Nikita (2×13) – Clean Sweep


Crescemos em um mundo onde nossos pais e toda a sociedade nos ensinou que apenas os fortes sobrevivem , que só os fortes podem ditar as regras existentes no mundo em que vivemos. Distorcendo a frase e tentando trazê-la para a nossa realidade, podemos dizer que vivemos um mundo onde apenas os inteligentes sobrevivem, força já fora superada há tempos atrás e apenas os inteligentes são capazes de garantir pequenos ou grandes trunfos em sua vida. Porém julgo dizer que esta colocação também se encontra errônea, do que adiantas força se os cérebros são membros superiores, calculam todo um processo de vida e podem nos levar a alcançar grandes sucessos, mas de que adianta a inteligência se somos controlados pelos nossos sentimentos, ou como muitos dizem, pelo nosso coração? Quem nunca deixou de fazer algo, tomar uma atitude apenas porque alguém poderia sair machucado ou porque poderia perder aquilo que acreditava ser o amor de sua vida? Perdemos grandes oportunidades por causa de nossos sentimentalismos, então reformularei novamente a frase que crescemos a ouvir: Apenas os frios, as pessoas sem sentimentos, sobrevivem. E acredito que não há como esta não ser a colocação mais correta devido à atualidade em qual vivemos.

Mas estamos aqui por falar de Nikita ou por tentar entender o mundo e as suas muitas complicações? Bom, acredito que estamos por falar de ambos e julgo o parágrafo acima mais do que necessário para definir este excelente episódio da série. Nikita mostra, em sua devida maneira, a frieza que podemos encontrar no mundo, apesar desta mostrar como um inteligente jogo de espiões e agentes revoltados, poderíamos facilmente transpor esta história de traições e sentimentos esculpidos para uma firma de advocacia, um hospital, uma delegacia ou até mesmo um drama teen. Claro que estamos por acompanhar diversas histórias que demonstram traições e um misto diversos de sentimentos mas estou por duvidar que algumas delas estejam por ser tão excelentes quanto a de Nikita, ao menos quando estamos por falar de séries transmitidas em canais abertos.

Antes já reconhecia, porém agora tenho a coragem e a audácia de dizer que Nikita é a melhor série da televisão aberta atualmente. E não acredito que isto possa soar novidade para alguém. Nikita é uma série cafajeste, apresenta imensos e delirantes cliffhanger e nos deixa abandonados por semanas, semanas em que chegamos a beira da loucura devido a tanta ansiedade e tanto desejo de conferir o que estás prestes por vir. E como sempre, Nikita não nos decepciona e nos apresenta um episódio mais do que perfeito para concluir a primeira parte de sua segunda temporada.

Todos os amantes da série sabem o quão excelentes foram os dois últimos episódios da série e também sabem que estes trouxeram tramas interessantíssimas a serem trabalhadas de uma maneira singular, recheada de qualidade e momentos delirantes, Clean Sweep selecionou essas tramas e as fez alcançarem os seus ápices e as concluiu de uma maneira que as tornou ainda mais épicas. O episódio ainda nos entregou as novas tramas que terão destaque no restante da temporada e todas as possíveis tramas se mostram interessantíssimas, capaz de nos fisgar por cada segundo até que o ultimo episódio da temporada seja exibido.

Iniciamos o episódio exatamente por onde o anterior fora finalizado, como se nós não tivéssemos passado semanas angustiado esperando este retorno, com Percy e Amanda e a revelação dos planos que o primeiro estava por planejar desde que estava no comando da Division. Progredimos com Amanda a fazer um pequeno trato com Percy, esta o libera e o deixa livre porém ela permanece por governar a Division, trazendo assim a decepção para ambos os lados. Os planos de Percy tiveram um planejamento perfeito e fora coordenado com uma sincronia inacreditável porém pessoas são imprevisíveis, mais principalmente, Nikita não pode ser previsível.

Enquanto Alex parte para tentar desmantelar a gerador e assim livrar a Division de um possível massacre que estaria prestes a ocorrer naquelas paredes, Nikita, Sean e Michael partem em busca de tentar conseguir resgatar os membros da Oversight das garras dos guardiões de Percy e ainda tentar conseguir colocar as mãos e destruir o aparelho capaz de ativar o gás e matar a todos que estão presentes na instalação da Division. O encontro com Percy deixa ambas as partes exaltadas, porém a frieza do grande vilão da série resulta na morte de três dos membros da Oversight e em pequenos grandes diálogos.

Como dito acima, pessoas são imprevisíveis e agência secretas, tanto governamental quanto criminal, são ainda mais imprevisíveis. Porém ao longo dos anos Percy fora colecionando inimigos e a Gogol deseja tanto a sua decadência e a decadência de seu país que rastreou os guardiões e conseguiu a localidade dos mesmos, levando assim os seus agentes de encontro com Percy, Nikita, Sean e Michael.

As cenas de Alex na Division souberam manter o interesse e não danificam a qualidade do episódio. As cenas onde estas confrontam Roan geraram momentos de fugas interessantes e por alguns momentos fui totalmente capaz de acreditar que esta nos traria uma das mortes mais desejadas de Nikita, a morte do fiel aliado de Percy. Fora por pouco mas Alex conseguiu neutralizar o ataque que Percy havia ordenado, salvando assim todas as vidas que ali na instalação estavam presentes e por alguns segundos fui capaz de acreditar que Amanda faria de Alex sua prisioneira, a manteria presa na mesma sala que Percy passou um bom tempo, porém esta mostra que há outros planos para o futuro da garota.

E por final temos três grandes fatores que serviram de tema para o desenvolvimento dos próximos episódios. Temos Percy ferido porém não menos frio e manipulador e acredito não tardara o momento em que este montara sua própria agência, em outro planos temos a Senadora Madeleine a estipular planos para o futuro de Nikita e Michael e estes planos envolvem perdão presidencial e uma busca contínua a destruição da Division e de Percy. Porém o que mais me interessara fora Amanda e sua inimaginável relação com Ari e como estes buscam o poder acima de tudo. Como esta relação surgiu? Não possuo a mínima idéia porém estou muito interessado em saber e, principalmente, em ver o que o desenvolvimento desta relação trará para a série.

Já estava por esquecer-se de comentar a fantástica cena de Amanda e da máscara de gás. A personagem manipulara o telespectador nesta cena e até emocionei-me no momento em que esta se revela pronta para morrer juntamente com as outras pessoas que residem a instalação da Division. Fora que nem Percy disse: Em um naufrágio, o capitão há de se afogar junto com o seu navio, esta é a conseqüência de comandar algo tão instável.

E é com a Division fora de controle, Percy com paradeiro desconhecido a dar continuidade a seus planos de ascensão ao poder e Nikita e Michael a ter um privado encontro com o Presidente que damos largada a segunda parte desta que esta por ser uma excelente temporada. Nikita está cada vez mais excelente, cada vez mais madura e cada vez mais imprevisível e não há como não desejar uma terceira temporada, não há como não ansiar por mais pedaços desta deliciosa torta, não há como não elogiar a série e, principalmente, não há como não dizer que este episódio não fora perfeito, pois, felizmente, este fora.

Artigo originalmente publicado no Portal de Séries.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s