Bloco Séries Animadas – Semanas 18,19 e 20


South Park finalmente está de volta!!

South Park (16.01) – Reverse Cowgirl

South Park utilizou a eterna disputa entre homens e mulheres sobre a tampa do vaso para discutir assuntos como a extrema interferência do governo na vida privada das pessoas, a cultura do processo nos Estados Unidos e um dos grandes dilemas das sociedades ocidentais no século XXI: segurança ou liberdade? Claro que, como é costume na série, esses temas sérios e complexos foram abordados com muita ironia e situações absurdas e hilárias. Tudo começa com a mãe de Clyde morrendo após ficar presa no vaso porque Clyde não baixou a tampa. A partir daí, o governo cria uma agência para fiscalizar o uso de vasos de maneira segura, aumentando a segurança e o absurdo a cada cena. Enquanto isso, toda uma storyline sobre processos judiciais ocorre que não achei particularmente engraçada ou que trouxe algo de interessante para o episódio, exceto, claro, o jeito certo de utilizar um vaso. Outros ótimos momentos do episódio foram todas as cenas envolvendo Cartman, a cena final de Clyde e a sequência com o homem que assiste todas as câmeras dos banheiros. Então, South Park retorna com um ótimo episódio, o que me dá muita esperança para esta temporada.

The Simpsons (23.15/23.16/23.17) – Exit Through the Kwik-E-Mart / How I Wet Your Mother / Them, Robot

Os últimos três episódios dos Simpsons foram três paródias seguidas de filmes, com dois episódios centrados em Homer. O 15º episódio foi uma paródia de “Exit through the Gift Shop” (que recomendo, se você não viu) e eu gostei mais da storyline envolvendo Apu do que da paródia do filme, mas as imagens criadas por Bart foram muito divertidas. No entanto, o maior destaque do episódio foi certamente a abertura ao estilo Game og Thrones, que ficou ótima.
O 16º episódio foi uma paródia de A Origem (Inception) e foi um pouquinho melhor. Homer começa a “molhar a cama” e com a ajuda do professor Frink eles entram no sonho de Homer para tentar descobrir o que está acontecendo. O episódio teve várias partes interessantes e engraçadas, como os desejos mais profundos de Homer, o sonho de Marge com a animação da primeira temporada, a discussão sobre carma e até mesmo a cena inicial do roubo dos suprimentos, mas a resolução do problema de Homer não foi muito criativa.
A terceira paródia seguida foi sobre Eu, Robo, no 17º episódio. Todos os empregados da Usina são demitidos e substituídos por robos, menos Homer, que se sente sozinho e resolve fazer uma reprogramação nos robos. Obviamente, era só uma questão de tempo até os robos se revoltarem, mas as melhores cenas tiveram eles como protagonistas, como no jogo de baseball ou quando eles se matam para proteger Homer. Além disso, as coisas que os habitantes de Springfield foram obrigados a fazer para sobreviver em uma economia com 99% de desempregados também foram divertidas.
Em geral, essa tríade de paródias teve alguns momentos inspirados e engraçados, mas as tramas e storylines não foram muito criativas ou interessantes, colocando os episódios praticamente no mesmo nível, embora a paródia de A Origem tenha sido mais divertida.

Family Guy (10.15/10.16/10.17) – Burning Down The Bayit / Killer Queen / Forget-Me-Not

No 15º episódio, Peter e Quagmire ajudam Mort a queimar sua farmácia para obter o dinheiro da seguradora e tudo quase dá certo, mas Joe decide investigar a fundo e descobre o que aconteceu. No final, no entanto, Joe conta que foi devido a uma seguradora que ele acabou em uma cadeira de rodas e decide liberar seus amigos.
Já o 16º episódio foi muito mais interessante, com duas storylines engraçadas. A melhor, sem dúvida, foi a de Brian e Stewie, com o medo que o último sente do robo da capa de um disco do Queen. O crescente de complexidade nas tentativas de Brian de assustar Stewie foi divertido de acompanhar, assim como a maneira como essa storyline se encontrou com a principal. Nela, Chris vence um concurso de “quem come mais cachorros quentes” e Lois acaba enviando ele e Peter para um acampamento para gordos. O que poderia ter virado uma sequência interminavelmente irritante de piadas sobre gordos se transformou numa trama de assassinato interessante e com piadas divertidas, tendo como bônus a volta do irmão de Lois.
Por fim, o 17º episódio começa de maneira interessante, com o acidente e Peter, Quagmire, Joe e Brian acordando em um hospital sem saber quem são e com todas as outras pessoas desaparecidas. Mas, embora algumas alusões às características reais dos personagens tenham sido engraçadas (como Joe pensar que é um stripper), o desenvolvimento dessa história foi bem sem lógica e um pouco sem graça. A resolução, no entanto, me surpreendeu, pois gostei de ver as máquinas de Stewie de volta.
Enfim, três episódios ligeiramente diferentes de Family, sendo o primeiro muito sem graça, o segundo com uma duas ótimas storylines e o terceiro com uma storyline que poderia ter sido melhor aproveitada, mas que não foi um desastre.

Artigo originalmente escrito por Vinicius Vinera e publicado no Portal de Séries.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s