Desperates Housewives (8×11) – Who Can Say What’s True?


Infelizmente o que eu esperava e sempre apregoo por estas alturas aconteceu neste episódio e parece que vai continuar nos próximos: depois de uma série de episódios muito bons, que se concluíram brilhantemente com o anterior, temos neste 11º episódio acontecimentos mais calmos e desinteressantes e quase nenhuma evolução na história principal. E isso vai continuar a acontecer durante mais 5-6 episódios até o final se aproximar e entrarmos numa ascensão louca até à final. Espero estar enganado, claro, mas duvido que a série siga um plano diferente este ano.

A única história que se relacionou mais ou menos com o mistério da temporada foi a de Susan. Ao chegar à terra natal de Gaby e Alejandro, Susan encontra a sua casa à venda, e fazendo-se passar por uma possível compradora, entra e conhece Claudia, a sua mulher, e a sua enteada. Com uma cena a roçar o ridículo (legos… a sério?) Susan percebe que algo de mal se passou entre Alejandro e a menina, e numa conversa secreta posterior, percebe que este terá abusado da enteada como fizera com Gaby e promete-lhe que tal nunca mais irá acontecer. Claro está que a menina conta à mãe e esta desconfiada percebe que tem a morada de Susan no cheque chorudo que esta lhe deixou e é certo que no próximo episódio lhe irá bater à porta. E pronto, Susan arranjou mais uma vez problemas. Talvez seja altura d Gaby virar as suas ameaças de morte para Susan e acabar de vez com esta série de erros que ainda acabará por levar as donas de casa à prisão.

O arco de Lynette foi tão inútil que nem valeria a pena ser referido. Passamos um episódio interior para perceber que Lynette sempre subestimou Tom e só agora, com a sua ausência perceber que ele faz falta em casa. E por isso quando surgem problemas eléctricos em casa, decide ela própria meter mãos à obra e tentar arranjar tudo sem sucesso. Não fossem os filhos a chamarem-lhe a atenção e ainda estariam hoje à escuras. Felizmente lá acaba por cair em si e chamar um electricista à altura. Já agora, onde andam os gémeos? Não aparecem há bastante tempo.

Gaby também teve um arco inútil mas pelo menos conseguiu ter alguma graça. Com Carlos ainda na reabilitação, Gaby é informada pela secretária da empresa que haverá uma reunião muito importante e valiosa para a empresa e que já que Carlos não pode, ela deverá participar. Claro que Gaby aceita o desafio, mas como não percebe nada de negócios pede ajuda a Lynette que tenta ensinar-lhe tudo o que precisa numa tarde de estudo. Claro que Gaby, preguiçosa, se recusa a aprender e segue para o restaurante com cábulas. As cenas do jantar foram engraçadas, mas claro que tudo corre mal e o negócio não se cumpre. Mais tarde Lynette e Gaby fazem as pazes e choram juntas as saudades e a falta que os maridos lhe estão a fazer. Enfim, cenas que se dispensavam nesta altura do campeonato.

Bree anda perdida. Quando mostra a nova carta que recebeu a Lynette e Gaby, estas começam a desconfiar dela e acusam-na injustamente de ter algo a ver com as cartas. Situação ridícula esta, como é possível que as quatro amigas tenham chegado a este ponto, de não confiarem umas nas outras e se acusarem mutuamente? Seja como for, Bree continua sem as amigas do costume e apoia-se agora em Renne que continua lá por casa. E é mesmo Renne que a leva a um bar para descontrair e onde Bree, primeiro relutante, acaba por conhecer um homem com que se envolve de forma escaldante, até descobrir que o carro, o fato e até a piscina para onde a levou eram na verdade do patrão. Mais tarde, ao contar o incidente a Renne, esta percebe que Bree gostou da aventura e esta não consegue negar. E quando nessa noite vemos Bree a sair de um bar de mão dada com um homem, percebemos que vai surgir daqui mais um vício: o e homens. Apesar de não ser algo que adivinhe grandes histórias, foi o único ponto do episódio que terá algumas repercussões no futuro.

Ou se calhar há mais uma. Neste episódio conhecemos uma nova face de Ben. Parece que o homem que ajudou Bree a enterrar o corpo de Alejandro não é tão bom quanto aparenta. Já na altura, quando disse indirectamente que um dia cobraria o favor a Bree, fiquei de pé atrás . Mas neste episódio, quando Mike o impede de aceitar um empréstimo e lhe diz, sem segundos sentidos que Renne é divorciada de um grande atleta, Ben fica entusiasmado e dirige-se de imediato para casa de Renne, para a apaparicar. Nos próximos episódios vai certamente arranjar forma de deitar mãos ao dinheiro de Renne para o usar no seu projecto. Finalmente algum desenvolvimento desta personagem mistério e uma história própria para Renne.

Ah e não esquecer que também vimos umas mãos. Sim, umas mãos de homem (ou pelo menos pareciam) a conduzir um carro e a seguir Bree. Certamente será o autor das cartas mistérios. Talvez estejamos perto de desvendar esta parte do segredo (por favor Orson, que não sejas tu).

O melhor – Bem, é difícil porque nada se revelou particularmente bom. Talvez a nova direcção que as personagens Ben e Renne estão a tomar.

O pior – A história de Lynette e Gaby foram tão, mas tão dispensáveis.

Artigo originalmente escrito por Rui Alvites e publicado no Portal de Séries.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s