Touch (1×03) – Safety in Numbers


Após impressionar-me com um piloto precisamente inteligente, comovente e emocionante, Touch me decepcionara em seu retorno ao apresentar um episódio entediante e simplesmente comum na ultima semana. Então como será que olharíamos este terceiro episódio? Com a mesma expectativa que estava em relação ao segundo ou com uma expectativa zerada devido a decepção que o ultimo causou? Decidi olhar a Touch com um olhar comum, e não sei se fora isso ou não mas ao final do episódio encontrava-me satisfeito com o que vira.

O grande mérito de Safety in Numbers é o fato que o episódio se desenvolve além de Jake e Martin e nos apresenta um pouco mais sobre os seus personagens secundários e até mesmo uma pequena trama de fundo. E era exatamente isso que acreditei que estava por fazer falta a série, uma trama de fundo, algo que faça cada episódio ser único e fico feliz pelo fato desta não demorar muito para nos entregar algo.

O que há no quarto seis da instituição onde a relação de Jake e Martin está por ser avaliada conseguiu chamar o interesse desde o primeiro instante. Claro que já tenho alguns palpites sobre o que pode haver no quarto mas ainda é algo muito sensível, não possuo um bom argumento para fundamentar a minha teoria.

Arthur e Clea tiveram muito mais do que algumas falas durante o episódio e ambos já estão por demonstrar sinais de suas próprias tramas, deixando assim um pouco de lado o foco da série na relação de Martin e Jake. Para Arthur temos um acontecimento que abalou todas as estruturas do médico, algo aconteceu em seu passado e temem que o mesmo possa acontecer com este se encontrar-se envolvido com Jake. Já Clea carrega uma misteriosa trama sobre sua mãe, uma vez que esta encontra-se perdida e sabe-se lá se está viva ou morta. Enfim, acho válida as pequenas distrações que estas tramas podem trazer, apenas espero que estas não tentem ofuscar o que de melhor a série nos apresentou até o momento: a relação de Martin com Jake.

Já a relação de Martin com Jake pouco evoluiu, tivemos mais uma vez Martin correndo contra o tempo e o desconhecido em busca de descobrir o que mais um número dado pelo garoto significa. O caso desta semana fora superior em todos os sentidos ao caso apresentado semana passada e soube manter as coisas interessantes ao apresentar um enigmático personagem para desafiar ainda mais a mente confusa de Martin.

Para finalizar nos encontramos novamente com o celular mostrado no episódio piloto e até podemos presenciar algumas histórias paralelas envolvendo o mesmo. Acredito que ainda há muito a ser mostrado com este celular, não faço a mínima idéia de qual será a sua função para o decorrer da série, mas sinto que sua presença será fundamental para o desenvolvimento de algumas tramas.

Sim, estou muito mais confiante com Touch ao finalizar este episódio do que estava antes de assisti-lo. Acredito que finalmente a FOX conseguiu acertar em alguma de suas grandes apostas. Alcatraz fora um buraco sem fundo, Terra Nova um pílula capaz de te adormecer em cinco segundos e Touch realmente parece ser algo que vale a pena ser assistido. Vamos esperar o próximo episódio que lhe afirmo algo com muito mais clareza.

Artigo escrito por Well Fernandes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s