Nikita (2×18) – Power


Qual é origem do poder? Será este originário de horas e horas de pensamentos, de estratégias e planos? Será este originário de um sentimento profundo, inabalável e por muitas vezes obscuro? Ou será este originário de uma emoção espontânea, um lapso repentino de ódio ou amor que nunca imaginou existir? Por mais que tentamos descobrir nunca iremos ter uma resposta concreta ou satisfatória, para descobrirmos a origem do poder é necessário avaliarmos o momento, a situação, o local e, principalmente, as pessoas que o desejam. O poder não é algo que pode ser simplesmente alcançado apenas pelo sentimento ou apenas pela estratégia, o poder é um misto de ambos e quem for capaz de dominá-los será o grande portador de tão estimado poder. Mas aí eu lhe pergunto: Será você capaz de puxar o gatilho quando chegar a hora?

I let her live.

Power, como o próprio nome já diz, é um episódio onde o alcance do poder dos personagens é testado. Mas não é só sobre poder que Power é, este fala principalmente sobre fraqueza, um inimigo invisível que é atraído aonde quer que o poder esteja. Sim, este fora mais um episódio incrivelmente fantástico de Nikita e não há outras palavras que sejam capazes de descrevê-lo. Não sei se é a minha paixão pela série ou se é esta que realmente está por fazer uma das melhores e mais consistente temporada da atualidade, principalmente deste que regressou no inicio deste ano, mas não consigo encontrar deifeito algum. Mas não estou por me importar se é a minha paixão pela série que está por me deixar cego em relação aos defeitos que a mesma possa ter, o que importa é que estou por adorar cada espetáculo que esta série nos apresenta. Nikita está por ocupar o tão almejado lugar de minha série favorita atualmente e isto é um grande mérito visto que espionagem não é o meu gênero favorito.

O episódio começa de forma tensa, apresentando algo que nunca antes fora visto na série: um duelo mortal entre Amanda e Nikita. Sempre fomos acostumados a acompanhar Amanda apenas a coordenar missões porém dificilmente está se compromete a cumprir tais pessoalmente, o que gerou o tão esperado conflito. E Amanda saiu parcialmente vitoriosa desse primeiro grande embate que as personagens travam, porém Amanda travou, a vilã não conseguiu matar Nikita quando teve a oportunidade e é através de sentimento relapso sentido pela personagem que somos apresentados a relação que ambas tinham antes da rebelião de Nikita.

E fiquei muito surpreso que ambas tinham uma relação tão pacifica e amigável. Se Michael pode ser considerado o irmão mais velho, o tutor, de Nikita durante o período de Nikita na Division, Amanda pode ser facilmente considerada a irmã mais velha, a irmã durona que sempre escondeu seus sentimentos e sempre lhe mostrou como ser bela e se sentir bela. Toda esta relação e o sentimento envolvido entre as personagens são envolvidos em uma das mais belas cenas da série. Toda a discussão e o drama expressado no segundo encontro entre Nikita e Amanda fora emocionante e chocante, chocante pois não tínhamos a noção da tais sentimentos e ambas as declarações soaram-se perfeitamente verdadeiras.

Where is Amanda?

No final da temporada anterior tivemos a queda de Percy e a ascensão de Amanda no comando da Division, este episódio serviu exatamente para inverter tais posições. Mais uma vez temos Percy a apostar alto, a ganhar o poder através de uma estratégia bem elaborada, mas, principalmente, ganhar o poder através das falhas dos outros. O erro de Amanda fora se entregar cegamente a Ari e aos planos que ambos planejaram juntos. Quero acreditar que haja outro elemento que liga Amanda a Ari, que não seja apenas o amor que esta supostamente sente pelo rapaz, Amanda, é a semelhança de Percy, uma personalidade fria a manipuladora e ver este em pedaços, sem um chão para se apoiar, apenas sustenta a possibilidade que esta se tornará ainda mais fria e manipuladora e irá fazer o possível o impossível para recuperar o que lhe foi tirado.

E Ari despencou juntamente com Amanda e a responsável por isso fora Alex. São poucas às vezes em que vemos Alexandra surgir no rosto de nossa querida Alex e neste episódio podemos ver a ascensão desta ao poder, mesmo que seja por apenas alguns instantes. Todo o dialogo travado naquela sala de conferência fora extremamente preciso e poderoso, ver Alex recitar as velhas citações de seu pai para derrubar Ari fora uma grandiosa vitória para a personagem, que certamente deve ter sentido um gostinho de vingança ao realizar tal ato.

E assim chegamos ao final de mais uma parte desta excelente temporada de Nikita. E chegamos a tal ponto com um dos melhores episódios que esta série já fora capaz de nos apresentar. Um episódio carregado de emoção, sentimentos, reviravoltas e, principalmente, carregado de poder. Agora teremos Nikita retornando apenas no próximo dia 20 para nos apresentar os últimos quatro episódios de sua segunda temporada e estou por me perguntar o que devemos esperar neste retorno e a única resposta que consegue me trazer alguma lucidez é a certeza de que com Percy a comandar novamente a Division, nós podemos esperar qualquer coisa.

Artigo escrito por Well Fernandes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s