Touch (1×04) – Kite Strings


Esqueçam os episódios anteriores, esse quarto episódio é, inesperadamente, uma continuação bem-vinda do episódio piloto da série. Achei muito, mas muito interessante o fato de a série resolver mostrar o que acontecera com os personagens, apesar de não mostrar todos, que conhecemos no piloto e continuar a contar suas histórias e como estes ainda permanecem conectados, isso fora um fator decisivo para tornar este episódio o melhor que a série apresentou desde o piloto.

Gostei também do fato de não focarmos no salvamento da semana, pelo menos não relativo ao salvamento de uma vida. O que tivemos esta semana fora pessoas por encontrar conclusões para assuntos inacabados, acidentalmente relacionados com Martin, encontrando assim uma saída, um motivo para continuar a viver sua vida. Os exemplos disso estão em Bobby, que precisava pagar sua divida de gratidão a Sarah, e Randall que precisa para de se culpar por ter abandonado Sarah.

Touch é uma série que possui um conteúdo inteligente e novamente fiquei deslumbrado com a maneira em que as coisas estavam por se conectar, tudo feito por Jake. Ou seja, cada ação do personagem é precisamente calculada para causar um efeito e salvar alguma pessoa em algum lugar do mundo, o maior exemplo disso é que este sabia que quando fosse soltar sua pipa esta seria guiada para o prédio de Bobby e de King Roadie, que estava conectado a Abdul que estava conectado a Laurie e assim por diante. E fora exatamente estas sensações de poder infinito que não estava por conseguir sentir nos dois episódios anteriores da série, que se olharmos por agora soam precisamente descartáveis.

Uma das conclusões mais belas que o episódio apresentou fora para Martin. Gosto de sua trama e gosto da maneira com que o roteiro decidiu dar um fim a sua esposa e começar sua verdadeira jornada. Sutherland é um ótimo ator e está por sustentar perfeitamente o personagem. Encontrei-me sorrindo ao final ao deparar-me com a aliança e a pequena e singela marca 1+1=3, sendo que esta era a conclusão que Martin precisava para superar definitivamente a morte de Sarah.

O episódio, e a série em si, estão por pecar em não desenvolver o relacionamento de Jake e Martin. Desde o piloto, a relação de ambos está estagnada, sem evoluir em nenhuma direção, ficando apenas naquele pseudo avanço que tivemos no piloto. Já falei anteriormente e continuo por afirmar que a relação de Martin e Jake é a melhor coisa que a série pode nos oferecer, porém é necessários termos algum avanço para esta nos satisfazer.

Continuo por gostar de Touch, esta consegue ser uma série inteligente sem ser demasiadamente complicada e espero que esta saiba lidar com os seus elementos em futuros episódios, pois neste episódio a série conseguiu novamente se sobressair e apresentar algo acima da média. Kite Strings foram um episódio que soube emocionar, ser dinâmico e manter o interesse do telespectador nos acontecimentos que estavam predestinados a acontecer e caso a série decida manter tais personagens, Randall e Abdul, mas freqüentes em seus episódios, não será eu que reclamarei.

Artigo escrito por: Well Fernandes

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s