hehehe’
    Nunca esperava que o personagem ia me surpreender tanto assim…

    Enfim, morrer de ansiedade para o Season Finale é pouco!

    • A ideia de criar um outro vilão além do Klaus foi uma sacada esperta. Até pq os Originais começaram a saturar as coisas, ficando tudo mto repetitivo em um jogo de quem vive ou volta a viver hahahahaha mas estou ansiosa para o final, quero mto o flashback dos Gilbert e que o Jeremy seja o escolhido a morrer ahahahahahah

      Beijão!

  2. Interessante a forma com que este episódio se desenvolve. Gostei bastante desta pre-finale e as coisas prometem ser ainda melhores na Season Finale.

    Enfim, estou com as expectativas altas e esperos que estas sejam alcançadas…

    Atts

    • Ainnn é hojeeee e eu estou agoniadaaaa! Quero mto ver a tia Jenna e chorar litros, pq eu sei que é isso que acontecerá hahahahahahaha

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s