House (8×08) – Perils of Paranoia


Outra semana e outro episódio bem comum de House. Tento, mas não consigo esconder a frustração que está por ser esta oitava temporada, quando ocorreu o ensurdecedor finale
da temporada anterior fiquei com um pouco de expectativas em relação às mudanças que esta temporada prometia. Mas que mudanças realmente essenciais para a história veio a acontecer? Ter Foreman a ocupar inexplicavelmente o cargo de diretor do hospital ou as novas integrantes da House Team? Essas são as mudanças essências que todas as temporadas nos traz, mas cadê as verdadeiras mudanças que foram nos prometidos? House finaliza essa sua primeira leva de episódio de uma forma simplória, acredito essa seqüência de episódios tenha sido ainda pior do que a seqüência inicial da temporada passada, porém ainda há esperanças uma vez que a temporada passada apenas melhorou após o hiatus, estou realmente esperando que o mesmo aconteça com essa.

É uma pena saber que após o final de House diremos adeus a presença de Hugh Laurie na telinha, uma vez que o ator já mostrou interesse em
abandonar a mesma quando a série chegar a seu fim. Hugh sempre fora a alma da série e todo o mérito que esta tem é devido a atuação fantástica deste, espero realmente que este mude de idéia pois a televisão está por precisar de atores completos como Laurie e sua ausência seria demasiadamente sentida.

Mas vamos falar um pouco sobre o episódio assim, que fora mediano assim como os outros. Muitos dos momentos do episódio fora
desagradável, fora um episódio um pouco abaixo da média porém salvo pela dinâmica crível da dupla House/Wilson. O caso da semana não chamou meu interesse porém os conflitos que este causou entre Adams e Park foram interessantes, realmente uma pena que a resolução não tenha sido satisfatória para nenhuma das personagens, estava por esperar que uma delas sairia vitoriosa ao final do episódio e me decepcionei quando isso não aconteceu. O que fora aquela cena ao final quando Park convida Chase para um encontro, valeu realmente o episódio.

O que era capaz de acontecer quando os roteiristas tivessem a inteligente idéia de unir os dois mais fracos personagens da série atualmente? Não sei o que os roteiristas estavam por pensar mas tenho a certeza de que os piores momentos do episódio foram protagonizados por Taub e Foreman. Toda a traminha boba de que Foreman não tem vida pessoal e que sente saudade da excitação que é trabalhar para o House e o final com Foreman a começar um relacionamento com uma mulher casada não me fora satisfatório, aliás nenhum momento de ambos fora me satisfatório.

Além de trazer conflitos entre Park e Adams o episódio trouxe uma pequena discussão sobre o porte de armas como forma de se precaver de um futuro apocalipse. O assunto poderia trazer algumas séries discussões mas adorei quando este não o fez, trazer House e Wilson em uma nova disputa trouxe as melhores e as mais cômicas cenas do episódio, mesmo utilizando-se de piadas velhas a dupla consegue nos agradar, tornando-se os melhores elementos do episódio e da série em si.

Episódio morno para uma temporada morna, espero realmente que esse recesso que House enfrentará lhe traga melhoras. Pergunto-me se já não está na hora de colocarmos um fim na trama do personagem e da série em si, esta se mostra gasta, suas fórmulas estão a ficarem velhas, nem seus grandesmomentos estão a nos causar muito impacto e, sinceramente, Cuddy está por fazer falta.


Artigo originalmente publicado no portal de Séries.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s