House (8×14) – Love is Blind


Qual destas é a pior sensação: a sensação que um episódio fora entediante porque não havia nada de interessante a ser mostrado ou a sensação de que o episódio fora decepcionante porque não soube explorar o que fora mostrado? Bom, nenhuma das duas são boas escolhas mas a segunda opção consegue ser a pior, ao menos na minha humilde opinião. E é exatamente nesta que este episódio de House se encaixa, Love is Blind apresentou de forma ridícula e forçada uma trama que há tempos vem sendo desejada pelo telespectador.

Love is Blind tinha todos os elementos possíveis para se tornar um grande episódio e durante os primeiros dez minutos conseguimos acreditar que este seria. Faltou um pouco de cada elemento para que este seja capaz de agradar a todos nós, faltou um pouco de dinâmica com a paciente que fora apresentado esta semana, mas o principal, faltou argumentos para a principal trama do episódio: House, Blynthe e seu pai biológico.

O confronto de House com sua mãe e a revelação que este sabe a verdade sobre sua paternidade foi fria e sem graça. A relação de Blynthe com House fora inquietante, a revelação de que House ainda necessita da aprovação materna gerou algum interesse mas nada de grande ou realmente interessante fora trabalhado em cima desta situação. A relação de House com seu pai biológico fora desprezada e extremamente forçada, a série falhou em tentar criar um conflito entre ambas as partes.

O final também não fora satisfatório, a revelação de que o pai biológico de House na verdade não é seu pai biológico não conseguiu causar algum impacto, nem mesmo nos causar algum interesse em saber quem é o verdadeiro pai do médico.

O episódio fez-se valer a pena por duas razões: a primeira fora o relacionamento de House com Blynthe, podemos chegar a algumas conclusões sobre a origem da personalidade manipuladora e egoísta do médico ao ver o seu relacionamento com sua mãe, uma pessoa que o conhece demasiadamente bem. Outra razão que tornara o episódio menos ordinário fora a relação de Park com o LSD, ou melhor, as ações de Park após ingerir inocentemente LSD.

O caso semanal pecou por não oferecer um grande dinamismo com a House Team, tornando este mais um dos casos dispensáveis da temporada. Como dito anteriormente, este apenas valeu a pena pois dera a oportunidade do lado cômico de Park brilhar e nos apresenta diversas cenas engraçadas.

Em suma, um episódio que não passará do mediano mas que, devido ao fato de me causar uma certa decepção em relação a resolução de um storyline que aguardo ansiosamente desde a quinta temporada, ganhará uma nota abaixo da média. Espero que essa trama se intensifique ou volte a ser esquecida pelos roteiristas novamente, pois não merecemos mais doses de uma trama forçada e inesperadamente entediante.

Artigo originalmente publicado no Portal de Séries.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s