Person of Interest (1×07) – Witness


NÃO LEIA SE AINDA NÃO ASSISTIU O EPISÓDIO. SPOILERS!

Veni, Vidi, Vici… Estou começando a pensar em Person of Interest como uma revista em quadrinhos. John Reese é um inocente super-herói que tenta salvar todo mundo (e sempre acaba conseguindo). Mr. Finch é o cérebro da operação, a todo tempo dando dicas ao super-herói, mas nunca participa do campo de batalha. A pessoa a ser salva é sempre inocente, e se não for, tem um bom motivo para fazer o que está fazendo de errado. Alguns quadrinhos podem ser previsíveis e chatos, mas há outros que divertem gerações com suas histórias bem-feitas, inteligentes e muitas vezes cômicas. Qual dos tipos é Person of Interest?

Acabando com a metáfora dos quadrinhos, começo a falar de Witness, um marco na série e, consequentemente, o melhor episódio até agora. Pela primeira vez em toda a temporada, o episódio já começou me dando arrepios. Acontece que o nome Elias está de volta e, como eu tinha previsto, agora está conectado diretamente com Reese.

A detetive Carter já abre o episódio cuidando de um caso, a execução de um homem chamado Benny, pela máfia, numa mercearia. Enquanto o homem ainda estava com um fio de vida pediu que a única pessoa que estava na loja no momento (a testemunha) entregasse uma mensagem para Elias. A testemunha, Charlie, não entendeu muito bem a mensagem, que dizia algo como “Vinnie vai terminar o trabalho por mim”. Charlie fugiu e se escondeu da máfia mas coincidentemente seu CPF aparece na máquina de Mr. Finch. Plim plim, aí está a conexão. Mr. Reese já sabia a localização de Charlie antes mesmo de Fusco ligar para ele dizendo que um homem “calvo, caucasiano e de meia-idade” estava sendo procurado pela máfia russa. Só aí John entende por que o CPF dele apareceu e vai ajudá-lo alguns segundos antes da máfia chegar. O professor Charlie conta para ele sobre a mensagem do morto, coisa que ainda não tinha contado para ninguém, e teme pela sua vida caso diga para a polícia (que, de acordo com ele, há vários infiltrados da máfia).

O celular de Reese quebra e ele fica sem comunicação com Mr. Finch. Este, por sua vez, suspeita que há outra pessoa procurando Charlie, e não só a máfia: Elias. Sim, Elias é definitivamente o vilão da temporada. Finalmente!!!!! (Mereceu cinco exclamações, certo?) Finch, com medo do parceiro estar morto, contacta Fusco pela primeira vez, que também não sabe a localização de John.

Então, resumindo: Os russos querem Charlie morto porque ele testemunhou a execução de Benny na mercearia; e Elias quer Charlie morto porque acha que Benny contou-o informações sigilosas.

Not his lucky day, is it? – Fusco

Carter tem uma teoria de que Elias é filho de Marlene Elias (aquela que morreu há 40 anos atrás, lembram?). Finalmente uma ligação, achei que os roteiristas tinham botado os nomes iguais só para confundir minha cabeça. Também descobrimos que Elias matou o tio de Peter (um russo da máfia) e por isso este matou Benny, Tenente de Elias. Muitas respostas em um episódio só, o que acham disso? E eu reclamando que o ritmo estava lento! Certamente me surpreendeu.

Reese e Charlie conseguem escapar com a ajuda de um aluno, mas antes sequestram um membro da máfia. Eles pegam uma barca esperando que Fusco estivesse do outro lado para ajudá-los, mas o detetive fora abatido por um dos homens de Elias.

E então Peter, que estava sendo interrogado por Carter, disse uma coisa que me deixou pensando por algum tempo. Ele falou que Elias iria se encontrar com Benny naquela mercearia, mas quando os russos chegaram lá só encontraram o Tenente. O que eles não sabiam é que Charlie também estava lá. Charlie é Elias. Descobri isso antes mesmo da grande reviravolta no final do episódio. Juro que já estava escrevendo “Será que Charlie é Elias? Só uma teoria…” no meu rascunho, quando vi que ele estava segurando uma arma na direção de John. Me pegou de surpresa! Excelente…

Elias deixa Reese viver como agradecimento, mas manda que ele fique longe do seu caminho. John aceita, é claro, mas nós sabemos que ele não vai deixar um homem culpado viver… Let the games begin!

Um episódio magnífico, introdução de uma temporada que acaba de começar, não podia ter vindo em melhor hora! Sem receio algum, atribuo-o a nota máxima. Talvez os próximos episódios continuem tendo casos semanais, mas enquanto houver uma história paralela relacionada à Elias, será excelente. Falem o que acharam nos comentários…

E termino o review com as mesmas palavras que comecei: Veni, Vidi, Vici. Em português,Vim, vi, venci. Palavras de Elias.

Artigo originalmente escrito por Caio Machado e publicado no Portal de Séries.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s