Feliz 300 a Glee


Podemos estar bem longe de sermos os 300 de Sparta, mas sem dúvida hoje a Glee Mamma aqui e muitos Gleeks ao redor do mundo poderão se sentir orgulhos.26 de outubro de 2011 marcou a gravação do 300º número musical da série, onde todo elenco e produção “Raise Your Glass” em comemoração, com direito a uma comitiva de imprensa, na qual alguns spoilers foram revelados, inclusive a produção estava gravando o que possivelmente seria o 300º número musical, que nada mais é do que um mash-up de uma certa cantora #1 na Bilboard, cantora na qual o elenco gosta pouco e eu mesma também diria isto (ironicamente falando).

Agora se voltarmos no tempo, lá em meados de 2009, veriamos aqueles losers se apresentarem pela primeira vez, em solos como “Respect”“On My Own”“Mr. Cellophane e a inesquecivel “Don’t Stop Belivin”. Hoje, dois anos se passaram e em sua terceira temporada, Glee prova que mesmo como todas suas bipolaridades e trollagens de seus criadores, uma das coisas que mais deve sentir orgulho são seus momentos musicais, estes que nos fizeram sorrir, dançar, cantar e chorar. Como homenagem ao #300thGleeMusicalNumber, eis aqui meus quinze momentos favoritos na série, sei que o normal é um Top 10, mas já me conhecem…..

15 – “Take a Ride” – “300 maneiras de ser espontâneo”

Voltando no tempo, precisamente no 01×07, eis que o New Directions dá forma a mais natural de todas as performances já feitas na série. Momentos como estes fazem falta….

14 – “It’s All Over” – “300 maneiras de honrar a Broadway”

A única performance da Season 3 aqui na lista, porém é com todos louros que ela se faz presente, numa temporada que tem sido a mais Broadway de todas (não reclamo em nada). Conhecendo ou não o musical Dreamgirls, pode-se dizer que toda a produção do número foi uma das mais glamourosas já feitas.

13- “Faithfully / Any Way You Want It – Lovin’, Touchin’, Squeezin’/ Don’t Stop Belivin (Journey Medley)” – “300 maneiras de contagiar-se”

Glee sem dúvida voltou a colocar a banda dos anos 80 de volta aos holofotes e esta foi e sempre será na minha opinião a melhor das performances do New Directions em competições. Finchel a abrir e todos os demais a compor este enérgico e contagiante momento.

12- “I Look To You” – “300 maneiras de tocar a alma e o coração”

Muitos nunca escolheriam este como o melhor solo de Mercedes, porém para mim esta é sua canção, talvez pelo contexto do episódio e da cena em “Grilled Cheesus”, mas considerando a própria formação de Amber, tornou-se verdadeiro o significado cada uma daquelas palavras.

11-” I Feel Pretty/Unpretty” – “300 maneiras de ser inesperado”

Está ai um dueto/mashup que fiquei de queixo caído quando ouvi e vi, afinal estas duas tão contrastantes personagens trouxeram toda a carga emocional necessária combinado com o contexto da cena, esta uma das mais realistas e mais bem editadas.

10 – “Marry You” – “300 maneiras de ser apaixonante”

Este é o momento no qual qualquer Gleek diria “I Do” para aquele grupo adorável de pessoas a entrar pela igreja. Impossível não se cativar com a cerimônia, ainda mais com direito a dançinhas “Soldja Boy” com destaque ao desajeitado Papa Hummel.

9 – “Back To Black” – “300 maneiras de ser arranhadamente espetacular”

Um talento mal reconhecido no qual a produção demorou para se tocar que tinha, assim surgi Naya, que abriu a cantoria nitidamente durante o episódio temático da Madonna, mas foi somente na Season 2 que vimos que a latina caliente mostraria realmente a que veio.

8 – “Poker Face” –  “300 maneiras de como dominar a arte de cantar Parte III”

Hoje ao buscar o vídeo (que infelizmente não achei da performance do episódio), acabei por assistir um vídeo de Idina Menzel (Shelby) a cantar a mesma canção (veja aqui) e tive que concordar como ela mesmo diz que esta Gaga Song não tem nada de Mother & Daughter. Tirando a falta de conexão da letra com as personagens, “Poker Face” sempre será o dueto dos duetos entre Lea e Idina, que transformaram esta balada dance em eterna poesia para os ouvidos.

7 – “For Good” – “300 maneiras de mostrar que somos dois em um milhão”

Quando achavamos que “Defying Gravity” e “Happy Days Are Here Again” tinha sido uma mostra pra lá de suficiente, eis que a Season 2 nos presenteiaria com esta brilhante e emocionante performance. Lea e Chris a cada momento juntos, sejam eles cantados ou não, provam por que sempre serão considerados a “razão do sucesso” de Glee. Enquanto DG marcou o primeiro divas-off e HDAHA simbolizava uma trégua entre eles, FG amadurece de uma vez por todas esta linda e bem sucedida amizade.

6 – “Safety Dance” – “300 maneiras de sacudir e dançar”

Todos temos nosso sonho e o do meu querido Artie não poderia ser outro a não ser dançar. Este foi o primeiro flashmob de Glee, homenagem mais do que merecida aos Gleeks que se reuniam em shoppings centers e praças ao redor do mundo. Sou suspeita a falar do marido Kevin, mas quem não se entrega e se empolga junto a ele nesta contagiante coreografia?

5 – “Rose’s Turn” – “300 maneiras de ser único”

Este foi o primeiro e exclusivo momento de Kurt durante a primeira temporada, porém RT não só liberta sua verdadeira voz  e sim, simboliza o próprio Chris, cuja personagem merecidamente é considerada uma das mais inspiradoras da televisão atual.

4 –  “River Deep/Moutain High” – “300 maneiras de ser Diva”

Tina Turner já fazia por si só esta sensacional hit, porém quando a produção musical decidiu juntar Amber e Naya, sem dúvida acertaram em cheio. Estas duas junto com Rachel e Kurt, formam as melhores parcerias de toda a série. Diretamente de meu episódio favorito, eis aqui um dueto  divanisticamente vencedor.

3 – “Bohemian Rhapsody” –  “300 maneiras de como dominar a arte de cantar Parte II” 

Jonathan Groff sempre trouxe arrepios ao mulheril e também aos rapazes, porém mesmo representando um dos personagens mais assholes da série, é impossível não aplaudir de pé este incrível número do Vocal Adrenaline, no qual o maestro Jesse St. James faz qualquer concorrente querer se enforcar com as próprias cordas vocais. Junto ao clássico do Queen, toda a edição de cena marca o nascimento de Beth, compondo um dos momentos mais drámaticos.

2 – “Don’t Rain on My Parade” –  “300 maneiras de como dominar a arte de cantar Parte I” 

Inegável que minha personagem favorita estaria aqui, no topo de minha seleta lista. Mesmo aqueles que odeiam a Ms. Berry devem admitir: este sempre será o Solo dos Solos. Poucas pessoas no mundo conseguem traduzir tão bem as canções da incomparável Barbra Streisand. Talentos como o de Lea são preciosos e como Kurt mesmo disse são “One in a Million”.

1 – Menção Honrosa – “Don’t Stop Belivin” (versão piloto) – “300 maneiras de sempre emocionar”

O hino tinha lugar reservado ao final da lista e sem dúvida a canção mais icônica do Journey sempre terá grande significado, sendo aquela que me trará lágrimas aos olhos toda vez que ouvi-la ou vê-la.

 E vocês meus queridos e queridas, quais canções escolheriam para o especial #300thGleeMusicalNumber ??

Artigo originalmente escrito por Mary Barros e publicado no Portal de Séries.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s