Nikita (2×10) – Guardians


Ainda estão nítidas em minha memória as grandes cenas estreladas no episódio passado e as grandes promessas que este deixara no ar. Teríamos Alex a possuir algum sucesso em sua busca por vingança? Teria Nikita algum sucesso em encontrar o paradeiro de uma nova Black Box? Foram essas pequenas questões que o cliffhanger passado nos deixara e é tentando desenvolve-las que Nikita nos apresenta mais um bom episódio.

Guardians é mais um grande episódio da série, um episódio que reúne tudo aquilo que apreciamos e que Nikita sabe fazer excelentemente. Temos um bom nível de ação, um bom drama, um clima de suspense satisfatório e grandes reviravoltas a acontecer porém faltou alguma coisa para tornar este mais um excelente episódio da série. Não me interpretem erroneamente, fora sim uma grande episódio e essencial para a continuidade da série porém estava à espera de algo soberbo ou magnífico, algo no nível de Alexandra, Betrayls ou qualquer outro excelente episódio que a série apresentara em seu percurso. Mas o episódio não diminui o ritmo alucinante que esta temporada insiste em nos entregar, este nos traz grandes surpresas e aumenta ainda mais nossas expectativas para a data em que a série promete retornar.

Como prometido no episódio anterior, temos Nikita a partir em busca de Owen na esperança de encontrar uma nova Black Box, Nikita não é uma série que tende a enrolar os seus telespectadores e logo no inicio do episódio já temos a protagonista a descobrir da ligação de Owen com a Gogol, não nos enrolando com uma trama que julgo ser desnecessário. Mas Owen é uma das poucas pessoas que Nikita confia e acredita que junto com o rapaz conseguirá em breve ter uma nova Black Box em seus pertences.

Uma das coisas que mais me interessa em Nikita é sua versatilidade, a personagem possui uma química crível com todos os aliados que surgem em seu caminho, seja uma química sensual, sentimental ou apenas profissional. E a relação desta com Owen não foge dessa regra, posso até indicar que há definitivamente uma atração entre os personagens porém estes se completam mais como aliados do que como parceiros, mais como amigos do que como namorados. Destaco a cena onde o roteiro nos mostra uma frágil Nikita a desabar perante Owen e todo o efeito que esse desabafo causou na relação dos personagens. Gostei bastante do roteiro não ter feito de Owen um vilão, mesmo quando este tivera a chance de trair Nikita este optou por não o fazer, dando-nos prova de que o sentimento que une amigavelmente os personagens são sinceros e profundos e esta também é uma prova de que os roteiristas da série não gostam de seguir pelo caminho mais fácil e adoram fazer difíceis escolhas, escolhas que facilmente nos agradam.

O episódio é recheado com um dos elementos mais importantes em qualquer série, filme e livro sobre espiões: a traição. Temos esta a acontecer para ambos os lados no episódio, primeiramente temos alguém a trair a Division e a ajudar Percy a manter contato com os guardiões, depois temos Owen a trair a Gogol e ajudar Nikita e a própria Gogol a trair Owen ao informá-lo que não deseja mais a destruição das Black Box e que agora deseja recolher informações de seu conteúdo. Se em um continente temos a desafiadora Amanda em outro temos a personalidade vazia de Ari e sabemos que este fará de tudo para ter seus objetivos alcançados.

Nikita chega bem próxima de possuir sua Black Box porém seus planos são atrapalhados pela Gogol e pela policia local, enquanto isso a duplicidade de Owen é descoberta pela agência russa e tudo indica que o seu fim estará bem próximo. E o fim de ambos os personagens apenas não aconteceu pois Owen teve a inteligente idéia de avisar Michael dos planos de Nikita e este mais uma vez chegara a tempo de salvar o dia. Finalmente descobrimos o significado do Protocolo Secundário iniciado por Percy, ainda não sabemos muito porém podemos concluir que haverá uma reunião de Guardiões e isso não soa nada positivo. Ao final do episódio temos Michael e Owen a partir atrás dos três guardiões restantes e Nikita a seguir Ari em busca de recuperar a Black Box que se encontra com ele e essa busca a leva diretamente onde Alex pretende realizar a sua vingança.

Já Alex não encontrou nenhuma facilidade na sua tentativa de vingança Gostei dos pequenos flashbacks que foram mostrados ao decorrer das dificuldades que esta encontrara para cumprir os seus objetivos, flashbacks que apenas fortalecem a ligação que esta tinha com seu pai e nos demonstra a razão pela qual esta busca cegamente a vingança. O cliffhanger final fora magnífico e já fora cogitado algum tempo atrás porém fora totalmente inesperado, poderia jurar que o episódio terminaria com Alex a colocar um bala diretamente na cabeça de Sergei porém não fora isso que acontecera e sim temos a personagem a fazer uma grande descoberta que trará uma grande reviravolta no roteiro da série. O roteiro de Nikita sempre fora inteligente e sempre nos indica que tudo já estava planejada desde o começo, a série sempre nos focou em apresentar flashbacks de Alex que mostram o seu relacionamento paterno, deixando de foco todo o lado materno de sua criação e tomamos a conclusão de que esta era bem mais ligada em seu pai do que em sua mãe e trazer a mãe da personagem como cúmplice de Sergei poderá ser muito interessante, criando assim diversas possibilidades de caminhos para Alex seguir e não há como prevermos qual decisão esta tomara. O roteiro fora também inteligente em arranjar uma forma de prolongar todo o storyline de Alex sem enrolar o telespectador, muito pelo contrário, toda essa reviravolta na trama a torna ainda mais satisfatória, sendo esse cliffhanger uma das razões pela qual anseio tanto pelo retorno da série.

O episódio tem seus últimos minutos a ser narrado com um belo discurso de Percy, um discurso sobre liberdade e força e podemos chegar a conclusão que apesar de suas manipulações e mentiras ele, de alguma forma, pensou nas gratificações que a finalização da vingança pessoal de Alex poderia lhe trazer e como esta poderia engrandecer como pessoa e como agente. Quem não gostou muito das atitudes tomadas por Percy fora Amanda, o que gera um pequeno confronto entre os personagens, nos mostrando apenas uma prévia do que estará por vir.

Nikita prova-se novamente como uma grande série e faz uma seqüência excelente de episódios, concluindo sua jornada por 2011 de uma forma mais do que gratificante, de uma forma única que nunca será esquecida por aqueles que cá estiveram para acompanhar. Não duvido que Nikita seja capaz de nos surpreender novamente no próximo ano e sinto que isso irá acontecer, a série é uma das poucas séries da atualidade a dar uma confiança de qualidade a seu telespectador e enquanto essa confiança não for perdida cá eu estarei para elogiar as virtudes que essa grande série possui.

Artigo originalmente publicado no Portal de Séries.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s