The Killing (2×01/2.02) – Reflections/My Lucky Day


Acho importante começar o review dizendo que eu não entendi a razão do furacão de raiva que tomou conta da internet quando o season finale da primeira temporada não revelou o assassino. Eu li várias entrevistas com os responsáveis pela série e nunca tive a impressão de que o assassinato seria resolvido logo. Aliás, não revelar o assassino tão rápido (lembro que só se passaram duas semanas na série) faz todo sentido se levarmos em conta que a proposta da série é retratar uma investigação de um assassinato com forte repercussão na mídia e todo o processo extremamente complicado de pistas e suspeitos. Dito isso, gostei muito da primeira temporada, com a possível excessão do ritmo por vezes lento demais.

E assim, chegamos na segunda temporada, que começa exatamente onde a primeira terminou. Richmond é baleado, socorrido e vai para o hospital, enquanto que Linden decide ficar em Seattle. Assim, logo de início a série elimina algo que não havia gostado na primeira temporada: a storyline envolvendo a sempre adiada mudança de Linden. É bastante interessante a maneira como o episódio retrata a investigação que Linden realiza sozinha e é curioso notar que sem Holder ela avança muito mais em direção à resposta certa do que em toda a temporada anterior. E parece que a relação dela com o filho melhorou depois da troca de “eu te amos”, o que é algo bom, pois me parece que Jack só está na série por dois motivos: criar problemas para Linden e humanizá-la mostrando-a como uma mãe normal (me identifiquei totalmente quando ela manda o filho comer comida de verdade). Linden é uma das melhores personagens da série e o trabalho de Mireille Enos é incrível.

Aliás, outro ótimo personagem interpretado por um ótimo ator é Holder. Após terminarmos a temporada passada pensando que ele fazia parte dos “vilões”, o roteiro fez um ótimo trabalho desconstruindo essa imagem, desde quando descobrimos que ele foi levado a acreditar que Richmond realmente era culpado e que ele só aceitou entregar a foto falsificada em troca da promoção até a excelente cena em que ele esmurra a porta do quarto de hotel de Linden e deixa seu distintivo recém conquistado no chão. Aliás, foi bem interessante o que ele fez ao trocar as mochilas e perceber que Oaks estava mentindo, mostrando que ele não é idiota e que poderia ter conseguido o distintivo por mérito próprio. O que acontece com Oaks, aliás, é curioso, pois fiquei em dúvida sobre a razão de sua aposentadoria: a série da a entender que foi apenas devido aos problemas com o caso de Rosie, mas a cena em que ele mente sobre o resultado da análise da mochila para Holder me deu a impressão de que ele percebeu que algo de muito errado estava aconteceu e resolveu sair enquanto ainda era possível.

Falando da mochila, as cenas da família Larsen foram, em minha opinião, os momentos mais fracos do episódio, embora as cenas envolvendo Belko tenham sido incríveis, assim como a cena em que Stan ouve seu filho mais velho dizendo que o assassino estava na porta de casa e que seu pai não pode protegê-lo. Eu ainda não entendi o sumiço de Mitch, perdi alguma coisa ou isso ainda não foi explicado?

Todas as cenas envolvendo Richmond, Jamie e Gwen foram muito bem desenvolvidas, especialmente o confronto entre o político e Linden e quando Gwen confessa a Jamie que contou para a polícia que Richmond não estava com ela na noite do assassinato. Aliás, a qualidade da série se mostra em alguns detalhes, como as duas ideias idiotas que são expostas nesse episódio. Richmond optou por não contar a polícia sobre sua tentativa de suicídio porque isso prejudicaria sua campanha. Isso é possível, mas entre isso e ser preso acusado de assassinato (não vou considerar levar um tiro porque ele não poderia prever isso), certamente o segundo prejudica muito mais sua campanha. Linden também teve uma ideia muito idiota nesse episódio, a de pedir para uma jornalista ligar para Gil Sloane perguntando sobre a foto falsificada: sim, isso deu uma ótima indicação de que ele estava envolvido e levou Linden a descobrir o envolvimento de uma membro do comitê de Adams, mas também fez com que ele apagasse evidências que poderiam ser fundamentais para comprovar tudo o que Linden está descobrindo. Assim, da mesma maneira que as pessoas na vida real fazem coisas idiotas o tempo todo, é bom ver que alguns personagens também fazem isso, inclusive com sérias consequências.

E falando sobre o envolvimento do comitê de Adams no assassinato, parece que nessa temporada não vamos ter um suspeito após o outro, mas sim uma conspiração sendo desvendada. Eu gosto de conspirações e habilidade com que a série consegue nos enganar facilmente, nos levando a acreditar que algo é verdade ou que um personagem agiu por tal motivo, só torna tudo mais interessante. Assim, é arriscado colocar o pessoal de Adams, ou mesmo o próprio, como culpados da morte de Rosie. E a pessoa que estava fotografando Linden, quem era? Será a mesma pessoa que deixou a mochila de Rosie na porta dos Larsen?

Por fim, só não gostei de duas coisas: Linden voltar tão rápido à investigação oficial e ela descobrir tão rápido a verdade sobre onde Richmond estava (não dava para ter investigado um pouquinho mais antes de acusá-lo?). Então, a volta da série foi excelente e a série conseguiu expandir ainda mais seu universo, as possibilidades em torno do crime e também complexificar ainda mais seus personagens.

Artigo escrito por: Vinicius Vinera

2 thoughts on “The Killing (2×01/2.02) – Reflections/My Lucky Day

  1. Excelente Premiere… Sério, Reflection fora um episódio perfeito, sem comparações, fora tudo simplesmente perfeito. Lucky Day também não desequilibrara o nivel e tivemos um premiere recheada de qualidade…

    Estou muito interessado em saber como desenvolverão as coisas nesta temporada, sou muito fã de teorias conspiratórias e fiquei bem satisfeito quando a série decidiu embarcar neste caminho…

    Vamos só ver o que irá acontecer a seguir mas já tenho The Killing como uma das séries que mais anseio pelo próximo episódio, por agora.

    PS: Excelente Review…

    Atts

    • Obrigado Well =) E concordo contigo, gostei que a série resolveu embarcar nesse caminho. Acho mais interessante do que o surgimento e descarte de vários suspeitos, como foi feito na primeira temporada, pelo menos.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s